Entenda porque o automobilismo é o esporte mais afetado pelo coronavírus

compartilhar
comentários
Entenda porque o automobilismo é o esporte mais afetado pelo coronavírus
Por:
, Repórter

Desde que a epidemia do COVID-19 começou a se espalhar pelo mundo, o automobilismo vem sofrendo impactos a cada dia que passa, com eventos adiados, cancelados ou ameaçados pelo vírus

Ainda no final de 2019, o mundo tomou conhecimento sobre o COVID-19, nova doença que havia surgido através de uma variação do coronavírus. A doença teve seu início rastreado até a cidade chinesa de Wuhan, na região central do país, mais especificamente ao Mercado de Frutos do Mar da cidade, que também vendia animais vivos. Desde então, a epidemia tem afetado muito o dia-a-dia do mundo, incluindo o mundo do esportes, mexendo muito com o automobilismo, em categorias como a Fórmula 1 e a MotoGP.

Mais de três meses após os primeiros casos, o coronavírus se espalhou pelo mundo, com cerca de 110 mil infectados confirmados e quase 4 mil mortes, já atingindo mais de 100 países. A Organização Mundial da Saúde trata, desde janeiro, a epidemia como uma Emergência de Saúde Pública de Âmbito Internacional.

Leia também:

O impacto do coronavírus no mundo do automobilismo

Com o aumento dos casos, o coronavírus tem mexido com a economia dos países, a rotina das pessoas e também com áreas como o turismo e o esporte. O esporte tem sido uma área particularmente afetada pelo COVID-19, devido à sua natureza coletiva, com eventos que reúnem centenas ou milhares de pessoas para acompanhar diferentes modalidades.

E o esporte a motor não fica de fora dessa lógica. Por ser um esporte global, há muitas viagens e pessoas envolvidas. Em algumas etapas, a Fórmula 1 chega a ter um público de mais de 300 mil pessoas ao longo de um final de semana, além de algumas etapas atraírem muitas pessoas vindas de outros países. Com a MotoGP não é muito diferente.

O planejamento de uma etapa da Fórmula 1 ou da MotoGP não é algo feito em questão de dias: leva-se meses para a realização de um GP, principalmente as etapas fora da Europa, região onde as categorias e equipes estão sediadas. Existe a questão do envio de equipamentos em voos fretados ou em navios, que levam semanas para chegar ao destino.

Com toda a questão logística e o pessoal envolvido com o esporte, uma das grandes preocupações dos campeonatos ao redor do mundo é o possível impacto econômico que a epidemia do coronavírus pode trazer, com a queda de renda vinda dos ingressos ou as taxas que serão pagas em caso de adiamento ou cancelamento de eventos.

Por isso, o automobilismo está sendo um dos esportes mais afetados pela epidemia do coronavírus, se não o mais. Até o momento, diversas etapas de vários campeonatos já foram adiadas, canceladas ou transferidas de local. Para tentar reduzir o impacto do COVID-19, as categorias consideram alternativas para manter a realização das provas e tentando reduzir o impacto que vários cancelamentos teria.

Para acompanhar o impacto da epidemia do coronavírus no esporte a motor, o Motorsport.com montou uma galeria especial com tudo o que aconteceu até o momento.

Veja, na galeria abaixo, como que o coronavírus está afetando o mundo do esporte a motor

O primeiro evento oficial a cair foi o ePrix de Sanya da Fórmula E. Originalmente marcado para 21 de março, ele foi adiado pela categoria, mas até o momento não foi anunciado uma nova data.

O primeiro evento oficial a cair foi o ePrix de Sanya da Fórmula E. Originalmente marcado para 21 de março, ele foi adiado pela categoria, mas até o momento não foi anunciado uma nova data.
1/26

Foto de: FIA Formula E

Dias depois, a F1 adiou o GP da China. No momento, então buscando uma data alternativa mais próximo do fim da temporada, mas o calendário já apertado torna essa uma busca difícil

Dias depois, a F1 adiou o GP da China. No momento, então buscando uma data alternativa mais próximo do fim da temporada, mas o calendário já apertado torna essa uma busca difícil
2/26

Foto de: Sutton Motorsport Images

A Ferrari precisou fechar seus museus em Modena e Maranello após pedido do governo da região

A Ferrari precisou fechar seus museus em Modena e Maranello após pedido do governo da região
3/26

Foto de: Jose Carlos de Celis

A DTM mudou a sede de sua pré-temporada. Ao invés de Monza, na Itália, as sessões serão realizadas em Hockenheim

A DTM mudou a sede de sua pré-temporada. Ao invés de Monza, na Itália, as sessões serão realizadas em Hockenheim
4/26

