F1: Mercedes admite que W13 tem característica "irritante" que faz equipe insistir no carro desenvolvido

De acordo com diretor de engenharia, Andrew Shovlin, o ponto seria o fato do carro mostrar vislumbres de um possível potencial real

Lewis Hamilton, Mercedes W132n crosses the line to the delight of his team on the pit wall

A Mercedes está lutando durante toda a temporada para entender o carro construído sob as novas regras da Fórmula 1. Sinais ocasionais de promessa encorajaram a equipe a manter o conceito de sidepod, enquanto os outros seguiram em uma direção comum, além do fator "irritante" que não deixa o time desistir do modelo criado.

A pole de George Russell na Hungria, seguido por mais um resultado de segundo e terceiro lugar para Lewis Hamilton e seu mais novo companheiro de equipe, levou a equipe a acreditar que estavam começando a entender o carro.

Leia também:

"É útil", disse Shovlin. "E esse carro tem sido particularmente irritante na forma como nos dá deslumbres da performance e do que poderá ser, a um nível que é muito difícil para nós apenas desistir dele. Então, isso suga um pouco do ponto de vista da engenharia.

"Tem sido um carro complicado e certamente alguns dos problemas é porque nós não tivemos downforce suficiente, precisamos encontrar mais downforce e mais pode. Mas, no geral, é um sinal útil de que estamos indo na direção correta.

"O pódio duplo, a pole position, todos esses sinais que nós só poderíamos sonhar no início do an e isso é encorajador, parece que estamos fazendo progresso."

Lewis Hamilton, Mercedes W13

Lewis Hamilton, Mercedes W13

Photo by: Zak Mauger / Motorsport Images

Shovlin deixou claro que a equipe não tem a intenção de abandonar seu atual pacote aerodinâmico.

"Acho que está sendo útil ver que o estreito corpo do carro consegue performar bem nas corridas", ele disse.

"Isso é certamente o que temos como base para desenvolvimento. Nós seremos mais efetivos se trabalharmos com o que temos do que se tentarmos chegar ao projeto de outra pessoa.

"Mas os sidepods, provavelmente, são uma pequena distração de todos os problemas que tivemos que consertar. Se você pensar, há três corridas nós estávamos com quique em todos os lugares, Montreal, Baku, Mônaco. 

"Agora, os pilotos estão saindo e se eles falam sobre os quiques, é porque tiveram um pouco em uma curva num certo ponto. É quase notável por sua ausência. E conseguimos aplicar essas melhorias em todo o pacote, o que é um bom sinal."

Shovlin admite que a equipe não seve se a pole de Russell em Budapest reflete uma genuína volta por cima na forma ou se está mais relacionado a Ferrari e Red Bull não terem performado o seu melhor. No entanto, houve uma clara melhoria no campo da Mercedes.

"Uma das coisas que mudaram foi que os pilotos, de repente, encontraram a confiança no carro que estava faltando. Então, antes da classificação, eles sempre diziam: que assim que você inclinava na traseira, não dava a sensação de que ia grudar, parecia que estava se afastando de você.

"Nós não tínhamos visto nossos dois [pilotos] conseguirem voltas ofuscantes até George [Russell] conseguir a pole. E isso pode ter sido algo que realmente melhoramos e há algumas mudanças no carro que possam ter feito isso.

"A equipe fez um bom trabalho ao colocar tudo na janela cerra, mas honestamente, a resposte é que realmente não sabemos como conseguimos a pole."

Shovlin disse que o conhecimento adquirido na Hungria pode ser transferido para as corridas que virão como SPA e Monza, mesmo com os traçados sendo bem diferentes.

"Para ser honesto, esse é o processo geral de engenharia em um carro de F1, em toda corrida, nós estamos aprendendo e no fim do ano, tendemos a escrever tudo num lugar só. E é impressionante que mesmo depois de 20 corridas, você continua descobrindo coisas.

"Então, estou certo que haverá pedaços que nós podemos pegar, mas se você olhar para isso, estatisticamente, vamos pousar nessa janela toda pista e isso pode ser uma tarefa difícil."

Da conta de VETTEL no INSTA a ‘CHAPEÚ’ de Piastri: F1 vive realidade de ‘MUNDO INVERTIDO’; entenda

Podcast #189 - Quem tem mais a perder com confusão contratual? Alpine, Piastri, McLaren ou F1?

 

ACOMPANHE NOSSO PODCAST GRATUITAMENTE:

Faça parte da comunidade Motorsport

Join the conversation
Artigo anterior F1 - Chefe da Alpine alfineta Alonso e detona Piastri: "Esperava mais lealdade, integridade como ser humano"
Próximo artigo RETA FINAL: Quem vai para a Alpine? Ricciardo vale a pena? O que deu errado na McLaren? Veja debate

Principais comentários

Cadastre-se gratuitamente

  • Tenha acesso rápido aos seus artigos favoritos

  • Gerencie alertas sobre as últimas notícias e pilotos favoritos

  • Faça sua voz ser ouvida com comentários em nossos artigos.

Motorsport prime

Descubra conteúdo premium
Assinar

Edição

Brasil Brasil