Tradição ou negócio? Fracasso de Alonso traz opiniões distintas sobre Bump Day

compartilhar
comentários
Tradição ou negócio? Fracasso de Alonso traz opiniões distintas sobre Bump Day
20 de mai de 2019 18:11

Donos das principais equipes do grid da Indy defendem que times que estão no campeonato o ano inteiro tenham lugares garantidos para Indy 500 e que tradição seja interrompida

Fernando Alonso, bicampeão mundial de F1, deu adeus à tentativa de completar a Tríplice Coroa do automobilismo em 2019, após ele e a McLaren ficarem de fora da 103ª edição das 500 Milhas de Indianápolis, no chamado “Bump Day”, treino que elimina o excedente de inscritos para as 33 vagas do grid da maior corrida da Indy.

A eliminação do espanhol, que não está no campeonato de maneira integral, vem na sequência de outra dolorida desclassificação, a de James Hinchcliffe, que ficou de fora da prova do ano passado, passando pela mesma peneira. “Hinch” chegou a ficar em perigo em 2019, mas se garantiu para a largada da competição do próximo domingo.

James Hinchcliffe, Schmidt Peterson Motorsports Honda

James Hinchcliffe, Schmidt Peterson Motorsports Honda

Photo by: Geoffrey M. Miller / LAT Images

Leia também:

No passado recente, o caso mais emblemático aconteceu no ano de 1995, quando a Penske ficou de fora com dois carros, um deles o de Emerson Fittipaldi, além de Al Unser Jr.

Por essas e outras razões, o lendário Roger Penske é uma das vozes ativas que defendem, ao menos, a garantia de que os times que estão no campeonato de maneira integral tenham lugar no grid, ao contrário do que é hoje.

"O Bump Day é assim. Em 1995 chegamos aqui como campeões e fomos embora sem ter dois carros. E tínhamos os melhores pilotos da época", disse Penske neste domingo.

“Acho que precisamos dar um passo atrás, analisar isso e ter certeza de que as pessoas que se comprometeram com uma temporada inteira saibam que têm um lugar na Indy 500, porque o mundo mudou”, afirmou.

Mas defendendo a tradição do sistema está um peso pesado do paddock de qualquer categoria do mundo: Mario Andretti.

“Discordo respeitosamente do Sr. Penske sobre isso, porque acho que não podemos violar a tradição aqui. A tradição é tão forte e é isso que permite que esse lugar mantenha a mística. Você tem que ganhar um lugar aqui, e se você não conseguir, isso não deve ser dado como um presente.”

Mario Andretti

Mario Andretti

Photo by: IndyCar Series

Mas contra a lenda do automobilismo, está outro nome forte da Indy, Chip Ganassi que concorda com seu principal rival da categoria: "Ele sabe como é não estar aqui. Isso nunca aconteceu conosco, mas, concordo com ele. Quando você está comprometido com a categoria o ano todo, quer e deveria correr o ano todo".

Mas ter uma garantia para o grid da maior corrida da categoria do ano poderia evitar histórias de "Cinderela", como se costuma dizer nos Estados Unidos. Um exemplo mais recente foi a edição de 2018, quando James Davison, vice-campeão da Indy Lights de 2009, bateu na sexta-feira, véspera do Bump Day. Sua pequena equipe, a Byrd em parceria com a Foyt, trabalho fervorosamente na recuperação do carro para estar pronto no dia seguinte.

E ele conseguiu chegar ao grid, após ser mais rápido que Pippa Mann – que fez Alonso ir para a decisão de domingo e se garantiu neste ano -  e, nada menos do que James Hinchcliffe. Se a Indy tivesse adotado a regra que garante aqueles que estão no campeonato em tempo integral, como a dupla Penske/Ganassi deseja, Davison veria seus sonhos irem embora antes mesmo de tentar.

James Davison, A.J. Foyt Enterprises with Byrd / Hollinger / Belardi Chevrolet

James Davison, A.J. Foyt Enterprises with Byrd / Hollinger / Belardi Chevrolet

Photo by: Michael L. Levitt / LAT Images

Próximo artigo
E agora, Alonso? Com sonho da Tríplice Coroa adiado, espanhol tem futuro indefinido no automobilismo

Artigo anterior

E agora, Alonso? Com sonho da Tríplice Coroa adiado, espanhol tem futuro indefinido no automobilismo

Próximo artigo

Pagenaud lidera penúltimo teste antes da Indy 500; brasileiros vão bem

Pagenaud lidera penúltimo teste antes da Indy 500; brasileiros vão bem
Carregar comentários

Sobre esta matéria

Categoria IndyCar
Seja o primeiro a receber as últimas notícias