Foto de: Mario Bartkowiak

O piloto da equipe ART na Fórmula 2, Christian Lundgaard, perdeu a pré-temporada da categoria no Bahrein porque estava em quarentena em um hotel na ilha espanhola de Tenerife após surgirem casos do coronavírus no local

O piloto da equipe ART na Fórmula 2, Christian Lundgaard, perdeu a pré-temporada da categoria no Bahrein porque estava em quarentena em um hotel na ilha espanhola de Tenerife após surgirem casos do coronavírus no local
5/26

Foto de: Carl Bingham / Motorsport Images

Lundgaard não é o único piloto preso no hotel. O brasileiro Caio Collet e outros pilotos da Academia da Renault também estavam no local e se encontram retidos no hotel em Tenerife, mas todos testaram negativo para o coronavírus e foram liberados

Lundgaard não é o único piloto preso no hotel. O brasileiro Caio Collet e outros pilotos da Academia da Renault também estavam no local e se encontram retidos no hotel em Tenerife, mas todos testaram negativo para o coronavírus e foram liberados
6/26

Foto de: DPPI

O Salão do Automóvel de Genebra também foi cancelado devido ao coronavírus. Foi colocado a possibilidade de realizá-lo em setembro, mas nada foi confirmado até o momento

O Salão do Automóvel de Genebra também foi cancelado devido ao coronavírus. Foi colocado a possibilidade de realizá-lo em setembro, mas nada foi confirmado até o momento
7/26

Foto de: Motor1

A maior parte dos envolvidos com o mundial de MotoGP que são de nacionalidade japonesa tiveram que ficar no Catar desde o fim do teste, para poderem estar presentes no primeiro GP do ano, que seria realizado em 08 de março

A maior parte dos envolvidos com o mundial de MotoGP que são de nacionalidade japonesa tiveram que ficar no Catar desde o fim do teste, para poderem estar presentes no primeiro GP do ano, que seria realizado em 08 de março
8/26

Foto de: Gold and Goose / Motorsport Images

Mas a MotoGP acabou cancelando essa data, que seria a primeira do Mundial de 2020. O Catar adotou regras mais rígidas quanto a entrada e saída de cidadãos de países afetados e as equipes não tinham garantias de que poderiam disputar a prova

Mas a MotoGP acabou cancelando essa data, que seria a primeira do Mundial de 2020. O Catar adotou regras mais rígidas quanto a entrada e saída de cidadãos de países afetados e as equipes não tinham garantias de que poderiam disputar a prova
9/26

Foto de: Gold and Goose / Motorsport Images

Por outro lado, a Dorna Sports, dona da MotoGP, manteve as provas da Moto2 e Moto3 no Catar. O motivo? Os pilotos e as equipes já estavam no Catar antes das novas normas para a realização de suas pré-temporadas

Por outro lado, a Dorna Sports, dona da MotoGP, manteve as provas da Moto2 e Moto3 no Catar. O motivo? Os pilotos e as equipes já estavam no Catar antes das novas normas para a realização de suas pré-temporadas
10/26

Foto de: Gold and Goose / Motorsport Images

O GP da Tailândia foi oficialmente adiado pelo motivo do cancelamento do Catar, sendo remarcado para o primeiro final de semana de outubro

O GP da Tailândia foi oficialmente adiado pelo motivo do cancelamento do Catar, sendo remarcado para o primeiro final de semana de outubro
11/26

Foto de: Gold and Goose / Motorsport Images

Durante o final de semana do GP do Catar, o CEO da Dorna, Carmelo Ezpeleta, afirmou que não seria possível remarcar a etapa do Catar para a MotoGP, como foi feito com a Tailândia, porque a pista de Losail passará por reformas

Durante o final de semana do GP do Catar, o CEO da Dorna, Carmelo Ezpeleta, afirmou que não seria possível remarcar a etapa do Catar para a MotoGP, como foi feito com a Tailândia, porque a pista de Losail passará por reformas
12/26

Foto de: Gold and Goose / Motorsport Images

A Super Fórmula, principal categoria do automobilismo japonês, cancelou a rodada de abertura da temporada de 2020, que seria realizada em 05 de abril devido ao COVID-19

A Super Fórmula, principal categoria do automobilismo japonês, cancelou a rodada de abertura da temporada de 2020, que seria realizada em 05 de abril devido ao COVID-19
13/26

Foto de: Jun Goto

Depois de Sanya, a Fórmula E teve mais um impacto em seu calendário, com o adiamento do eP de Roma. A Itália é um dos países mais afetados pelo coronavírus e outras provas já foram canceladas no país como as 12 Horas de Monza, da 24h Series

Depois de Sanya, a Fórmula E teve mais um impacto em seu calendário, com o adiamento do eP de Roma. A Itália é um dos países mais afetados pelo coronavírus e outras provas já foram canceladas no país como as 12 Horas de Monza, da 24h Series
14/26

