F1 deve formar grupo de trabalho para analisar limites de pista

Representantes da categoria, FIA, pilotos e equipes devem observar de perto questão que tem se tornado polêmica em 2021

F1 deve formar grupo de trabalho para analisar limites de pista

Um novo grupo de trabalho deve ser formado para analisar a questão dos limites da pista na Fórmula 1, em meio a preocupações recentes sobre a falta de uma aplicação consistente.

A polêmica em torno de uma série de penalidades que Max Verstappen sofreu este ano por violações de limite de pista levou a pedidos da Red Bull, em particular, para que houvesse uma mudança de abordagem.

Leia também:

O assunto foi discutido durante o encontro regular do CEO da F1, Stefano Domenicali, com os chefes das equipes no fim de semana do GP da Espanha.

O chefe da Red Bull, Christian Horner, que falou sobre o problema depois que Verstappen perdeu uma vitória em uma corrida no Bahrein e uma pole position e a volta mais rápida em Portugal por causa das regras de limite de pista, disse que a esperança é que a iniciativa da FIA de criar um grupo de trabalho resultaria em uma solução que funcione para equipes, pilotos e fãs.

“Acho que tem havido uma discussão saudável e um grupo de trabalho sendo criado”, disse Horner. "Precisamos apenas de algo que seja simples, claro e compreensível para os pilotos, fãs e equipes. Não deve ser tão difícil."

A questão dos limites da pista tem sido um tema quente ao longo da temporada de 2021, com a Red Bull em particular sofrendo várias sanções.

Tem havido tentativas ao longo dos anos para tentar chegar a uma estrutura consistente para os limites da pista serem avaliados, mas uma das dificuldades é que o comportamento dos carros pode mudar a cada ano.

Portanto, embora uma abordagem funcione perfeitamente bem em um ano, um ajuste nos regulamentos técnicos pode significar que os pilotos estão obtendo desempenho de uma maneira diferente e, em seguida, abusam dos limites de pista em lugares diferentes.

Isso foi especialmente verdadeiro em Portugal, por exemplo, onde o policiamento na curva 14 não era necessário em 2020 porque os pilotos não estavam utilizando tanto o lado de fora, mas se tornou necessário este ano.

Sparks kick up from the rear of Sergio Perez, Red Bull Racing RB16B

Sparks kick up from the rear of Sergio Perez, Red Bull Racing RB16B

Photo by: Mark Sutton / Motorsport Images

O diretor de corridas da F1, Michael Masi, disse que encontrar uma solução que funcionasse para todas as pistas era muito difícil.

“Eu acho que idealmente, adoraríamos ter um limite rígido em todos os lugares”, disse ele. “Mas é difícil com os circuitos.”

“Tem sido um processo de evolução contínua. Em Portimão, há alguns locais que são problemas de limite de trajetória em um ano e não no seguinte. E vice-versa.”

“Portanto, é uma evolução contínua que estamos trabalhando em conjunto com cada um dos circuitos. Obviamente, requer um investimento significativo deles a partir dessa perspectiva.”

“Em certo sentido, seria ótimo ter muros em todos os lugares, como veremos em algumas semanas em Mônaco ou em Baku, mas obviamente estamos correndo em diferentes tipos de circuitos o tempo todo.”

“Portanto, quando olhamos para tudo de uma perspectiva de segurança, precisamos encontrar o melhor equilíbrio de tudo em cada situação. Cada curva é diferente e cada circuito é diferente.”

O diretor da GPDA, George Russell, disse de sua perspectiva que sentiu que a FIA estava em uma situação delicada quando se tratava de conciliar as muitas demandas colocadas sobre ela.

"Falar puramente em nome do piloto George Russell, ao invés do diretor da GPDA, é muito difícil e tenho simpatia pela FIA porque, em última análise, eles estão apenas tentando tornar os circuitos mais seguros", explicou.

"Essa é obviamente a prioridade número um, mas veio em consequência dos limites da pista nas últimas temporadas.”

"Mas acho que vai além da Fórmula 1. A categoria pode administrar bem com câmeras e sensores, mas filtrando as categorias juniores, eles não têm os recursos para fazer isso.”

"Fundamentalmente, algo precisa mudar globalmente com todos esses circuitos. Não tenho a solução, então é por isso que simpatizo."

MASSA fala sobre comparação com BARRICHELLO, DIFICULDADE em ADAPTAÇÃO ao BRASIL e desafio na STOCK

PODCAST: Mercedes X Red Bull já pode ser considerada uma das maiores rivalidades da F1?

 

compartilhar
comentários
F1: Hamilton é o 8º atleta mais bem pago do mundo segundo lista da Forbes

Artigo anterior

F1: Hamilton é o 8º atleta mais bem pago do mundo segundo lista da Forbes

Próximo artigo

F1: Como vitória de Massa na Turquia foi chave para título de Hamilton em 2008

F1: Como vitória de Massa na Turquia foi chave para título de Hamilton em 2008
Carregar comentários