Fórmula 1
02 jul
-
05 jul
Próximo evento em
28 dias
16 jul
-
19 jul
Próximo evento em
42 dias
27 ago
-
30 ago
Próximo evento em
84 dias
03 set
-
06 set
Próximo evento em
91 dias
R
GP de Singapura
17 set
-
20 set
Próximo evento em
105 dias
24 set
-
27 set
Próximo evento em
112 dias
08 out
-
11 out
Próximo evento em
126 dias
R
GP dos Estados Unidos
22 out
-
25 out
Próximo evento em
140 dias
29 out
-
01 nov
Próximo evento em
147 dias
12 nov
-
15 nov
Próximo evento em
161 dias
R
GP de Abu Dhabi
26 nov
-
29 nov
Próximo evento em
175 dias

F1: Renault afirma já saber o que havia de ilegal no motor da Ferrari em 2019; entenda

compartilhar
comentários
F1: Renault afirma já saber o que havia de ilegal no motor da Ferrari em 2019; entenda
7 de mai de 2020 14:31

Segundo o chefe da equipe, a montadora francesa já sabe qual irregularidade foi cometida, mas espera mais detalhes sobre o acordo

Durante a pré-temporada da Fórmula 1, a notícia sobre o acordo secreto entre FIA e Ferrari sobre possíveis irregularidades com o motor de 2019 mexeu com o paddock da categoria (veja abaixo vídeo explicando o caso). As rivais da equipe italiana cobraram explicações à FIA e o assunto segue rendendo até hoje, com equipes como a Renault criticando a falta de transparência da Federação.

A montadora francesa afirmou que as equipes já sabem o que a Ferrari fez de errado com o motor de 2019, mas defende a revelação dos detalhes do acordo, para evitar novas irregularidades no futuro.

Leia também:

"Essa é uma questão que precisa ficar clara", disse Cyril Abiteboul, chefe da equipe, em entrevista ao site oficial da F1. "Tenho exatamente a mesma opinião que o Zak Brown [CEO da McLaren]. Vivemos em um mundo aberto, e, mesmo não sendo contra o processo da FIA, exigimos transparência".

"Sabemos exatamente o que foi encontrado de ilegal e o que foi feito sobre isso. No longo prazo, não queremos cometer os mesmos erros deles. Como fornecedores de motores, queremos ter certeza disso, que é algo que exige uma transparência que ainda não temos".

A dúvida das equipes é se a FIA trocou uma punição pesada à Ferrari por um acordo que inclusive pode trazer vantagens à montadora italiana.

Logo que o anúncio do acordo foi feito, sete equipes se manifestaram contra, divulgando um comunicado cobrando que os resultados da investigação fossem divulgados.

Em um primeiro momento, a FIA afirmou que não era obrigada a divulgar esses dados, mas, posteriormente, Jean Todt veio a público dizer que não teria problemas em entregar os resultados, mas que isso dependia da liberação de ambas as partes envolvidas.

Com o crescimento da pandemia pelo mundo e o impacto que ela teve no mundo da F1, o movimento foi perdendo força, com a Mercedes inclusive retirando publicamente seu apoio.

VÍDEO: Saiba tudo sobre o polêmico acordo secreto entre FIA e Ferrari

GALERIA: Cúpula da FIA e da F1 viveram dias de glória na Ferrari; entenda

Galeria
Lista

Jean Todt, que hoje é que possui o maior poder do trio, foi diretor de corridas da Ferrari de 1994 a 2007 e CEO entre 2004 e 2009.

Jean Todt, que hoje é que possui o maior poder do trio, foi diretor de corridas da Ferrari de 1994 a 2007 e CEO entre 2004 e 2009.
1/14

Foto de: Rainer W. Schlegelmilch

Ele foi o primeiro não italiano a ocupar uma vaga tão alta na equipe. Após 12 anos de Peugeot, ele foi recrutado por Luca di Montezemolo para tentar dar um fim ao jejum que vinha desde 1979.

Ele foi o primeiro não italiano a ocupar uma vaga tão alta na equipe. Após 12 anos de Peugeot, ele foi recrutado por Luca di Montezemolo para tentar dar um fim ao jejum que vinha desde 1979.
2/14

Foto de: XPB Images

A escolha não poderia ter sido mais certeira. No final de 1995, um convite a Michael Schumacher daria início a um grande período de vitórias, com cinco títulos consecutivos de pilotos e construtores, de 2000 a 2004, além do campeonato de Kimi Raikkonen em 2007, o último da escuderia.

