Fórmula 1 confirma a saída de Sean Bratches, diretor comercial

compartilhar
comentários
Fórmula 1 confirma a saída de Sean Bratches, diretor comercial

Dirigente norte-americano deixa cargo para ficar com a família, mas continuará sendo consultor da F1 desde sua casa nos EUA

Conforme antecipado pelo Motorsport.com, o diretor comercial da Fórmula 1, Sean Bratches, deixará a categoria máxima do automobilismo. Em comunicado oficial desta segunda-feira, a F1 anunciou que o dirigente norte-americano deixará o posto no fim de janeiro.

Ainda de acordo com o documento divulgado, Bratches continuará ligado ao campeonato de elite do esporte a motor em funções de consultoria, de modo que seguirá contribuindo com a F1 direto dos Estados Unidos.

Leia também:

O dirigente ingressou na F1 simultaneamente à aquisição da categoria pela Liberty Media em janeiro de 2017, com a missão de estabelecer um grupo comercial de alto nível, uma função que anteriormente não existia sob o comando do proprietário anterior, Bernie Ecclestone, que centralizava todas as ações. Assim, Bratches foi o homem-forte dos negócios da categoria por praticamente três anos.

Neste período, segundo a F1, "Sean construiu e liderou uma equipe que transformou o negócio comercial de uma empresa predominantemente de esporte a motor a uma marca líder global de mídia e entretenimento".

Durante seu 'mandato', a F1 ampliou seu portfólio de patrocinadores, renovou os principais acordos de corridas que já estavam no calendário e anunciou duas novas corridas para a F1, destaca o comunicado oficial.

Outros aspecto salientado é a ampliação dos negócios digitais da F1, com protagonismo para uma nova plataforma de web e podcasts, por exemplo. Ainda de acordo com o documento, houve aumento de participação em corridas, audiência televisiva e engajamento digital.

Além disso, Bratches criou e supervisionou muitas iniciativas voltadas para marcas e fãs, incluindo a renomada série da Netflix Drive to Survive, bem como iniciativas na área de eSports e outros eventos correlatos.

“Quero agradecer a Sean, em nome de todos na F1, pela liderança e experiência que ele deu à equipe de negócios nos últimos três anos. Sean transformou o lado comercial da F1 e um testemunho de seu trabalho é mostrado em nosso momento de crescimento. Estou satisfeito que Sean continuará sendo um consultor para nós de sua casa nos EUA, ele sempre fará parte da família e estou ansioso por seus conselhos. Desejo-lhe tudo de melhor", disse Carey.

"Os últimos três anos na F1 foram uma jornada incrível, que eu desfrutei completamente. Agradeço à equipe da F1 por seus extraordinários esforços, eles são os melhores e estou confiante de que continuarão servindo os fãs e cumprindo a estratégia que estabelecemos nos próximos anos. Tenho orgulho de deixar a F1 em uma posição melhor do que quando entrei em 2017 e sei que a fundação que criamos como equipe continuará a atingir novos públicos", disse Bratches.

Relembre todas as marcas brasileiras que já estiveram nos carros da F1

Galeria
Lista

1975 - Empresa brasileira da área de açúcar e etanol, a Copersucar entrou na F1 em 1975 com equipe própria.

1975 - Empresa brasileira da área de açúcar e etanol, a Copersucar entrou na F1 em 1975 com equipe própria.
1/28

Foto de: LAT Images

1976 - Nos primeiros anos, a marca da empresa era a única estampada em seus carros.

1976 - Nos primeiros anos, a marca da empresa era a única estampada em seus carros.
2/28

Foto de: LAT Images

1977 - Até a chegada de marcas que timidamente, começaram a apoiar a iniciativa.

1977 - Até a chegada de marcas que timidamente, começaram a apoiar a iniciativa.
3/28

Foto de: LAT Images

Em 1978, a Varig, extinta companhia aérea fechou uma parceria de transporte com a Arrows na F1.

Em 1978, a Varig, extinta companhia aérea fechou uma parceria de transporte com a Arrows na F1.
4/28

Foto de: LAT Images

1979 - Como os lubrificantes Varga, que se juntou à Copersucar em 1979.

1979 - Como os lubrificantes Varga, que se juntou à Copersucar em 1979.
5/28

Foto de: Jean-Philippe Legrand

Nelson Piquet contou com o apoio de empesas como Brastemp e Caracu.

Nelson Piquet contou com o apoio de empesas como Brastemp e Caracu.
6/28

Foto de: Sutton Motorsport Images

Em 1980, a Skol foi a patrocinadora principal da equipe de Emerson Fittipaldi. No entanto, a cervejaria, muito famosa no Brasil, foi fundada por um consórcio de empresas europeias e tem suas origens na Bélgica e África do Sul. Hoje, a Inbev detém os direitos da marca na América do Sul.

Em 1980, a Skol foi a patrocinadora principal da equipe de Emerson Fittipaldi. No entanto, a cervejaria, muito famosa no Brasil, foi fundada por um consórcio de empresas europeias e tem suas origens na Bélgica e África do Sul. Hoje, a Inbev detém os direitos da marca na América do Sul.
7/28

Foto de: LAT Images

A força dos pilotos brasileiros passou a atrair marcas para a categoria. Também confundida como marca brasileira, a Parmalat, que tem forte presença no Brasil, é uma empresa italiana.

