MotoGP
14 ago
Evento encerrado
21 ago
Evento encerrado
R
GP da Grã-Bretanha
27 ago
Canceled
15 out
Próximo evento em
24 dias
R
GP de Aragón
16 out
Próximo evento em
25 dias
R
GP de Teruel
23 out
Próximo evento em
32 dias
R
GP da Austrália
23 out
Canceled
R
GP da Malásia
29 out
Canceled
R
GP da Europa
06 nov
Próximo evento em
46 dias
R
GP de Valência
13 nov
Próximo evento em
53 dias
R
GP de Portugal
20 nov
Próximo evento em
60 dias

MotoGP limita regras aerodinâmicas para temporada 2019

compartilhar
comentários
MotoGP limita regras aerodinâmicas para temporada 2019
Por:

Times não poderão mais montar novas estruturas no pacote aerodinâmico existente

Desde a proibição das aletas no final da temporada de 2016, as fabricantes da MotoGP desenvolveram pacotes aerodinâmicos mais complexos em uma tentativa de replicar os efeitos de aumento de downforce dos dispositivos proibidos.

Atualmente, as equipes estão restritas a dois projetos diferentes de carenagem por temporada: uma versão 'padrão' que deve ser homologada antes do início da temporada e uma 'evolução' que pode ser introduzida em qualquer corrida do ano. Os pilotos estão então livres para alternar entre os dois projetos.

No entanto, alguns fabricantes - principalmente a Ducati - incorporaram projetos com várias seções, que podem ser adicionadas e removidas para atender às exigências aerodinâmicas das diferentes pistas.

Esta prática será proibida em 2019, de acordo com um comunicado divulgado pela MotoGP após uma reunião da Comissão do Grande Prêmios na semana passada em Assen.

"As diretrizes de projeto de corpo aerodinâmico foram divulgadas pelo Diretor Técnico. Foram introduzidas novas dimensões e limites do corpo aerodinâmico e foram introduzidas limitações à combinação de diferentes partes do corpo do veículo."

"Como resultado, os designs atuais ainda serão permitidos, mas não será possível remover/trocar peças aerodinâmicas significativas."

Outra área em que serão impostos limites mais rigorosos para 2019 é a eletrônica, especificamente com a introdução de uma "plataforma inercial unificada".

Isso segue a adoção da MotoGP de uma ECU (Unidade de Controle Eletrônico) única para a temporada de 2016, concebida para reprimir as práticas das equipes que utilizam a plataforma inercial para alimentar os diferentes dados da ECU sobre o que a moto está fazendo e obter uma vantagem com isso.

Crutchlow: Honda sofre ao andar no meio do pelotão

Artigo anterior

Crutchlow: Honda sofre ao andar no meio do pelotão

Próximo artigo

Pedrosa revelará futuro na MotoGP na Alemanha

Pedrosa revelará futuro na MotoGP na Alemanha
Carregar comentários

Sobre esta matéria

Categoria MotoGP
Autor Jamie Klein