Fórmula 1
25 mar
Próximo evento em
59 dias
06 mai
Próximo evento em
101 dias
20 mai
Próximo evento em
115 dias
R
GP do Azerbaijão
03 jun
Próximo evento em
129 dias
10 jun
Próximo evento em
136 dias
24 jun
Próximo evento em
150 dias
R
GP da Áustria
01 jul
Próximo evento em
157 dias
R
GP da Grã-Bretanha
15 jul
Próximo evento em
171 dias
29 jul
Próximo evento em
185 dias
R
GP da Bélgica
26 ago
Próximo evento em
213 dias
02 set
Próximo evento em
220 dias
09 set
Próximo evento em
227 dias
23 set
Próximo evento em
241 dias
R
GP de Singapura
30 set
Próximo evento em
248 dias
07 out
Próximo evento em
255 dias
21 out
Próximo evento em
269 dias
28 out
Próximo evento em
276 dias
05 nov
Próximo evento em
284 dias
R
GP da Austrália
18 nov
Próximo evento em
297 dias
R
GP da Arábia Saudita
03 dez
Próximo evento em
312 dias
R
GP de Abu Dhabi
12 dez
Próximo evento em
321 dias

F1: STF derruba impedimento à audiência sobre Autódromo do Rio

compartilhar
comentários
F1: STF derruba impedimento à audiência sobre Autódromo do Rio

Com isso, projeto para sediar GP do Brasil de F1 no RJ dá mais um passo para desbancar a candidatura de São Paulo

Presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), o ministro Dias Toffoli derrubou, nesta sexta-feira, liminar obtida pelo Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro (MP-RJ) que impedia a realização de audiência pública virtual sobre impactos ambientais que a construção do Autódromo do Rio pode gerar. A audiência é obrigatória para a liberação da construção do circuito, cujos idealizadores pretendem tornar sede do GP do Brasil de Fórmula 1.

Leia também:

A confirmação do contrato entre a Prefeitura da capital fluminense e o consórcio Rio Motorsports, responsável pela obra, depende da aprovação de um estudo de impacto ambiental (EIA-Rima). O documento seria apresentado em março, em audiência pública, mas esta foi suspensa devido à pandemia do novo coronavírus. Uma nova audiência pública, virtual, chegou a ser marcada, mas também foi suspensa por decisão judicial.

O projeto enfrenta resistência de grupos ambientalistas e políticos contrários à utilização do terreno de Deodoro, cedido pelo Exército. Há questionamentos sobre as consequências da obra no ecossistema da Floresta do Camboatá, onde deve ser construir o circuito. A Rio Motorsports alega que compensará o impacto da construção com ações como o replantio de 700 mil árvores, a reutilização de água e políticas de neutralização de carbono.

Rio de Janeiro busca desbancar São Paulo como sede do GP do Brasil de F1

Desde o ano passado, as duas cidades travam uma disputa para receber a etapa brasileira da F1 no futuro. Embora a capital paulista já tenha um autódromo pronto e bastante popular, falta à 'candidatura' paulistana o aporte financeiro que os cariocas dizem ter.

Por mais que tenha contrato para mais um GP em 2020 - a realização da etapa ainda não está confirmada em função do coronavírus -, São Paulo tem o 'ônus' de de ser uma das duas provas da F1, junto de Mônaco, que não pagam taxa para a categoria para sediar uma corrida.

Os promotores da etapa de Interlagos querem uma renovação de longo prazo com a F1. Porém, enfrentam a concorrência fluminense, que tem exclusividade de negociação com a Liberty Media, dona da categoria, no presente momento. O Rio teria oferecido cerca de US$ 65 milhões (R$ 353 milhões). Já São Paulo teria feito proposta de US$ 20 milhões (R$ 109 milhões). Segundo o jornal Estadão, os cariocas estariam perto de desbancar os paulistas.

Presidente Bolsonaro quer F1 no Rio

O projeto de levar a F1 para o Rio tem forte apoio político do presidente. O mandatário é paulista, mas fez sua carreira política no Rio e um de seus filhos, Flávio Bolsonaro, é senador pelo estado. Outro herdeiro de Jair, Carlos Bolsonaro é vereador na capital. Todos já defenderam publicamente a construção do autódromo em Deodoro. A iniciativa também tem contrato para receber a MotoGP em 2022, mas as obras ainda parecem longe de começar.

De todo modo, a Secretaria de Esporte do Rio de Janeiro aprovou, em novembro, o projeto para a realização da prova por dez anos na na capital, autorizando captação de R$ 302 milhões em incentivos fiscais para o GP do Brasil de F1 em 2021 e 2022.

Seriam R$ 151 milhões por evento, mas, como o valor começará a ser pago antes, não haverá estouro do limite de R$ 138 milhões anuais previsto pela Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF). O valor será investido para pagar parte da taxa à Liberty Media para a realização da prova.

Q4: Mercedes voa, Stroll dá as caras, Ferrari avança e Red Bull regride na Hungria

Chefe da Mercedes detona insinuações da Ferrari: "Mais uma bobagem"

Artigo anterior

Chefe da Mercedes detona insinuações da Ferrari: "Mais uma bobagem"

Próximo artigo

PÓDIO: Lucas di Grassi e Rico Penteado comentam domínio da Mercedes no GP da Hungria

PÓDIO: Lucas di Grassi e Rico Penteado comentam domínio da Mercedes no GP da Hungria
Carregar comentários

Sobre esta matéria

Categoria Fórmula 1