F1 pode voltar a correr na África do Sul em 2022 ou 2023; entenda

A empresa que busca viabilizar a volta da F1 ao continente africano vê a data de 2023 como mais realista por conta da pandemia

F1 pode voltar a correr na África do Sul em 2022 ou 2023; entenda

A Fórmula 1 pode estar próxima de retornar ao continente africano. Segundo Warren Scheckter, diretor da South African Grand Prix, empresa que busca viabilizar a volta do GP da África do Sul, isso pode acontecer já em 2022, mas vê 2023 como uma data mais realista.

Os rumores da volta da F1 à África surgiram novamente com tudo no ano passado e agora essas especulações parecem mais próximas de se tornarem realidade. Scheckter, que é sobrinho do campeão de 1979 Jody Scheckter, confirmou que há um trabalho nos bastidores dos promotores para viabilizar o retorno da F1 ao circuito de Kyalami.

Leia também:

"A data que marcamos é em 2022, mas isso pode mudar por conta da pandemia", disse em entrevista ao RaceFans. "É mais realista pensar em 2023. A África do Sul é o melhor lugar para disputar um GP no continente africano por causa da história que possui com o esporte".

A última vez que a F1 visitou o país foi em 1993, em uma etapa no circuito de Kyalami. A pista passou por uma reforma na década passada e começa a voltar a receber as categorias internacionais do esporte a motor, mas ainda precisa passar por novas mudanças para receber o título de Grau 1, necessário para sediar um GP de F1.

Recentemente, o CEO da F1, Stefano Domenicali, confirmou que há um interesse da categoria em voltar a correr na África, para que o Mundial volte a correr em todos os continentes do planeta. Mas havia mencionado interesses de outras praças além da África do Sul, localizadas, principalmente, na região norte da África.

"Há áreas que demonstraram interesse, basicamente a África do Sul e países do norte da África. Isso é muito importante, em termos de ter um novo local ou um antigo, que possui uma grande relação histórica com a F1. E não podemos esquecer de algumas corridas europeias que ficaram para trás, mas estão demostrando interesse em retornar".

No ano passado, Hamilton defendeu a volta da F1 à África: "Fácil, a África! É um lugar muito importante para voltar. A Fórmula 1 deve mudar para ser um esporte que vai a determinados lugares e ir atrás de algo para ajudar as comunidades".

"Acho que é preciso prestar mais atenção à África e reforçar sua importância. É o lugar mais importante que precisamos ir".

Scheckter agradeceu o apoio de Hamilton nessa empreitada.

"É incrível que Lewis, uma pessoa tão influente, mostrou seu apoio à volta da F1 à África. Esta prova pode ser um grande aliado na busca por maior diversidade no esporte em todos os seus níveis".

Nova parceria com ThePlayer.com, a melhor opção para apostas e diversão no Brasil

Registre-se gratuitamente no ThePlayer.com e acompanhe tudo sobre Fórmula 1 e outros esportes! Você confere o melhor conteúdo sobre o mundo das apostas e fica por dentro das dicas que vão te render muita diversão e também promoções exclusivas. Venha com a gente!

BAND prepara estreia ÉPICA para Fórmula 1 com COBERTURA que pode chegar a SEIS horas

PODCAST - Como congelamento de motores impacta mercado da F1?

 

compartilhar
comentários
Dono da Haas revela repercussão interna do escândalo de Mazepin: "Gunther o chamou de idiota"
Artigo anterior

Dono da Haas revela repercussão interna do escândalo de Mazepin: "Gunther o chamou de idiota"

Próximo artigo

Diluição de vitórias, tradição e "corridas chatas": F1 se mostra favorável às corridas sprint, mas com ressalvas

Diluição de vitórias, tradição e "corridas chatas": F1 se mostra favorável às corridas sprint, mas com ressalvas
Carregar comentários