Fórmula 1
04 set
Próximo evento em
22 dias
R
GP da Toscana
11 set
Próximo evento em
29 dias
R
GP de Singapura
17 set
Canceled
R
GP da Rússia
25 set
Próximo evento em
43 dias
R
GP do Japão
08 out
Canceled
R
GP dos Estados Unidos
23 out
Canceled
R
GP do México
30 out
Canceled
R
GP do Brasil
13 nov
Canceled
R
GP de Abu Dhabi
27 nov
Próximo evento em
106 dias

F1: Pilotos se manifestarão contra racismo antes do GP da Áustria

compartilhar
comentários
F1: Pilotos se manifestarão contra racismo antes do GP da Áustria
4 de jul de 2020 12:39

Associação de pilotos confirmou a manifestação, com cada piloto tendo a liberdade de fazer o que quiser amanhã

Nas últimas semanas, o debate sobre o racismo e a luta por igualdade de direitos está em voga no mundo, após a morte de George Floyd nos Estados Unidos no final de maio. Desde então, Lewis Hamilton tem sido uma das vozes mais ativas sobre o assunto, chegando inclusive a cobrar a quebra do silêncio da Fórmula 1. Após publicações recentes, os pilotos da categoria irão se manifestar contra o racismo antes do GP da Áustria neste domingo.

A Associação de Pilotos de Grandes Prêmios (GPDA em inglês), divulgou neste sábado um comunicado anunciando que os pilotos irão mostrar seu apoio à causa antes da corrida.

Leia também:

"A GPDA realizou diversas reuniões virtuais com todos os 20 pilotos da Fórmula 1 para chegar a um acordo sobre como seria o melhor modo de mostrar seu apoio coletivo na luta contra o racismo antes do GP deste final de semana", começou o comunicado.

"Todos os 20 pilotos se uniram com suas equipes contra o racismo e o preconceito, enquanto simultaneamente abraçam os princípios de diversidade, igualdade e inclusão, apoiando os compromissos da F1 a esses".

"Juntos, todos os pilotos vão mostrar seu apoio à esta causa de modo público no domingo antes da corrida, reconhecendo e respeitando que cada indivíduo terá a liberdade para mostrar seu apoio à luta pelo fim do racismo do modo que preferir, estando livre para escolher como fazer isso", concluiu.

Um piloto que confirmou sua manifestação para amanhã é Romain Grosjean, da Haas. Na sexta, o piloto confirmou que vai se ajoelhar.

"Eu não era muito fã de me ajoelhar antes, mas aí li mais sobre isso", disso. "Agora é um movimento desportivo mostrar que você é contra o racismo, ele não está ligado a movimentos políticos, então, pessoalmente, vou me ajoelhar".

"Eu vou mostrar meu apoio. E eu acho que é importante que esportes como a Fórmula 1 mostrar apoio e criar ideias como o #CorremosComoUm, que é ótimo para a diversidade no esporte".

No final de maio, Hamilton fez uma publicação no Instagram criticando o silêncio do mundo do esporte a motor sobre os protestos pelo fim do racismo, dizendo que se levantava sozinho para lutar em um "esporte dominado por brancos". Após a publicação, diversos pilotos foram à suas redes sociais se manifestar a favor da luta pelo fim do racismo.

Nas últimas semanas, a F1 também se mexeu para tomar ação sobre o assunto. A categoria lançou a iniciativa #CorremosComoUm e divulgou a criação de uma fundação, ambas visando criar um ambiente mais diverso e inclusivo no esporte. A iniciativa está bastante presente no material visual ao redor do Red Bull Ring neste final de semana e, segundo a F1, estará presente ao longo do ano, com os carros também adotando o símbolo da campanha, um arco-íris formado pelas cores de cada uma das dez equipes.

SEXTA-LIVRE: Mercedes sobra e Racing Point mostra força; Red Bull começa atrás na Áustria

PODCAST: Entrevista com Bruno Senna: a trajetória no automobilismo e histórias com tio Ayrton Senna

 

Red Bull: FIA arrisca abrir precedente perigoso com decisão sobre Sistema de Direção da Mercedes

Artigo anterior

Red Bull: FIA arrisca abrir precedente perigoso com decisão sobre Sistema de Direção da Mercedes

Próximo artigo

"Q4": Assista debate sobre pole de Bottas e domínio da Mercedes

"Q4": Assista debate sobre pole de Bottas e domínio da Mercedes
Carregar comentários

Sobre esta matéria

Categoria Fórmula 1