Aposta de Senna e chefe, que rendeu carro ao brasileiro, completa 30 anos; relembre

compartilhar
comentários
Aposta de Senna e chefe, que rendeu carro ao brasileiro, completa 30 anos; relembre

Em 9 de setembro de 1990 Senna vencia GP da Itália em Monza e ganhava o direito de ter o carro da vitória

Uma história marcante de Ayrton Senna completa 30 anos nesta quinta-feira (09). O piloto brasileiro apostou com Ron Dennis, chefe da McLaren, que, se vencesse o GP da Itália de 1990, levaria o carro daquela corrida para casa.

Ao final daquela temporada, Ron pagou a aposta de vitória histórica do brasileiro na casa da Ferrari, que tinha Alain Prost como piloto e grande rival na luta pelo título daquele ano.

E um capítulo interessante e pouco conhecido desta história é revelada hoje em vídeo publicado nas redes oficiais de Ayrton Senna: o modelo que foi dado de presente a Senna não apenas venceu o GP da Itália como também garantiu outras três vitórias para o brasileiro em 1990: Canadá, Alemanha e Bélgica, tornando o chassi de valor inestimável.

Leia também:

“Eu não sabia onde o carro estava", disse Paul Lanzante, especialista em carros históricos. "Havia rumores, mas hoje vimos o número real: sim, é o chassi 6. Foi como escavar para encontrar uma antiguidade. E teve a aposta com o Ron (Dennis), de que o Ayrton levaria o carro. Após vencer em Monza, Ron prometeu o carro, mas eles continuaram fazendo mais provas pelo resto da temporada. E no final do campeonato, pelo que eu soube, a Honda forneceu um motor totalmente novo antes que ele fosse enviado ao Ayrton”.

Ele e outros três integrantes da McLaren vieram ao GP do Brasil de 2019 com o objetivo de colocar o carro de 1988 (McLaren MP4/4) para uma exibição em Interlagos com Bruno Senna. Na segunda-feira após a corrida, eles receberam convite da família Senna para fazer uma análise do modelo McLaren MP4/5B, que fica na sede do Instituto Ayrton Senna, em São Paulo.

“O Ayrton gostava daquele chassi, que era o de número 6. Ele já havia vencido com ele na Alemanha, Canadá e Bélgica, então ele tinha o desejo de ficar com aquele carro. Vejo que ele conseguiu. Ele tinha uma visão clara do que queria e onde queria chegar. Ele tinha uma tremenda personalidade, carisma, muita energia e tinha uma aura que o distinguia dos outros pilotos”, disse Ramirez.

Sobrinha de Ayrton Senna e CEO de Senna Brands, Bianca Senna agradeceu as informações que foram passadas pela equipe McLaren à família. “É sempre incrível ver a reação das pessoas ao ver este McLaren de perto. A gente conhecia a história do carro, da vitória em Monza, da aposta, mas as revelações foram ainda mais impressionantes. É como todos disseram: é realmente uma peça de valor inestimável para todos nós, uma obra de arte”, disse Bianca. Para ver o vídeo com a história completa, clique aqui.

Primeira reunião de Ayrton Senna na Europa fez chefe de equipe dizer: "Quem ele pensa que é?"

PODCAST: Senna é o maior esportista brasileiro após a era Pelé?

 

F1: Pérez anuncia saída da Racing Point após temporada 2020 e deixa caminho livre para Vettel

Artigo anterior

F1: Pérez anuncia saída da Racing Point após temporada 2020 e deixa caminho livre para Vettel

Próximo artigo

F1: Chefe da Ferrari volta a negar 'crise' apesar de abandono duplo em Monza

F1: Chefe da Ferrari volta a negar 'crise' apesar de abandono duplo em Monza
Carregar comentários

Sobre esta matéria

Categoria Fórmula 1