F1: Mercedes não descarta trocar motor de Hamilton na Turquia

Mas Toto Wolff, chefe da Mercedes, diz que nada está garantido e que analisa caso "corrida a corrida"

F1: Mercedes não descarta trocar motor de Hamilton na Turquia

Uma das grandes dúvidas da reta final da temporada 2021 da Fórmula 1 é se e quando Lewis Hamilton trocará o motor Mercedes, largando do fundo do grid assim como Max Verstappen na Rússia. E Toto Wolff não descarta que isso aconteça já neste fim de semana, no GP da Turquia, mas reforça que essa decisão será tomada de forma espontânea.

Apesar de defender inicialmente que não era certo que Hamilton teria que colocar uma quarta unidade de potência, o discurso de Wolff e da Mercedes vem mudando recentemente. 

Leia também:

Verstappen já adotou o quarto motor, largando do fundo na Rússia e se recuperando para terminar em segundo graças à chuva. Por outro lado, Hamilton é um dos poucos pilotos no grid ainda em seu terceiro, mas o heptacampeão conta com apenas duas unidades de potência já gastas após perder uma no final de semana do GP da Holanda.

Wolff afirma que, para a equipe, o mais importante é garantir que problemas de confiabilidade não interfiram na disputa pelo título, com um abandono podendo custar o título para qualquer um dos dois pilotos.

Em entrevista à Sky Sports F1, o chefe da Mercedes admitiu a possibilidade de fazer a troca do motor de Hamilton.

"Trocar o motor na Turquia e pagar a punição é uma possibilidade. Ainda não decidimos nem quando nem como, mas o mais importante é não abandonar por causa de um problema de confiabilidade".

"Estamos analisando os parâmetros da unidade de potência e queremos garantir que não teremos nenhum contratempo no restante do ano".

O chefe da Mercedes voltou a diz que não tem um local decidido para a troca, afirmando que vai estudar isso "corrida a corrida".

"Neste momento, vamos corrida a corrida, vendo como que se desenvolve o rendimento e a durabilidade do motor. Se trocarmos a unidade de potência, será de forma espontânea, já que teríamos a mesma desvantagem que a Red Bull em Sochi".

O chefe da Mercedes lembrou ainda que Hamilton tem um bom rendimento na pista turca, sendo o segundo maior vencedor (2010 e 2020), atrás apenas de Felipe Massa.

"Lewis teve ótimas provas na Turquia, mas temos que analisar cada corrida com tranquilidade. É complicado, os carros estão muito igualados e tenho muita curiosidade de ver como que o Mundial ficará".

EXCLUSIVO: JU CERASOLI revela detalhes em TRETAS de Hamilton e Verstappen que não são vistos na TV

Assine o canal do Motorsport.com no YouTube

Os melhores vídeos sobre esporte a motor estão no canal do Motorsport.com. Inscreva-se já, dê o like ('joinha') nos vídeos e ative as notificações, para sempre ficar por dentro de tudo o que rola em duas ou quatro rodas.

Podcast #135: Vitória 100 de Hamilton na F1 chega em momento mais pressionado na carreira?

 

SIGA NOSSO PODCAST GRATUITAMENTE:

compartilhar
comentários
ANÁLISE: Destrinchando a jornada da Fórmula 1 no Oriente Médio
Artigo anterior

ANÁLISE: Destrinchando a jornada da Fórmula 1 no Oriente Médio

Próximo artigo

CEO da F1 confirma que tentou levar Hamilton para a Ferrari no passado

CEO da F1 confirma que tentou levar Hamilton para a Ferrari no passado
Carregar comentários