Foto de: Andrew Ferraro / Motorsport Images

A MotoGP também enfrenta dúvidas sobre o GP das Américas, que deveria ser a etapa inaugural da temporada. A cidade de Austin declarou estado de emergência pelo coronavírus, o que pode levar a uma proibição de eventos de grande porte, como a MotoGP

A MotoGP também enfrenta dúvidas sobre o GP das Américas, que deveria ser a etapa inaugural da temporada. A cidade de Austin declarou estado de emergência pelo coronavírus, o que pode levar a uma proibição de eventos de grande porte, como a MotoGP
15/26

Foto de: Gold and Goose / Motorsport Images

No dia seguinte à notícia de Austin, o GP do Bahrein, que anunciou que vai realizar a etapa com portões fechados, para evitar a disseminação do COVID-19 pelo país. A decisão foi tomada para inibir a vinda de estrangeiros ao Bahrein

No dia seguinte à notícia de Austin, o GP do Bahrein, que anunciou que vai realizar a etapa com portões fechados, para evitar a disseminação do COVID-19 pelo país. A decisão foi tomada para inibir a vinda de estrangeiros ao Bahrein
16/26

Foto de: Mark Sutton / Motorsport Images

Na Fórmula E, há duas equipes chinesas, a NIO 333 e a Techeetah, além de um piloto chinês, Ma Qinghua. Para poder participar do ePrix da Cidade do México, em fevereiro, o piloto optou por fazer uma quarentena de 14 dias na cidade por segurança

Na Fórmula E, há duas equipes chinesas, a NIO 333 e a Techeetah, além de um piloto chinês, Ma Qinghua. Para poder participar do ePrix da Cidade do México, em fevereiro, o piloto optou por fazer uma quarentena de 14 dias na cidade por segurança
17/26

Foto de: Alastair Staley / Motorsport Images

"Não podemos parar, mas não tomaremos riscos desnecessários". Essa é a visão de Ross Brawn, diretor de esporte a motor da F1 quando perguntado sobre o destino das três primeiras etapas do campeonato: Austrália, Bahrein e Vietnã

"Não podemos parar, mas não tomaremos riscos desnecessários". Essa é a visão de Ross Brawn, diretor de esporte a motor da F1 quando perguntado sobre o destino das três primeiras etapas do campeonato: Austrália, Bahrein e Vietnã
18/26

Foto de: Mark Sutton / Motorsport Images

O GP da Austrália está confirmado e com a presença do público garantida, mas o governo do país anunciou medidas de checagem mais rígidas para pessoas entrando no país via Itália ou que tenham passado recentemente pelo país

O GP da Austrália está confirmado e com a presença do público garantida, mas o governo do país anunciou medidas de checagem mais rígidas para pessoas entrando no país via Itália ou que tenham passado recentemente pelo país
19/26

Foto de: Zak Mauger / Motorsport Images

No momento, o GP do Vietnã também está confirmado, mas as dúvidas quanto a realização de sua etapa inaugural crescem a cada dia, junto com o aumento no número de casos no país, localizados principalmente na região de Hanoi, capital do país e cidade que receberá o GP

No momento, o GP do Vietnã também está confirmado, mas as dúvidas quanto a realização de sua etapa inaugural crescem a cada dia, junto com o aumento no número de casos no país, localizados principalmente na região de Hanoi, capital do país e cidade que receberá o GP
20/26

Foto de: Vietnam Grand Prix Corporation

"Estamos considerando todas as opções", é o que afirma o CEO da Dorna Sports, Carmelo Ezpeleta, sobre o futuro da temporada da MotoGP. O contrato da Dorna obriga a empresa a fazer um mínimo de 13 provas no ano, por isso, há entre as opções, a realização de corridas com portões fechados, similar à proposta do GP do Bahrein da F1

"Estamos considerando todas as opções", é o que afirma o CEO da Dorna Sports, Carmelo Ezpeleta, sobre o futuro da temporada da MotoGP. O contrato da Dorna obriga a empresa a fazer um mínimo de 13 provas no ano, por isso, há entre as opções, a realização de corridas com portões fechados, similar à proposta do GP do Bahrein da F1
21/26

Foto de: Gold and Goose / Motorsport Images

Enquanto isso, o Automóvel Clube do Oeste, organizador das 24 Horas de Le Mans, principal prova do automobilismo mundial, tem uma visão muito diferente das outras categorias. Em comunicado divulgado na semana passada, afirmaram estar monitorando a situação, mas acreditam que a epidemia não deve afetar a organização e a realização da edição de 2020 das 24 Horas

