Fórmula 1
10 out
-
13 out
Evento encerrado
24 out
-
27 out
Evento encerrado
01 nov
-
03 nov
Evento encerrado
14 nov
-
17 nov
Evento encerrado
28 nov
-
01 dez
Evento encerrado

Newey completa 60 anos; confira os 10 melhores carros criados pelo "mago da F1"

compartilhar
Newey completa 60 anos; confira os 10 melhores carros criados pelo "mago da F1"
26 de dez de 2018 15:28

Triunfando em mais de 150 GPs e dez campeonatos de construtores, o projetista inglês marcou época no esporte. Mas quais foram suas melhores criações até hoje?

Galeria
Lista

10 March 85C - 1985

10 March 85C - 1985
1/10

Foto de: LAT Images

Depois de atuar no programa de carros esportivos da March nos anos anteriores, Newey provou que era um gênio dos monopostos com o carro Indy que foi um sucesso entre os times e venceu as 500 Milhas de Indianápolis (a famosa vitória de Danny Sullivan em 1985, quando rodou e ainda venceu). Os carros que se seguiram também foram bem vistos, o que o fez entrar no radar da F1.

9 March 881 - 1988

9 March 881 - 1988
2/10

Foto de: Sutton Motorsport Images

Seu primeiro carro de Fórmula 1 superou as expectativas, e fez subir o sarrafo na F1 em termos de aerodinâmica (confira o bico e as endplates feitas nos mínimos detalhes) e carenagem apertada – alvo de reclamações dos pilotos Ivan Capelli e Mauricio Gugelmin. O que o motor aspirado Judd V8 não tinha nas retas comparado com os turbos, os pilotos conseguiram compensar nas curvas. Capelli foi o único piloto não-turbo a liderar uma volta durante toda a temporada no Japão, e conseguiu dois pódios.

8 Red Bull RB6 - 2010

8 Red Bull RB6 - 2010
3/10

Foto de: Sutton Motorsport Images

O primeiro de uma linhagem de carros vencedores de título da Red Bull. Os níveis de downforce que Newey conseguiu extrair em comparação com todos os rivais ajudaram a impulsionar Sebastian Vettel para seu primeiro de quatro campeonatos. Isso foi conseguido em um dramático confronto em Abu Dhabi, auxiliado por um erro de estratégia da Ferrari, que resultou no favorito ao título, Fernando Alonso, ficando atrás do piloto da Renault, Vitaly Petrov. Este foi o início da dominação da Red Bull.

7 Williams FW18 - 1996

7 Williams FW18 - 1996
4/10

Foto de: Sutton Motorsport Images

Após a decepção da derrota para Michael Schumacher e para a Benetton nas duas temporadas anteriores, a transferência de Schumacher para a Ferrari abriu as portas para Damon Hill ter uma chance clara de título. O FW18 tinha um difusor diferente, e se tornou a arma desejada vencendo 12 das 16 corridas, com o novo companheiro de equipe do britânico, Jacques Villeneuve, lhe fazendo forte oposição. Newey deixaria a equipe antes do final da temporada, com destino à McLaren, mas não antes de projetar a FW19, que levou Villeneuve ao título no ano seguinte.

6 McLaren MP4/20 - 2005

6 McLaren MP4/20 - 2005
5/10

Foto de: Sutton Motorsport Images

Enquanto este carro não ganhou nenhum dos títulos, ganhou mais corridas do que a concorrência em 2005. Falhas técnicas – especialmente no começo da temporada – custaram muito caro a Kimi Raikkonen, com o companheiro de equipe Juan Pablo Montoya também ficando fora de duas corridas após se machucar jogando tênia. O colombiano conseguiu três vitórias frente às sete de Raikkonen. Apesar de um bom final de temporada, durante a qual a McLaren venceu seis das últimas sete corridas, Raikkonen terminou em segundo lugar atrás de Alonso, na Renault.