A força dos pilotos brasileiros passou a atrair marcas para a categoria. Também confundida como marca brasileira, a Parmalat, que tem forte presença no Brasil, é uma empresa italiana.
8/28

Foto de: LAT Images

1981 - A equipe de Fittipaldi atraiu a marca de bicicletas Caloi, em 1981.

1981 - A equipe de Fittipaldi atraiu a marca de bicicletas Caloi, em 1981.
9/28

Foto de: LAT Images

1981 - Além da seguradora Atlântica Boavista.

1981 - Além da seguradora Atlântica Boavista.
10/28

Foto de: LAT Images

1982 - E de outras, como a Brasilinvest.

1982 - E de outras, como a Brasilinvest.
11/28

Foto de: LAT Images

e o Sal Cisne.

e o Sal Cisne.
12/28

Foto de: LAT Images

1982 - Além do Café do Brasil.

1982 - Além do Café do Brasil.
13/28

Foto de: Jean-Philippe Legrand

Senna chegou à F1 apoiado pelo Banco Nacional.

Senna chegou à F1 apoiado pelo Banco Nacional.
14/28

Foto de: LAT Images

Rubens Barrichello atraiu a empresa especializada em molhos e enlatados, Arisco.

Rubens Barrichello atraiu a empresa especializada em molhos e enlatados, Arisco.
15/28

Foto de: Sutton Motorsport Images

Em 1994, a churrascaria Fogo de Chão patrocinou a equipe Simtek no GP do Brasil, pagando a publicidade com fornecimento de refeições. A empresa já havia feito o mesmo em outras temporadas no início dos anos 90.

Em 1994, a churrascaria Fogo de Chão patrocinou a equipe Simtek no GP do Brasil, pagando a publicidade com fornecimento de refeições. A empresa já havia feito o mesmo em outras temporadas no início dos anos 90.
16/28

Foto de: LAT Images

Em meados dos anos 90, o grupo Pão de Açúcar, da família do brasileiro Pedro Paulo Diniz investiu na Forti Corse, expondo marcas vendidas nos supermercados da rede que apoiaram a empreitada do brasileiro e de Roberto Moreno.

Em meados dos anos 90, o grupo Pão de Açúcar, da família do brasileiro Pedro Paulo Diniz investiu na Forti Corse, expondo marcas vendidas nos supermercados da rede que apoiaram a empreitada do brasileiro e de Roberto Moreno.
17/28

Foto de: LAT Images

Diversas marcas estiveram presentes no carro da equipe ao longo da temporada.

Diversas marcas estiveram presentes no carro da equipe ao longo da temporada.
18/28

Foto de: LAT Images

No entanto, a presença de maior peso na F1 foi da Petrobras, que se associou a Williams em 1999.

No entanto, a presença de maior peso na F1 foi da Petrobras, que se associou a Williams em 1999.
19/28

Foto de: Sutton Motorsport Images

Permanecendo com a equipe até 2008.

Permanecendo com a equipe até 2008.
20/28

Foto de: XPB Images

Com a transferência de Massa para a Williams em 2014, a petrolífera voltou a estampar sua marca na equipe.

Com a transferência de Massa para a Williams em 2014, a petrolífera voltou a estampar sua marca na equipe.
21/28

Foto de: Sutton Motorsport Images

Nos anos mais recentes, o Banco do Brasil foi principal patrocinador da Sauber durante a permanência de Felipe Nasr na equipe.

Nos anos mais recentes, o Banco do Brasil foi principal patrocinador da Sauber durante a permanência de Felipe Nasr na equipe.
22/28

Foto de: XPB Images

Desde 2018 a Petrobras esteve próxima à McLaren, fazendo a parceria oficial no início deste ano.

Desde 2018 a Petrobras esteve próxima à McLaren, fazendo a parceria oficial no início deste ano.
23/28

Foto de: Simon Galloway / Motorsport Images

Parceria desfeita dez meses depois.

Parceria desfeita dez meses depois.
24/28

Foto de: Glenn Dunbar / Motorsport Images

A cerveja Itaipava, a bebida energética TNT e o Banco do Brasil também estiveram nos carros da Brawn, em 2009.

A cerveja Itaipava, a bebida energética TNT e o Banco do Brasil também estiveram nos carros da Brawn, em 2009.
25/28

Foto de: XPB Images

Bruno Senna ostentou as marcas da Embratel e da OGX de Eike Batista pela Hispania, em 2010.

Bruno Senna ostentou as marcas da Embratel e da OGX de Eike Batista pela Hispania, em 2010.
26/28

Foto de: XPB Images

Mauricio Gugelmin era o garoto-propaganda da Perdigão na March.

Mauricio Gugelmin era o garoto-propaganda da Perdigão na March.
27/28

Foto de: Rainer W. Schlegelmilch

O Banco Safra esteve no carro da Tyrrell de Ricardo Rosset em 1997 e 1998

O Banco Safra esteve no carro da Tyrrell de Ricardo Rosset em 1997 e 1998
28/28

Foto de: LAT Images

Confira as datas de lançamento dos carros da Fórmula 1 em 2020

Artigo anterior

Confira as datas de lançamento dos carros da Fórmula 1 em 2020

Próximo artigo

Chefão da Red Bull não lamenta saída de Sainz: "Não é Verstappen"

Chefão da Red Bull não lamenta saída de Sainz: "Não é Verstappen"
Carregar comentários

Sobre esta matéria

Categoria Fórmula 1