Pilotos relatam problemas para ultrapassar com novos carros

compartilhar
comentários
Pilotos relatam problemas para ultrapassar com novos carros

Valtteri Bottas, Lewis Hamilton, Esteban Ocon e Felipe Massa relataram dificuldades em seguir rivais de perto durante o GP da Austrália

Podium: race winner Sebastian Vettel, Ferrari, second place Lewis Hamilton, Mercedes AMG F1, third place Valtteri Bottas, Mercedes AMG F1
Stoffel Vandoorne, McLaren MCL32
Felipe Massa, Williams FW40, leads Kevin Magnussen, Haas F1 Team VF-17
Felipe Massa, Williams FW40, leads Daniil Kvyat, Scuderia Toro Rosso STR12, Carlos Sainz Jr., Scuderia Toro Rosso STR12, Sergio Perez, Force India VJM10, and the remainder of the field at the start
Valtteri Bottas, Mercedes AMG F1 W08, leads Kimi Raikkonen, Ferrari SF70H, and Max Verstappen, Red Bull Racing RB13
Max Verstappen, Red Bull Racing RB13, leads Esteban Ocon, Force India VJM10
Romain Grosjean, Haas F1 Team VF-17, leads Carlos Sainz Jr., Scuderia Toro Rosso STR12, and Sergio Perez, Force India VJM10
Lance Stroll, Williams FW40, Jolyon Palmer, Renault Sport F1 Team RS17, Stoffel Vandoorne, McLaren MCL32
Fernando Alonso, McLaren MCL32, Esteban Ocon, Force India VJM10
Max Verstappen, Red Bull Racing RB13, leads Felipe Massa, Williams FW40
Esteban Ocon, Force India VJM10
Felipe Massa, Williams FW40
Felipe Massa, Williams FW40

Pilotos da F1 relataram ter enfrentado dificuldades para acompanhar os rivais na pista e realizarem manobras de ultrapassagem na primeira etapa da temporada de 2017, realizada em Melbourne, na Austrália.

A corrida representou a primeira vez que a nova geração de carros compete entre si na pista. Muitos pilotos haviam mostrado preocupação de que o novo regulamento poderia reduzir drasticamente o número de ultrapassagens, pois os carros, que agora possuem maior pressão aerodinâmica, poderiam ter problemas para acompanhar os rivais de perto.

Terceiro colocado na corrida, Valtteri Bottas, da Mercedes, revelou ter sentido um efeito muito maior da turbulência em relação ao que acontecia até o ano passado. O finlandês perseguiu seu companheiro de equipe, Lewis Hamilton, na fase final da corrida, mas não conseguiu nem chegar perto de tentar uma manobra.

“Nos anos anteriores já era difícil seguir o carro da frente uma vez que chegássemos 1s, 1s5 atrás. O ar turbulento do carro da frente bagunça a aerodinâmica e, assim, não temos aderência. Agora, como a aderência do carro depende ainda mais da aerodinâmica, o efeito é ainda maior. Os carros são mais largos, então há ainda mais turbulência, e isso começa com 2s, até 2s5 de distância. Você sente na forma como vai contornar as curvas que é mais difícil também de conseguir o vácuo. Esse é o problema”, explicou Bottas nas entrevista coletiva realizada após o GP.

Já Hamilton, que ficou “empacado” atrás de Max Verstappen em um momento crucial da corrida, também teve dificuldades. “É difícil de seguir [o carro da frente] e, para mim, foi muito pior, como eu previa. Espero que isso não signifique que será assim pelo resto do ano. Não sei se foi empolgante de assistir, mas eu quero seguir os outros carros de perto, com batalhas roda a roda, e não nos pitstops como foi hoje”, analisou.

Felipe Massa, da Williams, que já havia alertado durante a pré-temporada sobre os possíveis problemas para ultrapassar, contou que suas suspeitas se confirmaram no GP da Austrália. “Sim [será difícil]. Eu ultrapassei só na largada, mas, agora, será muito mais difícil para ultrapassar. Para o piloto é divertido – o carro é divertido de pilotar, mas as ultrapassagens são mais difíceis do que era antigamente”, disse, em entrevista à Sky Sports F1.

Esteban Ocon, da Force India, afirmou que a manobra diante de Fernando Alonso, uma das raras ultrapassagens vistas no GP, foi fruto de um longo esforço. “Passei quase a corrida inteira lutando com Fernando, porque estávamos lado a lado na primeira volta. Ele conseguiu permanecer à frente e tive de persegui-lo por toda a tarde. Foi uma batalha dura porque Fernando é um oponente duro e também porque é difícil demais de se aproximar e ultrapassar. Eventualmente eu encontrei uma brecha nas últimas voltas e aproveitei minha chance”, disse o francês, 10º colocado na prova.

Em dia para esquecer, Ricciardo se diz feliz por fim de GP

Artigo anterior

Em dia para esquecer, Ricciardo se diz feliz por fim de GP

Próximo artigo

Wolff: Ritmo, e não estratégia, deu vitória à Ferrari

Wolff: Ritmo, e não estratégia, deu vitória à Ferrari
Carregar comentários