F1: CEO da McLaren: “Não deixaria Sainz sair se não acreditasse que teria Daniel”

compartilhar
comentários
F1: CEO da McLaren: “Não deixaria Sainz sair se não acreditasse que teria Daniel”
Por:

Zak Brown confirmou que Ricciardo era um sonho antigo da equipe inglesa e destacou clima agradável nos bastidores do time em 2020

O CEO da McLaren, Zak Brown, falou ao podcast oficial da Fórmula 1 nesta semana e revelou que a saída de Carlos Sainz da equipe estava condicionada à vinda de Daniel Ricciardo, que está na Renault desde 2019. Sainz foi anunciado como piloto da Ferrari para a temporada de 2021 após a saída confirmada de Sebastian Vettel da equipe de Maranello.

Logo após a confirmação do espanhol na Ferrari, a McLaren anunciou um acordo com Daniel Ricciardo, vencedor de sete corridas na Fórmula 1 e um desejo antigo da equipe inglesa.

Leia também:

Brown, inclusive, afirmou que a McLaren poderia ter mantido Sainz na equipe: “Tínhamos um acordo em que poderíamos ter evitado, tínhamos uma opção. Tentamos trazer Daniel Ricciardo pela primeira vez há alguns anos”, confirmou Brown.

“Então, ele sempre esteve mais no topo do que qualquer outro em nossa lista e, quando Andreas (Seidl, chefe de equipe da McLaren) chegou, mantivemos contato com Daniel”.

O CEO da McLaren também disse que Ricciardo não estava feliz na Renault, devido ao fraco desempenho da equipe francesa nos últimos anos.

“Então, as conversas já haviam começado com Daniel. Sentimos que ele não estava feliz onde estava, então era mais uma questão de as estrelas se alinharem”, disse o norte-americano.

Além disso, Brown completou que foi uma situação boa para ambas as partes: “Queríamos ter Daniel e o Carlos queria a Ferrari. Poderíamos ter dito não, mas estávamos interessados no Daniel e pensamos: ‘Se conseguirmos ficar com o Daniel e o Carlos for para a Ferrari, é um final feliz para nós dois’”, afirmou.

“Não deixaria Carlos ir se não acreditasse que teria Daniel. Quando pensamos que aquela porta estava aberta, então dissemos ‘sim, vamos tentar’, vamos marcar uma data para conversar novamente”.

“E aí descobrimos que conseguiríamos assinar com Daniel. E como a Ferrari queria Carlos, então dissemos: ‘Ótimo, vamos em frente’”, disse Brown.

Em 2020, a McLaren está em sua melhor fase nos últimos anos, sendo a atual terceira colocada no Mundial de Construtores, dois pontos à frente da Racing Point – foram dois pódios conquistados pela McLaren no ano, um com Lando Norris na corrida de abertura e um com Sainz no GP da Itália.

O clima nos bastidores da equipe, inclusive, tem sido muito destacado e Brown acredita que a maneira que a equipe inglesa lidou com a situação é “impressionante”, ao contrário de equipes como Racing Point e Renault.

“Temos total harmonia na garagem. O Carlos dá tudo o que tem. Se olhar para Vettel e a Ferrari, Sergio Pérez e Racing Point e até mesmo Daniel e a Renault, não há muita harmonia lá”, disse Brown.

“Então, estou muito orgulhoso porque os relacionamentos são muito importantes para nós, o Carlos tem sido excelente para trabalhar. Por isso, estou feliz que deu certo e que estamos numa situação em que todos estão felizes”, completou.

McLaren MCL35 (Temporada 2020)
McLaren-Renault MCL35
Motor: Renault
Combustível: Gulf Oil
Pneus: Pirelli

Pilotos:

4 - Lando Norris

55 - Carlos Sainz

Chefe da Red Bull diz que carro atual da Mercedes é o “MAIS COMPLETO” da era moderna da F1

PODCAST: Kimi Raikkonen, 'apenas' um grande personagem ou um verdadeiro campeão?

 

Racing Point: Vettel pode recuperar magia na F1 em 2021

Artigo anterior

Racing Point: Vettel pode recuperar magia na F1 em 2021

Próximo artigo

Verstappen completa 23 anos: relembre vitórias e momento atual do holandês na F1

Verstappen completa 23 anos: relembre vitórias e momento atual do holandês na F1
Carregar comentários

Sobre esta matéria

Categoria Fórmula 1
Autor Redação Motorsport.com