5 Red Bull RB7 - 2011

5 Red Bull RB7 - 2011
6/10

Foto de: Sutton Motorsport Images

Com o primeiro título conquistado em 2010, a Red Bull ganhou força, vencendo 12 de 19 corridas em 2011, permitindo a Vettel conquistar seu segundo título. Apenas Lewis Hamilton, da McLaren (na Coréia do Sul) tirou da Red Bull – entre Vettel e Mark Webber – o numero perfeito de pole positions na temporada. O time venceu o campeonato de construtores com mais de 150 pontos de vantagem.

4 Williams FW14B - 1992

4 Williams FW14B - 1992
7/10

Foto de: LAT Images

Depois de unir forças com o lendário diretor técnico da Williams, Patrick Head, o gênio aerodinâmico Newey colheu dividendos. Depois de um 1991 marcado pela falta de confiabilidade, onde o FW14 se mostrou imensamente rápido, mas incrivelmente frágil (foi o primeiro carro Williams com transmissão semi-automática com borboletas), o refinado 14B – que adicionou suspensão ativa – foi a arma perfeita para Nigel Mansell dominar o campeonato mundial de 1992. Mansell venceu nove corridas e o título à frente do companheiro de equipe de Ricciardo Patrese. No total, o FW14 venceu 17 corridas em duas temporadas. Absolutamente poderoso.

3 McLaren MP4/13 - 1998

3 McLaren MP4/13 - 1998
8/10

Foto de: LAT Images

O advento de carros mais estreitos e pneus ranhurados para 1998 permitiu a Newey uma oportunidade de saltar à frente de seus rivais da F1, e com o MP4/13 tudo deu certo. Ele baixou o centro de gravidade do carro para minimizar a transferência de peso. Embora Schumacher tenha pressionado o finlandês Mika Hakkinen durante uma épica luta pelo título, as oito vitórias de Mika o impulsionaram para seu primeiro campeonato. Além do sucesso, o carro também era lindo na pintura prateada.

2 Red Bull RB9 - 2013

2 Red Bull RB9 - 2013
9/10

Foto de: Sutton Motorsport Images

Foi o melhor carro da era da Red Bull, e uma grande saída da era V8. Vettel tornou-se o terceiro piloto na história a conquistar quatro títulos consecutivos de F1, terminando a temporada com uma sequência incrível de nove corridas de vitórias seguidas (empatando com o recorde de Alberto Ascari), após já ter conseguido quatro vitórias na primeira metade da temporada. O carro era tão bom que provocou rumores de controle de tração induzido pelo KERS, truque de mapeamento de motor e flexão do assoalho além do limite – levando inclusive a FIA a submetê-lo a testes rigorosos. Vettel ainda encontrou tempo para enfurecer seu companheiro de equipe Mark Webber no fiasco do multi-21 da Malásia. Você lembra?

1 Williams FW15C - 1993

1 Williams FW15C - 1993
10/10

Foto de: LAT Images

Partindo de onde o FW14B havia parado, esse talvez foi o carro de F1 mais avançado tecnicamente da história. Ao contrário de seu antecessor, ele foi projetado desde o início com suspensão ativa, permitindo que Newey limpasse seu pacote aerodinâmico e reduzisse sua área frontal. Isso deu margem de manobra para adicionar uma asa traseira maior para pistas de alto downforce. O ABS também estava disponível, e o sistema de suspensão ativa do carro até permitia que os pilotos Alain Prost e Damon Hill ajustassem a inclinação do carro nas retas para eliminar o arrasto do difusor para ajudar as ultrapassagens (e você achando que o DRS era uma ideia nova...). Prost conseguiu seu quarto campeonato mundial e se aposentou no final da temporada, enquanto Hill conseguiu suas primeiras três vitórias na F1.

Próximo artigo
Williams: Orçamento triplicado não ajudaria carro de 2018

Artigo anterior

Williams: Orçamento triplicado não ajudaria carro de 2018

Próximo artigo

Lauda diz que transplante de pulmão foi pior que acidente em Nurburgring

Lauda diz que transplante de pulmão foi pior que acidente em Nurburgring

Sobre esta matéria

Categoria Fórmula 1 , IndyCar
Pilotos Adrian Newey