Comissão rejeita proposta de motor alternativo para 2017

Equipes vetam proposta, mas terão de apresentar um novo plano para reduzir custos até 15 de janeiro

Comissão rejeita proposta de motor alternativo para 2017
FIA flag
Dr Helmut Marko, Red Bull Motorsport Consultant com Jean Todt, FIA President e sua mulher Michelle Yeoh
Jean Todt, FIA President e Bernie Ecclestone,
Daniil Kvyat, Red Bull Racing RB11
Jenson Button, McLaren MP4-30
Lewis Hamilton, Mercedes AMG F1 W06
Daniel Ricciardo, Red Bull Racing RB11
Mecachrome engine

A FIA (Federação Internacional de Automobilismo) anunciou na manhã desta quarta-feira (25) que a Comissão da Fórmula 1 não aprovou os planos de um motor alternativo para 2017 em reunião realizada na última terça-feira (24), em Paris. 

A rejeição já era esperada, pois as equipes formam a maioria da comissão e são em grande parte contra a proposta defendida pela FIA e pelo chefão da categoria, Bernie Ecclestone. 

Em contrapartida, as fornecedoras concordaram em abordar as questões-chave para a redução de custos, em fornecer motores para um número mínimo de equipes - caso sejam convocadas para isso - e que um propulsor alternativo seja aprovado no futuro. 

 

 

As fabricantes terão que apresentar uma proposta até 15 de janeiro, com as primeiras reuniões sobre o assunto a serem realizadas neste final de semana, entre as atividades do GP de Abu Dhabi.

Confira a nota da FIA:

"As reuniões tiveram como objetivo o reconhecimento de quatro pontos de interesse visando a fabricação e o fornecimento de motores alternativos, mais baratos. A Comissão da F1 optou por não seguir este caminho no momento. Entretanto, a ideia será recolocada em questão após as fabricantes apresentarem as respectivas propostas para o Grupo de Estratégia."

"As partes envolvidas chegaram a um acordo para abordar os seguintes aspectos-chave relacionado ao fornecimento das unidades de potência na F1, que são: 

- Garantia de fornecimento de unidades de potência às equipes;
- A necessidade de reduzir o preço das unidades de potência para equipes clientes;
- Simplificação das especificações técnicas das unidades de potência;
- Buscar melhorias no som emitido pelas unidades de potência.

"As fabricantes, em conjunto com a FIA, apresentarão uma proposta até 15 de janeiro de 2016 que contenha soluções para as questões apresentadas. A proposta estabelecerá também um número mínimo de equipes que cada fabricante deverá atender, assegurando o acesso às unidades de potência para todos os times."

"Medidas também serão tomadas no sentido de reduzir o custo das unidades de potência para as equipes clientes, além de avanços no som emitido (pelos motores). Todos os acionistas concordaram que estas medidas visam a temporada 2017 ou, no máximo, a temporada 2018. A primeira reunião entre a FIA e as fabricantes para a discussão destes tópicos será realizada neste final de semana, durante o GP de Abu Dhabi."

compartilhar
comentários
Crepúsculos, títulos e despedidas; veja imagens de Abu Dhabi
Artigo anterior

Crepúsculos, títulos e despedidas; veja imagens de Abu Dhabi

Próximo artigo

Veja fotos de como seria um "motor padrão" na F1

Veja fotos de como seria um "motor padrão" na F1
Carregar comentários