A escolha não poderia ter sido mais certeira. No final de 1995, um convite a Michael Schumacher daria início a um grande período de vitórias, com cinco títulos consecutivos de pilotos e construtores, de 2000 a 2004, além do campeonato de Kimi Raikkonen em 2007, o último da escuderia.
3/14

Foto de: Sutton Motorsport Images

No dia 23 de outubro de 2009, Todt se elegeu presidente da FIA, cargo que ocupa até hoje.

No dia 23 de outubro de 2009, Todt se elegeu presidente da FIA, cargo que ocupa até hoje.
4/14

Foto de: XPB Images

Além de apoiar as mudanças na F1 que devem ser introduzidas em 2021, Todt tem destacado seu trabalho também na tentativa de diminuição de acidentes rodoviários.

Além de apoiar as mudanças na F1 que devem ser introduzidas em 2021, Todt tem destacado seu trabalho também na tentativa de diminuição de acidentes rodoviários.
5/14

Foto de: FIA

Ross Brawn ocupa o cargo de diretor esportivo do Grupo Liberty, detentores dos direitos comerciais da F1, após a saída de Bernie Ecclestone. É o nº2 do organograma da companhia que toma conta da F1.

Ross Brawn ocupa o cargo de diretor esportivo do Grupo Liberty, detentores dos direitos comerciais da F1, após a saída de Bernie Ecclestone. É o nº2 do organograma da companhia que toma conta da F1.
6/14

Foto de: Mark Sutton / Motorsport Images

Atualmente, é o principal nome que está por trás das grandes mudanças dos regulamentos técnicos e esportivos da F1 para 2021.

Atualmente, é o principal nome que está por trás das grandes mudanças dos regulamentos técnicos e esportivos da F1 para 2021.
7/14

Foto de: Mark Sutton / Motorsport Images

Sua experiência como chefe de equipe de Schumacher em seu período mais vitorioso, de 2000 a 2004, com cinco títulos consecutivos de pilotos e construtores.

Sua experiência como chefe de equipe de Schumacher em seu período mais vitorioso, de 2000 a 2004, com cinco títulos consecutivos de pilotos e construtores.
8/14

Foto de: Ferrari Media Center

Além do sucesso meteórico da Brawn GP em 2009 o colocam como figura respeitável nas mudanças.

Além do sucesso meteórico da Brawn GP em 2009 o colocam como figura respeitável nas mudanças.
9/14

Foto de: XPB Images

O grego Nikolas Tombazis também vem do ‘casamento perfeito’ entre Schumacher e Ferrari, também vindo da Benetton, em 1997.

O grego Nikolas Tombazis também vem do ‘casamento perfeito’ entre Schumacher e Ferrari, também vindo da Benetton, em 1997.
10/14

Foto de: Ferrari Media Center

Seu cargo na escuderia italiana sempre esteve voltado à parte aerodinâmica, permanecendo na equipe de 1997 a 2003 em uma primeira passagem.

Seu cargo na escuderia italiana sempre esteve voltado à parte aerodinâmica, permanecendo na equipe de 1997 a 2003 em uma primeira passagem.
11/14

Foto de: Ferrari Media Center

Em 2004 ele foi para a McLaren, retornando à Ferrari em 2006 como diretor de design de 2006 a 2014.

Em 2004 ele foi para a McLaren, retornando à Ferrari em 2006 como diretor de design de 2006 a 2014.
12/14

Foto de: XPB Images

Antes de ocupar o cargo de chefe de monopostos da FIA em 2018, ele teve breve passagem pela Manor.

Antes de ocupar o cargo de chefe de monopostos da FIA em 2018, ele teve breve passagem pela Manor.
13/14

Foto de: Franco Nugnes

Ele também está por trás das principais mudanças prometidas pela F1 para o carro de 2021, que promete ajudar categoria a ter uma competitividade mais próxima entre as equipes.

Ele também está por trás das principais mudanças prometidas pela F1 para o carro de 2021, que promete ajudar categoria a ter uma competitividade mais próxima entre as equipes.
14/14

Foto de: Mark Sutton / Motorsport Images

PODCAST: Os cinco maiores mitos e verdades da F1

 

 

SIGA NOSSO PODCAST GRATUITAMENTE:

Próximo artigo
Massa relembra dia em que Raikkonen exagerou na dose e 'zoou' Schumacher

Artigo anterior

Massa relembra dia em que Raikkonen exagerou na dose e 'zoou' Schumacher

Próximo artigo

Sem corridas, F1 relata perda de renda de mais de R$ 1 bi no primeiro trimestre de 2020

Sem corridas, F1 relata perda de renda de mais de R$ 1 bi no primeiro trimestre de 2020
Carregar comentários

Sobre esta matéria

Categoria Fórmula 1