Fórmula 1
25 jul
-
28 jul
Evento encerrado
01 ago
-
04 ago
Evento encerrado
29 ago
-
01 set
Evento encerrado
05 set
-
08 set
Evento encerrado
R
GP de Singapura
19 set
-
22 set
Treino Livre 1 em
5 dias
26 set
-
29 set
Próximo evento em
10 dias
10 out
-
13 out
Próximo evento em
24 dias
24 out
-
27 out
Próximo evento em
38 dias
31 out
-
03 nov
Próximo evento em
45 dias
14 nov
-
17 nov
R
GP de Abu Dhabi
28 nov
-
01 dez
Próximo evento em
73 dias

Após rumores, Williams insiste que equipe de F1 não está à venda

compartilhar
comentários
Após rumores, Williams insiste que equipe de F1 não está à venda
Por:
26 de abr de 2019 12:08

Diretora da tradicional escuderia britânica, Claire Williams, filha do fundador Frank, nega boatos de que o time será comprado em breve

A equipe de Fórmula 1 da Williams não está à venda. É o que afirma a vice-diretora da escuderia, Claire Williams. A declaração vem após rumores ventilados na semana passada de uma possível compra do time britânico por Dmitry Mazepin, pai do piloto de Fórmula 2 Nikita Mazepin. Supostamente, discussões sobre investimento e uma possível participação acionária haviam ocorrido recentemente, o que é negado pela dirigente.

Claire insiste que não houve qualquer conversa com Mazepin neste ano. Perguntada pelo Motorsport.com sobre o rumor, Williams respondeu: "Eu vi aquelas histórias mas prestei pouca atenção. Não encontrei Mazepin para conversar sobre isso. Tivemos uma breve conversa na metade de 2018, mas depois não houve nada. Gostaria de ser realmente categórica: a Williams não está à venda”.

Leia também:


O futuro da equipe tem estado sob escrutínio há algum tempo, muito antes da saída do diretor técnico Paddy Lowe, que deixou ainda mais pontos de interrogação sobre a liderança da escuderia.

O time britânico estava recebendo dinheiro de Lawrence Stroll, pai de Lance Stroll, entre 2017 e 2018. Eles se mudaram para a Racing Point, da qual Lawrence é um dos principais investidores. Enquanto isso, a Williams não continuou com Sergey Sirotkin e perdeu o patrocinador Martini. Esses fatores, combinados com a falta de competitividade, levantaram dúvidas sobre a saúde financeira da equipe.

Por outro lado, um novo acordo de patrocínio com a empresa de telecomunicações ROKiT e contribuições financeiras dos patrocinadores de Robert Kubica ajudaram a dar uma nova vida à Williams neste ano.

"Em tempos como esse, esse rumor sempre aparece", acrescentou Williams. "Mas quando o seu time não está indo bem, não é o momento certo para vender. Nós só cogitaríamos essa oportunidade se estivéssemos indo bem, que é a hora certa para a venda. A Williams está neste esporte há mais de quatro décadas e nunca quisemos vender”.

"Isso é o que fazemos, não temos mais nada para fazer. Então a equipe não está no mercado e não queremos vender para ninguém. Quero provar que podemos estar à altura da nossa história e voltar ao pódio e às vitórias novamente”.

“Isso pode nos levar muito tempo, mas Frank levou mais de 10 anos para conseguir isso quando ele começou neste esporte. Então tenho certeza que teremos muito mais coisas pela frente. Mas você não desiste quando os tempos ficam difíceis. É um teste para continuar e provar a todos que você pode".

Claire Williams, Williams Deputy Team Principal

Claire Williams, Williams Deputy Team Principal

Próximo artigo
Russell perderá segundo treino em Baku após acidente com bueiro

Artigo anterior

Russell perderá segundo treino em Baku após acidente com bueiro

Próximo artigo

F1: Leclerc mostra reação da Ferrari e faz melhor tempo do dia em Baku

F1: Leclerc mostra reação da Ferrari e faz melhor tempo do dia em Baku
Carregar comentários

Sobre esta matéria

Categoria Fórmula 1
Equipes Williams
Autor Scott Mitchell