F1: Acidente de Zhou força FIA a introduzir testes mais rígidos para 2023

Reunião com diretores técnicos feito nesta quinta (14) teve o acidente e próximos passos entre as pautas

The accident involving Zhou Guanyu, Alfa Romeo C42 at the start of the race

A Federação Internacional de Automobilismo (FIA) anunciou formalmente que os santantônios terão exigências mais rígidas na Fórmula 1 a partir de 2023, após o forte acidente de Zhou Guanyu no GP da Grã-Bretanha.

O santantônio de Zhou se desintegrou rapidamente no incidente da largada com George Russell e Pierre Gasly. Como dito pela Alfa Romeo, a cabeça do piloto foi protegida pelo halo antes do carro entrar na brita e capotar, indo parar além da barreira de pneus.

Leia também:

A Alfa Romeo é a única equipe no pitlane a usar um design 'spike' de santantônio, que havia ficado de fora do carro em 2020 e 2021. Historicamente, as equipes usam um modelo assim pensando nos benefícios aerodinâmicos.

Logo após o acidente, a FIA iniciou uma investigação, que foi discutida na reunião de diretores técnicos realizada ontem (14), junto com o porpoising. Sobre o encontro, a FIA disse: "O Conselho Consultivo Técnico (CCT) também discutiu o incidente sério de Zhou Guanyu em Silverstone".

"As equipes confirmaram a disponibilidade em introduzir medidas mais duras nos santantônios para 2023, e a FIA completou as análises relevantes, comunicando as novas exigências para segurança".

Alfa Romeo C42 of Zhou Guanyu after his crash

Alfa Romeo C42 of Zhou Guanyu after his crash

Photo by: Mark Sutton / Motorsport Images

O artigo sobre o tema no regulamento técnico de 2022 diz: "A estrutura principal deve ser aprovada em um teste detalhado de cargas, que pode ser encontrado no Artigo 13.3.1. Além disso, cada equipe deve fornecer cálculos detalhados, que mostram claramente que ele é capaz de suportar a mesma carga quando o componente longitudinal é aplicado na direção dianteira".

O Artigo 13.3.1 contém detalhes extensos sobre como os testes de santantônio devem ser conduzidos e como as cargas devem ser suportadas. Mas ainda não se sabe se o resultado da investigação levará à proibição de tal design para a área.

Paul Monaghan, engenheiro-chefe da Red Bull, confirmou que todas as equipes podem aprender com o incidente de Silverstone.

"Acho que seria um erro de nós não olhar. Temos uma reunião a caminho, então tenho certeza de que a FIA terá feito a investigação com alguma ajuda da Alfa Romeo. E estamos abertos a questões sobre isso, vamos contribuir do melhor jeito possível, pelo bem do esporte. Não é algo de interesse único neste momento".

"Eu prefiro esperar até que FIA e Alfa compartilhem o que exatamente aconteceu. Esses critérios poderão avaliar todos os carros de forma justa? É algo que precisa ser revisto antes. Seria um pouco ingênuo dizer que o nosso é diferente dos demais".

 

Os melhores vídeos sobre esporte a motor estão no canal do Motorsport.com. Inscreva-se já, dê o like ('joinha') nos vídeos e ative as notificações para ficar por dentro de tudo o que rola em duas ou quatro rodas.

Podcast #186 – Vitória da Ferrari na casa da Red Bull é marco para recuperação no campeonato?

 

ACOMPANHE NOSSO PODCAST GRATUITAMENTE:

Faça parte da comunidade Motorsport

Join the conversation
Artigo anterior F1: Alfa Romeo "não está cega" ao interesse da Audi pela Sauber
Próximo artigo F1: Ferrari aponta fator crucial que ajudou a igualar desempenho em relação à Red Bull; saiba mais

Principais comentários

Cadastre-se gratuitamente

  • Tenha acesso rápido aos seus artigos favoritos

  • Gerencie alertas sobre as últimas notícias e pilotos favoritos

  • Faça sua voz ser ouvida com comentários em nossos artigos.

Motorsport prime

Descubra conteúdo premium
Assinar

Edição

Brasil Brasil