Fórmula 1 GP do Azerbaijão

F1: Hamilton insiste que não violou regra de guiar desnecessariamente devagar; piloto se livra de punição

Lando Norris também foi chamado pelos comissários por uma infração semelhante

Lewis Hamilton, Mercedes W13

Lewis Hamilton insistiu que não quebrou as regras depois de ser chamado pelos comissários do GP do Azerbaijão de Fórmula 1 para uma reunião por guiar desnecessariamente devagar na classificação. Após a investigação, o heptacampeão foi absolvido. O piloto da McLaren, Lando Norris, também foi chamado por uma infração semelhante.

Os comissários observaram uma “suposta violação pelos carros 44 e 4 do Artigo 33.4 do regulamento esportivo da FIA Fórmula 1 e não conformidade com a nota do diretor de corrida; guiando desnecessariamente devagar às 18h59.”

Leia também:

Essas notas dizem que “para garantir que os carros não sejam conduzidos desnecessariamente devagar durante todas as voltas das sessões de classificação ou durante as voltas de reconhecimento quando a saída dos boxes é aberta para a corrida, os pilotos devem ficar abaixo do tempo máximo estabelecido pela FIA entre linhas do safety car mostradas no mapa do pit lane.”

Após a classificação no GP da Espanha, os comissários notaram que houve 55 violações desse tipo por 18 pilotos, mas os infratores mais graves foram Kevin Magnussen e Mick Schumacher, que receberam uma advertência.

Falando antes de sua reunião com os comissários, Hamilton insistiu que ele havia se mantido no delta e também estava fora da linha de corrida.

“Somos um dos mais lentos na reta”, disse ele quando questionado sobre o assunto pelo Motorsport.com. “Então eu precisava de um reboque. A regra é que você tem que estar dentro do seu tempo delta do safety car de uma linha para duas linhas."

“Eu estava dentro do meu delta. Eu desacelerei e desliguei, completamente offline, para deixar os outros carros irem. Mas eles não queriam passar."

“Então o cenário interessante é que quando estávamos em Barcelona, ​​havia carros que simplesmente ignoravam completamente o delta e guiavam ridiculamente lento. Acho que um ou dois deles foram penalizados."

“Mas eles eram muito, muito, muito mais lentos. Eles teriam ganho pelo menos cinco graus de temperatura do pneu mais frio. E é por isso que eles foram tão rápidos. E eu lembro que quando eles estavam indo devagar, eu passava por eles, então não tive nenhum problema."

“Mas de qualquer forma, hoje eu não estava abaixo do meu delta. Eu estava offline, não era inseguro.”

Hamilton acrescentou: “Não acho que seja errado. Eles tiveram a escolha de seguir, eles não o fizeram. Eu estava dentro do meu delta. Então, se eu estivesse abaixo do meu delta, eu poderia entender, mas não estava.”

Os comissários concordaram com Hamilton, livrando-o de uma possível punição, explicando a decisão em um documento divulgado pela FIA.

"O piloto afirmou que reduziu a velocidade para permitir que o carro 4 [Norris] o ultrapassasse, de forma a aproveitar o vácuo em sua volta rápida, mas o carro 4 obviamente tinha a mesma intenção, e decidiu não passar".

"Apesar de Hamilton estar devagar, os comissários notam que, para aquela volta, o delta de tempo foi respeitado, com o piloto colocando o carro para a esquerda, saindo da linha ideal, com isso acontecendo em uma reta, onde a visibilidade não era um problema, sem potencial de dano, em momento algum, para nenhum outro piloto. Os três carros nesta parte da pista naquele momento [Hamilton, Norris e Ricciardo] estavam em voltas de aquecimento".

 

ACOMPANHE NOSSO PODCAST GRATUITAMENTE:

Faça parte da comunidade Motorsport

Join the conversation
Artigo anterior F1: Pérez acredita que problema no motor lhe custou chance de pole em Baku
Próximo artigo Para Russell, é "questão de tempo" até que porpoising cause acidente sério na F1: "Receita para desastre"

Principais comentários

Ainda não há comentários. Seja o primeiro a comentar.

Cadastre-se gratuitamente

  • Tenha acesso rápido aos seus artigos favoritos

  • Gerencie alertas sobre as últimas notícias e pilotos favoritos

  • Faça sua voz ser ouvida com comentários em nossos artigos.

Motorsport prime

Descubra conteúdo premium
Assinar

Edição

Brasil