Fórmula 1
R
GP de 70º aniversário
07 ago
Próximo evento em
2 dias
04 set
Próximo evento em
30 dias
R
GP da Toscana
11 set
Próximo evento em
37 dias
R
GP de Singapura
17 set
Canceled
R
GP da Rússia
25 set
Próximo evento em
51 dias
R
GP do Japão
08 out
Canceled
R
GP dos Estados Unidos
23 out
Canceled
R
GP do México
30 out
Canceled
R
GP do Brasil
13 nov
Canceled
R
GP de Abu Dhabi
27 nov
Próximo evento em
114 dias

F1 não terá GPs do Japão, Singapura e Azerbaijão e totaliza sete provas canceladas em 2020

compartilhar
comentários
F1 não terá GPs do Japão, Singapura e Azerbaijão e totaliza sete provas canceladas em 2020
Por:
12 de jun de 2020 11:27

Com as novas adições, o total de provas canceladas na temporada 2020 subiu para sete, juntando-se à Austrália, Mônaco, França e Holanda

Após divulgar a primeira parte do calendário de 2020, a Fórmula 1 busca fechar a segunda metade do cronograma, que deve acontecer a partir da segunda metade de setembro. O objetivo é realizar provas na América e na Ásia, mas a data e a situação da pandemia em alguns locais tornou impossível para a F1 visitar três países nesse ano: Japão, Singapura e Azerbaijão.

As equipes já estavam cientes que algumas corridas do calendário original não aconteceriam. A natureza dos eventos de Baku e de Singapura, circuitos de rua, criavam problemas logísticos enormes para os organizadores, que precisam de um período maior de tempo para preparar os locais.

Leia também:

Há algumas semanas o GP do Azerbaijão havia sido adiado de sua data original em junho, e a organização tentou recolocar a prova no calendário, possivelmente na data original de Singapura, em 20 de setembro, mas precisou ser cancelada devido à restrições governamentais.

As chances do GP em Suzuka acontecer diminuíram consideravelmente após a mesma organização cancelar o GP do Japão da MotoGP em Motegi, que deveria acontecer uma semana depois da F1. A F1 citou como razão para o cancelamento "restrições contínuas de viagem".

Esses cancelamentos criam um grande vácuo no calendário entre o GP da Itália, em 06 de setembro e o dos Estados Unidos, marcado neste momento para 25 de outubro, mas com poucas chances de acontecer. A única corrida listada oficialmente neste espaço de seis semanas é o GP da Rússia em Sochi, marcado para 27 de setembro.

Essas não são as únicas dores de cabeça a F1 tem no momento. Enquanto boa parte do mundo entra em um momento de diminuição de número de casos da Covid-19, Brasil e México estão em uma crescente ainda, e tornam-se dúvidas. Mesmo assim, as organizações de ambos os eventos afirmam estar confiantes com a realização das provas no início de novembro.

A F1 ainda está buscando confirmar outros eventos para esse período, com a China sendo a principal opção e o Canadá correndo por fora, além de etapas adicionais na Europa.

"Temos confiança em nosso plano de realizar de 15 a 18 etapas nessa temporada, concluindo em Abu Dhabi no meio de dezembro e esperamos publicar o calendário final antes do início da temporada, na Áustria", disse a F1 através de um comunicado.

"Como resultado dos desfios contínuos apresentados pela Covid-19, nós e nossos organizadores no Azerbaijão, Singapura e Japão tomamos a decisão de cancelar suas corridas em 2020. Essas decisões foram tomadas devido à diferentes desafios que os organizadores enfrentam em seus países".

"Ao mesmo tempo, fizemos progresso significativo com os organizadores, existentes e novos, para o calendário revisado, e estamos particularmente encorajados pelo interesse demonstrado por novos circuitos para receber uma etapa da Fórmula 1 em 2020".

Como circuito de rua, o Vietnã enfrenta problemas similares ao do Azerbaijão e de Singapura. O país ainda está sob restrições e a organização não tem interesse em fazer seu evento inaugural sem público, e existe também uma preocupação com a realização de duas provas em seis meses, já que a prova deve ocupar uma vaga em abril no calendário de 2021.

A organização do GP de Singapura citou as restrições na construção do circuito como a principal razão para o cancelamento.

"Os últimos meses foram extremamente desafiadores em todos os lados", disse o vice-presidente da organização do GP, Colin Syn. "E agora tivemos que tomar essa decisão difícil, que a F1 e nossos investidores aceitaram".

"No final das contas, a saúde e segurança de nossos funcionários, espectadores, equipes da F1 e fiscais voluntários é a nossa principal prioridade, e queremos agradecer a todos pela paciência e apoio até aqui".

Lewis Hamilton, Mercedes AMG F1 W10

Lewis Hamilton, Mercedes AMG F1 W10

Photo by: Jerry Andre / Motorsport Images

VÍDEO: Entrevista com Rubens Barrichello: piloto conta as histórias e as polêmicas da F1

PODCAST: A liderança de Hamilton pode transformá-lo em uma influência maior que Senna fora da F1?

 

F1 decide misturar compostos de pneus para corridas em Silverstone

Artigo anterior

F1 decide misturar compostos de pneus para corridas em Silverstone

Próximo artigo

Há nove anos F1 tinha a corrida mais longa da história; relembre

Há nove anos F1 tinha a corrida mais longa da história; relembre
Carregar comentários

Sobre esta matéria

Categoria Fórmula 1
Autor Adam Cooper