Fórmula E mira fabricantes japoneses e norte-americanos

CEO da categoria, Alejandro Agag afirmou que quer atrair japoneses e americanos para se juntarem à série em um futuro próximo

Fórmula E mira fabricantes japoneses e norte-americanos
Jose Maria Lopez, DS Virgin Racing, battles with Lucas di Grassi, ABT Schaeffler Audi Sport
Lucas di Grassi, ABT Schaeffler Audi Sport, celebrates with his team after winning the championship
Lucas di Grassi, ABT Schaeffler Audi Sport, celebrates with his team after winnin the championship
Jean-Eric Vergne, Techeetah, celebrates with his team after winning the race
Start: Felix Rosenqvist, Mahindra Racing leads
Tom Dillmann, Venturi, Stéphane Sarrazin, Techeetah spins
Lucas di Grassi, ABT Schaeffler Audi Sport, celebrates with his team after winning the Championship
Carregar reprodutor de áudio

Falando com a equipe do Motorsport.com em Montreal, o CEO da Fórmula E, Alejandro Agag não conseguiu confirmar presença de Japão e Estados Unidos, mas que estes países estão na mira da categoria.

"Espero que eles [fabricantes japoneses e americanos] venham em breve", disse Agag. "Como todos, eu ouvi alguns rumores, mas não posso confirmar nada nesse sentido."

"Realmente queremos ter um fabricante japonês, talvez mais de um, e espero que eles venham o quanto antes. Para nós, o Japão é um mercado-chave, e então queremos um fabricante japonês e americano."

Toyota dificilmente seguirá para a F-E

O último fabricante a se juntar à categoria foi a Porsche, que encerrará seu investimento na LMP1 no WEC, para se preparar para a sexta temporada da Fórmula E.

É um movimento que deixa a Toyota como a única fabricante na LMP1 a partir de 2018, mas o Motorsport.com apurou que é improvável que siga para a categoria dos carros elétricos, pelo menos a curto prazo, e que sua prioridade será garantir a primeira vitória em Le Mans.

Agag manteve poucas conversas com a Toyota antes da primeira temporada, mas disse que estava relutante em tentar atrair outro fabricante do WEC.

"Não tivemos muitas conversas com a Toyota", acrescentou. "Nós os conhecemos e eu visitei há alguns anos quando estava no Japão, mas não tivemos nada além disso."

"Acho que agora mesmo eles provavelmente estão analisando seus futuros passos e então veremos."

"Eu não quero ir muito longe no convite de mais fabricantes, porque talvez os outros campeonatos ficariam chateados comigo."

Relatos adicionais por René Fagnan

compartilhar
comentários
Wehrlein descarta ida à Fórmula E: “Gosto de barulho”
Artigo anterior

Wehrlein descarta ida à Fórmula E: “Gosto de barulho”

Próximo artigo

Buemi pede desculpas por discussões em Montreal

Buemi pede desculpas por discussões em Montreal
Carregar comentários