F1: Rádio de Sainz mostra como estratégia da Ferrari poderia ser ainda mais constrangedora; veja

Após a corrida, Binotto admitiu que Sainz não teria como cumprir pedido, e diz ter confiança total de que o espanhol faz o melhor para a equipe

F1: Rádio de Sainz mostra como estratégia da Ferrari poderia ser ainda mais constrangedora; veja
Carregar reprodutor de áudio

A primeira vitória de Carlos Sainz na Fórmula 1 veio em meio a mais uma confusão de estratégia da Ferrari na temporada 2022 que poderia inclusive ter terminado de outra forma, se não fosse o espanhol bater de frente com a equipe sobre uma ordem que recebeu pelo rádio.

No momento em que o safety car foi acionado, a Ferrari optou por manter Charles Leclerc na pista por ter pneus duros mais novos que os de Sainz, que entrou para colocar macios novos. Próximo à relargada, a equipe pediu que o espanhol abrisse uma distância de dez carros para Leclerc, que estava à sua frente, para que ele pudesse se proteger de ataques na bandeira verde.

Leia também:

Mas Sainz rapidamente respondeu a equipe, mostrando que não era apenas Leclerc que estava sendo pressionado. Veja abaixo o vídeo e a transcrição em seguida:

 

"A instrução é de dar uma distância de 10 carros para Charles [Leclerc], para que ele possa respirar", disse pelo rádio Riccardo Adami, seu engenheiro. "Mais ou menos 10 carros de distância. Mais ou menos 10 carros".

"Mas gente, eu estou sendo pressionado por Hamilton", respondeu o espanhol. "Por favor, não peçam essas coisas. Por favor. Parem de inventar. Parem de inventar. Eu também estou sob pressão".

Sainz não foi o único descontente com as estratégias da Ferrari, apesar da vitória. Leclerc também expressou grande insatisfação com o resultado após o fim da corrida pelo rádio: “A quantidade de tempo que nós perdemos nesta corrida... *******. A única coisa boa é que Carlos venceu. Mas, rapazes... bom... aproveitem a vitória.”

The Safety Car Charles Leclerc, Ferrari F1-75, Carlos Sainz, Ferrari F1-75, Lewis Hamilton, Mercedes W13

The Safety Car Charles Leclerc, Ferrari F1-75, Carlos Sainz, Ferrari F1-75, Lewis Hamilton, Mercedes W13

Photo by: Glenn Dunbar / Motorsport Images

Leclerc disse que sua conversa com Mattia Binotto após o fim da corrida foi “apenas para tentar me animar”. Ele adicionou: “Ele tentou, mas claro, a decepção é grande para mim. Foi uma montanha russa essa corrida. [...] Vencer estava se tornando cada vez mais e mais possível. Porém, veio o safety car e foi o que aconteceu. É frustrante.”

Chefe da Ferrari, Binotto explicou após a corrida que a ordem dada a Sainz na relargada talvez fosse "mais difícil" para Leclerc devido aos pneus, mas reconheceu que talvez não seria possível criar tal distância.

"Temos confiança total, sabemos que ele está fazendo o melhor para a equipe, para ele também", disse Binotto sobre Sainz. "Obviamente ele havia provado isso antes ao ceder a posição sem discutir e mesmo com o primeiro pit, porque ele confia plenamente na equipe".

"Então, novamente, estou muito feliz. Sei que ele fez o melhor. Provavelmente não tinha como ele dar essa distância para Charles. Sei que ele fez o melhor possível para termos uma vitória da Ferrari em Silverstone".

VÍDEO: Rico Penteado fala da genialidade de Alonso e revela drama de Petrov em 2010

Assine o canal do Motorsport.com no YouTube

Os melhores vídeos sobre esporte a motor estão no canal do Motorsport.com. Inscreva-se já, dê o like ('joinha') nos vídeos e ative as notificações para ficar por dentro de tudo o que rola em duas ou quatro rodas.

Podcast #184 - Felipe Kieling, da Band, revela como foi substituir Mariana Becker na cobertura da F1

 

ACOMPANHE NOSSO PODCAST GRATUITAMENTE:

compartilhar
comentários
F1: Nelson Piquet reafirma que não é racista e se defende após polêmica; confira
Artigo anterior

F1: Nelson Piquet reafirma que não é racista e se defende após polêmica; confira

Próximo artigo

F1: Russell reclama de vaias e fala sobre esforço para 'eliminar' o racismo

F1: Russell reclama de vaias e fala sobre esforço para 'eliminar' o racismo