Fórmula 1
02 jul
-
05 jul
Próximo evento em
28 dias
16 jul
-
19 jul
Próximo evento em
42 dias
27 ago
-
30 ago
Próximo evento em
84 dias
03 set
-
06 set
Próximo evento em
91 dias
R
GP de Singapura
17 set
-
20 set
Próximo evento em
105 dias
24 set
-
27 set
Próximo evento em
112 dias
08 out
-
11 out
Próximo evento em
126 dias
R
GP dos Estados Unidos
22 out
-
25 out
Próximo evento em
140 dias
29 out
-
01 nov
Próximo evento em
147 dias
12 nov
-
15 nov
Próximo evento em
161 dias
R
GP de Abu Dhabi
26 nov
-
29 nov
Próximo evento em
175 dias

F1 ajusta sistema de punição para pilotos no grid em 2019

compartilhar
comentários
F1 ajusta sistema de punição para pilotos no grid em 2019
Por:
5 de dez de 2018 20:43

Para incentivar maior participação na classificação, categoria aplicará as punições de acordo com a tabela de tempos

A FIA ajustou a aplicação de punições no grid da F1 em 2019 na tentativa de encorajar aqueles que perderão posições no grid a participar da classificação.

Uma regra foi introduzida em 2018 para colocar qualquer piloto que sofrer mais de 15 posições de punição automaticamente no fundo do grid.

Quando mais de um piloto era afetado, a ordem de largada era dada de acordo com a ordem da punição, como, por exemplo, na ordem de uso das novas peças na pista.

Isso fez com que situações bizarras surgissem, como pilotos que deixavam suas garagens bem antes do início de uma sessão e estacionando ao fim do pitlane, com o motor desligado, o que dava uma vantagem em relação ao outro piloto que estava atrás na fila.

Para evitar que isso aconteça em 2019, os pilotos punidos serão alinhados na ordem em que eles aparecerem na classificação, o que representará um incentivo para que eles marquem tempos em vez de apenas marcarem presença.

A FIA também esclareceu que qualquer piloto que estiver fora dos 107% e que for autorizado a largar será posicionado atrás daqueles que, por ventura, tenham sofrido punições por troca de peças no motor.

Outros ajustes menores foram feitos ao regulamento técnico, como a confirmação dos detalhes da nova asa dianteira, além de ter 3 kg a mais ao peso mínimo do carro, indo de 740 a 743 kg. Neste caso, as equipes se queixaram à FIA de que havia grande dificuldade para chegar aos 740, então a entidade permitiu um peso a mais.

Charles Leclerc, Ferrari SF71H

Charles Leclerc, Ferrari SF71H

Photo by: Mark Sutton / Sutton Images

Próximo artigo
FIA aprova calendário definitivo da Fórmula 1 para 2019

Artigo anterior

FIA aprova calendário definitivo da Fórmula 1 para 2019

Próximo artigo

Exclusivo: halo salvou Leclerc de impacto na viseira em Spa

Exclusivo: halo salvou Leclerc de impacto na viseira em Spa
Carregar comentários

Sobre esta matéria

Categoria Fórmula 1
Autor Adam Cooper