F1: Red Bull admite ter interpretado regulamento orçamentário de maneira diferente da FIA

Na próxima quarta-feira, FIA vai publicar documentos relacionados ao balanço das equipes em 2021

Christian Horner, Team Principal, Red Bull Racing, Helmut Marko, Consultant, Red Bull Racing

O paddock em Singapura ficou movimentado antes mesmo da corrida no domingo começar, isso porque estourou o 'budget-gate': rumores de que Red Bull e Aston Martin teriam ultrapassado o teto orçamentário na temporada 2021 da Fórmula 1 com a equipe de Milton Keynes indo muito além no valor. Nesta semana, o conselheiro da equipe revelou que a Red Bull fez uma intepretação do regulamento orçamentário diferente da FIA.

Leia também:

O ponto principal que gerou toda a suspeita desde o princípio, e que está sendo discutida entre FIA e Red Bull há cerca de uma semana, é a relação que as equipes podem desenvolver com empresas externas para atualizar partes do carro sem que isso entre no orçamento. 

Falando à mídia alemã, como divulgou o Corrieri Della Sera, Helmut Marko, conselheiro do time de Milton Keynes, revelou que a equipe interpretou de maneira diferente do órgão este aspecto em específico do regulamento.

"Há alguns pontos em que interpretamos o regulamento de forma diferente da FIA, por isso estamos a discuti-lo. Temos várias empresas, como Red Bull Advanced Technologies, Red Bull Technology e Red Bull Powertrains. É importante para nós separá-los de forma muito clara em termos de custos com pessoal”, disse.

Contudo, a grande preocupação da Red Bull, no momento, é como as 'contas' teriam vazado até chegar ao conhecimento de Mercedes e Ferrari - equipes responsáveis por indicar a quebra do teto orçamentário por parte da rival. Há a suspeita da Red Bull de que tudo teria começado por conta do time comandado por Toto Wolff, uma vez que a ex-assistente pessoal do austríaco, Shaila-Ann Rao, possuí um cargo na FIA como secretária geral.

Ainda não se sabe os números exatos da infração, que serão revelados na próxima quarta-feira quando a entidade emitir os "Certificados de Conformidade" relacionados ao balanço das equipes em 2021. No entanto, ainda de acordo com o Corrieri Della Sera, especula-se que existem seis macro-custos que a Red Bull não teria incluído no orçamento. 

"Se a FIA considerar apenas dois, estaremos abaixo do limite orçamentário e até muito. Por isso, o que se lê por aí são números completamente absurdos”, disse Helmut Marko.

Contudo, se a FIA resolver considerar todos eles, haveria uma superação no valor que pode ultrapassar os 10 milhões de dólares. Vale destacar que ao ultrapassar o limite orçamentário, a equipe que cometeu a infração pode garantir melhorias no desenvolvimento do seu projeto em até dois anos à frente, ou seja, a Red Bull pode ter impactado, a seu favor, o desenvolvimento do carro de 2023 ainda em 2021. 

A grande preocupação das equipes, por isso, está na forma como a FIA vai interpretar essa infração e qual punição será aplicada ao time de Christian Horner. Não atoa, suspeitas sobre o desempenho e atualizações trazidas pela Red Bull em 2022 sempre foram comentadas aos quatro cantos por Mattia Binotto

 

 

Faça parte da comunidade Motorsport

Join the conversation
Artigo anterior F1 - Ferrari cobra seriedade da FIA com teto orçamentário: "Mesmo uma violação pequena pode valer 0s5 por volta"
Próximo artigo F1: Verstappen não sentiu "prazer algum" ao fazer corrida de recuperação em Singapura

Principais comentários

Ainda não há comentários. Seja o primeiro a comentar.

Cadastre-se gratuitamente

  • Tenha acesso rápido aos seus artigos favoritos

  • Gerencie alertas sobre as últimas notícias e pilotos favoritos

  • Faça sua voz ser ouvida com comentários em nossos artigos.

Motorsport prime

Descubra conteúdo premium
Assinar

Edição

Brasil