Alonso passará noite no hospital após acidente 'misterioso'

compartilhar
comentários
Alonso passará noite no hospital após acidente 'misterioso'
Por:
22 de fev de 2015 15:35

Espanhol teve uma batida que causou poucos danos a sua McLaren e passa bem, mas segue internado na Espanha

As circunstâncias misteriosas que rondam o acidente de Fernando Alonso durante os testes de pré-temporada da Fórmula 1 roubaram a cena no último dia de atividades em Barcelona nesta semana. O piloto passará a noite no hospital após sofrer uma concussão em uma batida aparentemente leve. A discrepância entre a violência da batida do espanhol e os cuidados com seu estado de saúde levantaram suspeitas sobre o real motivo do acidente.

[publicidade] Alonso perdeu o controle de sua McLaren na 21ª volta do dia, na saída da curva 3, e bateu no muro da parte interna da pista. A batida foi de lado e só danificou a asa dianteira e os pneus do lado direito. Sebastian Vettel, que vinha logo atrás de Alonso, classificou o acidente de estranho.

“Estava logo atrás de Fernando. Ele não estava rápido, talvez em torno de 150 km/h. De repente ele virou à direita e bateu de lado algumas vezes no muro”, descreveu o alemão.

Alonso permaneceu no carro e foi atendido pelos comissários, que logo acionaram a ambulância. Logo após ser levado ao Centro Médico do circuito, o espanhol foi encaminhado ao hospital, de helicóptero.

A descrição de Vettel e o fato do piloto não ter saído do carro mesmo após um impacto relativamente fraco causaram especulações sobre a real causa da batida. As possibilidades cogitadas vão desde um desmaio até um choque provocado pelas baterias de recuperação de energia do carro. Isso porque a McLaren sofreu, durante os quatro dias de teste, com problemas na vedação do MGU-K, que recolhe a energia cinética proveniente das freadas e a transforma em energia elétrica.

De acordo com um engenheiro, ouvido pela publicação alemão Auto Motor und Sport, uma fuga de energia é improvável. “É muito, muito improvável enquanto o piloto está sentado no carro, ainda que não dê para desconsiderar 100%.” Nas fotos do acidente, percebe-se que as luzes que servem para indicar a comissários e mecânicos que há alguma fuga de energia estavam verdes, indicando que o carro estava seguro.

No hospital, o chefe da McLaren, Eric Boullier, fez questão de rechaçar qualquer especulação, frisando que foi um acidente “normal”. “Nada que vocês estão lendo ou ouvindo além do que estou falando é verdade. Foi apenas um acidente normal”, declarou.

“Felizmente, ele está bem, mas sofreu uma concussão durante o acidente, o que requereu que permanecesse no hospital como precaução. Isso é o procedimento normal depois de uma concussão. Inevitavelmente, algumas reportagens exageraram a severidade do acidente – foi um acidente normal de teste.”

A McLaren divulgou boletim em que garante que Alonso “esteve consciente por todo o tempo” e reafirmou que o espanhol não sofreu qualquer lesão e só permanecerá no hospital por precaução. O bicampeão passou por uma tomografia computadorizada e uma ressonância magnética, que não apontaram qualquer problema.

O empresário de Alonso, Luis García Abad, também negou qualquer anomalia, dizendo que o piloto perdeu o controle do carro devido a uma forte rajada de vento ao final da curva 3. "Desmentimos que ele estivesse passando mal antes do acidente. O carro ganhou aderência, havia um vento tremendo e ele se chocou com o muro", afirmou. "Ele permaneceu no carro porque nesses casos é melhor checar primeiro se está tudo bem e todo o procedimento foi normal para estas situações em que aparecem os alarmes no volante", disse o empresário, referindo-se às luzes que piscam quando o impacto sofrido é forte.

Apesar dos poucos danos no carro, a McLaren decidiu não voltar à pista na parte da tarde. A equipe havia decidido que o cockpit seria ocupado por Jenson Button após o almoço, mas o inglês ficou de fora da sessão. "Apesar do carro não estar muito danificado, a batida foi suficiente para causar estragos na área da caixa de câmbio e da unidade de potência", explicou Boullier.

A falta de quilometragem da McLaren, que conta nesta temporada com um novo motor, da Honda, é fonte de preocupação para a equipe. Com dois terços da pré-temporada cumpridos, o carro ainda não atingiu os 1000km rodados, enquanto a Mercedes já superou a marca dos 11.000km. 
Próximo artigo
Grosjean lidera e Rosberg impressiona em dia marcado por batida de Alonso

Artigo anterior

Grosjean lidera e Rosberg impressiona em dia marcado por batida de Alonso

Próximo artigo

"Ainda não estamos no nível que queremos", admite Bottas

"Ainda não estamos no nível que queremos", admite Bottas
Carregar comentários

Sobre esta matéria

Categoria Fórmula 1
Autor Julianne Cerasoli
Seja o primeiro a receber as últimas notícias