Arthur Zanetti pilota Stock e fala da paixão por corridas

Campeão olímpico em 2012, ginasta visita Stock Car em Curitiba e se encanta com mundo da velocidade

Arthur Zanetti pilota Stock e fala da paixão por corridas
Zanetti e Abreu
Abreu e Zanetti
Átila Abreu e Arthur Zanetti
Átila Abreu e Arthur Zanetti
Zanetti pilota Stock Car
Arthur Zanetti e Átila Abreu
Zanetti e Abreu
Átila Abreu
Átila Abreu
Átila Abreu
Carregar reprodutor de áudio

Medalhista de prata nas argolas na Olimpíada do Rio de Janeiro neste ano e campeão olímpico na mesma modalidade no ano de 2012, Arthur Zanetti visitou a nona etapa da Stock Car, ocorrida neste último final de semana em Curitiba, Paraná.

A convite do piloto Átila Abreu, ele imergiu no mundo da velocidade, chegando a até mesmo pilotar um carro bem próximo do utilizado pelos pilotos profissionais na categoria.

Presença em alguns GPs do Brasil de Fórmula 1 nos últimos anos e acompanhando de perto a ação de pista em Curitiba desde a quinta-feira, Zanetti falou de seu amor paralelo pelos carros e pelas competições.

“Eu curto demais automobilismo”, disse ao Motorsport.com.

“Gosto muito de tudo que tem motor. Essa minha paixão vem desde criança. Meu pai sempre gostou muito de corrida, e o meu irmão é mecânico também. Conviver com eles aprofundou isso em mim. É um esporte diferente, tem uma adrenalina diferente. Admiro muito todos os pilotos, e a cada ano que passa essa paixão aumenta.”

“Sempre acompanhei Fórmula 1 e Stock Car. Obviamente com a minha atividade é difícil de estar vendo sempre, porque viajamos e precisamos manter a concentração. Mas, quando estamos em casa, pode até ser de madrugada, mas sempre vemos as corridas.”

Mas, para Arthur, a primeira paixão sempre foi a ginástica: “meus amores nunca rivalizaram.”

“A ginástica sempre foi a prioridade, e o esporte a motor sempre foi um hobby. Eu até gostaria quem sabe de guiar no futuro, mas por enquanto a gente sabe que não dá. A gente anda de carro às vezes, mas é só por brincadeira.”

“É mais pela brincadeira. Meu irmão trabalha em uma oficina em São Paulo. Eles fazem manutenção e preparação de carros. Quando estou livre, ele sempre me liga: ‘vem aqui porque trouxeram um Porsche, um Audi aqui’. Aí acabo indo lá rapidinho para dar uma olhada. Quando o carro vai para o dinamômetro é uma grande emoção.”

Depois de andar e pilotar um Stock Car, Zanetti diz que reconhece muito mais o esforço dos pilotos da categoria. “O respeito que eu tenho por quem corre aqui é total. Às vezes você acha que guiar é fácil, só virar o volante e trocar marchas.”

“O carro chega a 40°C, 50°C. Você faz sauna nesta temperatura e não aguenta. Só que aqui você sofre com essa temperatura por uma hora com o carro te jogando para todos os lados. Meu respeito por todos aqui é muito grande.”

Falando de seus ídolos no automobilismo, o atual vice-campeão olímpico disse que gosta bastante de ver vídeos antigos de Fórmula 1 na internet. “Gosto muito do Hamilton – acompanho a carreira dele há muito tempo. Obviamente também do Massa e do Barrichello.”

“Não os acompanhei muito porque tenho 26 anos, mas admiro muito Senna e Piquet também. Obviamente vejo os vídeos deles no YouTube. Daí a gente vê o quanto essas caras eram grandes.”

compartilhar
comentários
Líder por 44 pontos, Fraga não pensa em ser cauteloso
Artigo anterior

Líder por 44 pontos, Fraga não pensa em ser cauteloso

Próximo artigo

Pole na Corrida de Duplas, Salas substitui Dirani na RZ

Pole na Corrida de Duplas, Salas substitui Dirani na RZ