Enquanto isso, o Automóvel Clube do Oeste, organizador das 24 Horas de Le Mans, principal prova do automobilismo mundial, tem uma visão muito diferente das outras categorias. Em comunicado divulgado na semana passada, afirmaram estar monitorando a situação, mas acreditam que a epidemia não deve afetar a organização e a realização da edição de 2020 das 24 Horas
22/26

Foto de: JEP / Motorsport Images

A Federação Internacional de Automobilismo anunciou na última sexta-feira a criação de um Comitê de Crise para lidar com o impacto do coronavírus no automobilismo, afirmando que tem como objetivo principal proteger os envolvidos com o esporte, e não descarta adiar eventos para isso

A Federação Internacional de Automobilismo anunciou na última sexta-feira a criação de um Comitê de Crise para lidar com o impacto do coronavírus no automobilismo, afirmando que tem como objetivo principal proteger os envolvidos com o esporte, e não descarta adiar eventos para isso
23/26

Foto de: FIA

A notícia mais recente a impactar o mundo do esporte a motor vem da Itália. Na noite deste sábado (07), o governo do país anunciou um plano radical para tentar conter o avanço do coronavírus: colocar diversas regiões do norte da Itália sob quarentena, impedindo pessoas de entrar ou sair das regiões

A notícia mais recente a impactar o mundo do esporte a motor vem da Itália. Na noite deste sábado (07), o governo do país anunciou um plano radical para tentar conter o avanço do coronavírus: colocar diversas regiões do norte da Itália sob quarentena, impedindo pessoas de entrar ou sair das regiões
24/26

Foto de: Zak Mauger / Motorsport Images

Entre as regiões afetadas estão Modena, onde fica a sede da Ferrari, Milão, sede da Pirelli, Lombardia, local da sede da equipe da Yamaha na MotoGP e Pesaro e Urbino, onde mora o multicampeão Valentino Rossi. Isso pode ter grandes implicações para os dois campeonatos. A Fórmula 1 já anunciou que caso algum piloto ou equipe não puder chegar a um país, a categoria não fará uma corrida que seja válida para o mundial

Entre as regiões afetadas estão Modena, onde fica a sede da Ferrari, Milão, sede da Pirelli, Lombardia, local da sede da equipe da Yamaha na MotoGP e Pesaro e Urbino, onde mora o multicampeão Valentino Rossi. Isso pode ter grandes implicações para os dois campeonatos. A Fórmula 1 já anunciou que caso algum piloto ou equipe não puder chegar a um país, a categoria não fará uma corrida que seja válida para o mundial
25/26

Foto de: Mark Sutton / Motorsport Images

Com a epidemia do coronavírus ainda crescendo ao redor do mundo, é possível que essas não sejam as únicas corridas e campeonatos impactados pelos efeitos do COVID-19. Mas, por enquanto, resta esperar para ver como os acontecimentos desenrolarão

Com a epidemia do coronavírus ainda crescendo ao redor do mundo, é possível que essas não sejam as únicas corridas e campeonatos impactados pelos efeitos do COVID-19. Mas, por enquanto, resta esperar para ver como os acontecimentos desenrolarão
26/26

Foto de: Steve Etherington / Motorsport Images

E os outros esportes?

Em alguns países, partidas estão sendo disputadas com portões fechados, como é o caso do futebol na Itália, região bastante afetado pelo coronavírus. A Champions League, principal campeonato de futebol da Europa já teve jogos adiados ou com portões fechados por causa da epidemia,

Antes mesmo da epidemia se alastrar na Europa, a China já havia adiado diversos eventos esportivos, como partidas do campeonato de futebol e o Mundial de Atletismo Indoor, que foi transferido para 2021.

Nos Estados Unidos, a NBA, principal liga de basquete do país, já considera a realização de partidas sem público, além de ter introduzido normas aos jogadores como evitar contato com os fãs e objetos como canetas e camisetas para autografar.

A organização das Olimpíadas e Paralimpíadas de Tóquio já analisam a possibilidade de adiar o evento para o final do ano, apesar do Comitê Olímpico Internacional não considera essa uma possibilidade. Mas muitos atletas que ainda não conseguiram vaga para os Jogos estão tendo problemas para encontrar eventos de classificação, já que vários pré-olímpicos foram suspensos.

Confira a edição #32 do podcast do Motorsport.com Brasil, que aborda o coronavírus

 

VÍDEO: Racing Point explica processo de desenvolvimento do "Mercedes Rosa", carro de 2020

"Sem chances" de GP da Austrália acontecer com portões fechados

Artigo anterior

"Sem chances" de GP da Austrália acontecer com portões fechados

Próximo artigo

Renault não está satisfeita com resposta da FIA sobre acordo secreto com Ferrari

Renault não está satisfeita com resposta da FIA sobre acordo secreto com Ferrari
Carregar comentários

Sobre esta matéria

Categoria Fórmula 1 , Fórmula E
Autor Guilherme Longo