Fórmula 1
01 ago
-
04 ago
Evento encerrado
MotoGP
09 ago
-
11 ago
Evento encerrado
IndyCar
16 ago
-
18 ago
Evento encerrado
R
Gateway
22 ago
-
24 ago
Próximo evento em
1 dia
Fórmula E
12 jul
-
13 jul
Evento encerrado
14 jul
-
14 jul
Evento encerrado

Tony Stewart lidera classe de 2020 do Hall da Fama da NASCAR

compartilhar
comentários
Tony Stewart lidera classe de 2020 do Hall da Fama da NASCAR
22 de mai de 2019 21:44

Junto com Joe Gibbs, Waddel Wilson, Buddy Baker e Bobby Labonte, tricampeão da NASCAR foi imortalizado pela categoria nesta quarta-feira

A NASCAR anunciou os novos cinco membros do Hall da Fama que farão parte do seleto grupo de destaques da categoria a partir de 2020. O principal deles, com 88% dos votos do colégio eleitoral, foi Tony Stewart, tricampeão da categoria e atual dono da Stewart-Haas, junto com Gene Haas, que também possui um time na F1.

Além dele, Joe Gibbs, ex-patrão de Stewart, Waddel Wilson, Buddy Baker e Bobby Labonte foram lembrados para o Hall da Fama.

Confira um resumo da carreira dos escolhidos, em ordem alfabética, além do vencedor do Landmark Award, Edsel Ford II.

Buddy Baker

Com 1.80m de altura, Buddy Baker era frequentemente chamado de “Gentle Giant” (Gigante Gentil), uma referência à sua natureza pessoal durante 33 anos de carreira. Em 1980, o nativo de Charlotte venceu a Daytona 500 com uma velocidade média de corrida de 177.602 mph, um histórico que permanece até hoje. Ele venceu 19 corridas na Cup, incluindo uma vitória em Darlington em 1970, onde colocou uma volta em todo o grid. Ele também venceu a Coca-Cola 600 em Charlotte em 1972 e 1973. Depois de se aposentar em 1992, Baker fez uma transição bem-sucedida para a TV como comentarista da The Nashville Network e da CBS, e mais tarde como apresentador de rádio na SiriusXM NASCAR.

Joe Gibbs

Tricampeão campeão do Super Bowl, o “Coach”, como é chamado, começou a Joe Gibbs Racing em 1992 e levou a organização a quatro campeonatos da Cup e cinco títulos da Xfinity Series. Conhecido por ser um motivador mestre, Gibbs tem 164 vitórias na Cup, o terceiro lugar de todos os tempos. Foram três vitórias na Daytona 500 e cinco vitórias na Brickyard 400. Seus títulos da Cup vêm com três pilotos diferentes: Bobby Labonte (2000), Tony Stewart (2002, 2005) e Kyle Busch (2015).  

Bobby Labonte

Bobby Labonte correu com vários tipos de carro antes de ter sua primeira experiência como piloto em tempo integral da Cup aos 28 anos de idade em 1993. Sua persistência valeu a pena com uma carreira marcada por 21 idas ao Victory Lane e o título de 2000 da Cup. Sucesso em todas as três séries nacionais da NASCAR, Labonte foi o primeiro de quatro pilotos a vencer a Cup e a Xfinity Series. Ele também é um dos 27 pilotos a vencer pelo menos uma corrida nas três séries nacionais. 

Tony Stewart

Conhecido como "Smoke", Stewart imediatamente mostrou que seria uma força a ser reconhecida pela NASCAR, conquistando três vitórias em sua temporada de novato. Os títulos logo surgiram. Stewart venceu seu primeiro campeonato da Cup em 2002 guiando pela Joe Gibbs Racing e repetiu o feito rapidamente em 2005. Sua versatilidade estava em exibição ao longo de sua carreira de 17 anos na NASCAR. Ele registrou 49 vitórias na Cup, vencendo em todos os estilos de pista. Ele venceu a prestigiada Brickyard 400 em sua casa, no Indianapolis Motor Speedway duas vezes. Em 2009, Stewart se tornou dono de uma equipe, em parceria com Gene Haas. Ele ganhou 16 vezes como piloto/proprietário, e o título de 2011, após batalha com Carl Edwards, decidida apenas no desempate.

Waddell Wilson

Construtor de motores e chefe de equipe, Waddell Wilson forneceu carros e orientou pilotos em algumas das maiores vitórias na história da NASCAR. Como construtor de motores, ele ajudou David Pearson (1968 e 1969) e Benny Parsons (1973) a chegarem aos títulos da Cup. No geral, os motores de Wilson ajudaram alguns dos maiores pilotos, incluindo David Pearson, Fireball Roberts, Bobby Allison, Cale Yarborough e Darrell Waltrip, para 109 vitórias e 123 poles. Ele originalmente ganhou fama por construir o motor que Roberts usou para vencer a Southern 500, em Darlington, de 1963. Wilson ajudou três carros a irem ao Victory Lane na Daytona 500 como chefe de equipe, vencendo com Buddy Baker (1980) e Cale Yarborough (1983- 84). O famoso “Grey Ghost” que ele montou para Buddy Baker ainda possui o recorde de Daytona 500 com uma velocidade média de 177.602mph.

Landmark Award por contribuições destacadas para a NASCAR.

Edsel Ford II

Existem poucos nomes como icônicos no automobilismo como Edsel Ford II. Membro do Conselho de Administração da Ford Motor Company e executivo de longa data da empresa fundada por seu bisavô Henry Ford, Edsel é um rosto familiar na garagem de corridas. O apoio da Ford à NASCAR esteve nos bastidores da Ford Motor Company, mas também na frente, onde é recebido calorosamente pelos competidores, executivos, donos de equipes e fãs do esporte em qualquer pista de corrida que ele visite. Sua liderança na Ford inclui tempo como presidente e diretor de operações (maio de 1991-1998) e diretor da International Speedway Corporation (novembro de 2007 a outubro de 2015).

Próximo artigo
Larson supera Harvick e vence All-Star; Newman e Bowyer se desentendem após corrida

Artigo anterior

Larson supera Harvick e vence All-Star; Newman e Bowyer se desentendem após corrida

Próximo artigo

Truex bate, se recupera e vence 600 Milhas de Charlotte

Truex bate, se recupera e vence 600 Milhas de Charlotte
Carregar comentários

Sobre esta matéria

Categoria NASCAR Cup
Seja o primeiro a receber as últimas notícias