Fórmula 1
25 mar
Próximo evento em
56 dias
06 mai
Próximo evento em
98 dias
20 mai
Próximo evento em
112 dias
R
GP do Azerbaijão
03 jun
Próximo evento em
126 dias
10 jun
Próximo evento em
133 dias
24 jun
Próximo evento em
147 dias
R
GP da Áustria
01 jul
Próximo evento em
154 dias
R
GP da Grã-Bretanha
15 jul
Próximo evento em
168 dias
29 jul
Próximo evento em
182 dias
R
GP da Bélgica
26 ago
Próximo evento em
210 dias
02 set
Próximo evento em
217 dias
09 set
Próximo evento em
224 dias
23 set
Próximo evento em
238 dias
R
GP de Singapura
30 set
Próximo evento em
245 dias
07 out
Próximo evento em
252 dias
21 out
Próximo evento em
266 dias
28 out
Próximo evento em
273 dias
05 nov
Próximo evento em
281 dias
R
GP da Austrália
18 nov
Próximo evento em
294 dias
R
GP da Arábia Saudita
03 dez
Próximo evento em
309 dias
R
GP de Abu Dhabi
12 dez
Próximo evento em
318 dias

Instituto cobra Fórmula 1 sobre abusos democráticos no Bahrein

compartilhar
comentários
Instituto cobra Fórmula 1 sobre abusos democráticos no Bahrein
Por:

Entidade afirmou que categoria “está realizando trabalho de relações públicas valioso para governo do Bahrein”

Uma carta endereçada ao CEO da Fórmula 1, Chase Carey, cobrou a categoria sobre as violações de direitos humanos no Bahrein, país que receberá duas corridas consecutivas da F1 nas próximas semanas.

Após as polêmicas com a escolha da Arábia Saudita como GP em 2021, o Instituto de Direitos Humanos e Democracia do Bahrein (BIRD) afirmou que a categoria está tendo um papel de “relações públicas”.

Leia também:

“Bahrein se viu foco de protestos populares e as forças de segurança do país cometeram graves abusos de direitos humanos contra os manifestantes”, afirma o BIRD, em carta divulgada pelo jornal The Guardian.

“A Fórmula 1 está realizando um trabalho de relações públicas valioso para o governo do Bahrein e corre o risco de normalizar a violação de direitos humanos no país”.

A opressão a manifestantes e ativistas no Bahrein, inclusive, já aconteceu perto do circuito de Sahkir em 2013, quando 20 opositores foram presos pelo governo local. Em 2015, um relatório também foi divulgado pela Anistia Internacional com denúncias sobre a violação de direitos humanos no país.

As cobranças à F1 – inclusive por parte da Anistia Internacional - também aconteceram recentemente após o anúncio do GP da Arábia Saudita, que será realizado em 2021 nas ruas de Jidá. O país é alvo de constantes críticas por perseguições a opositores, ativistas, limitação nos direitos de mulheres e homossexuais, além de torturas e execuções.

Lewis Hamilton acredita que os países com tais acusações não devem ser retirados do calendário, mas que a F1 deveria aproveitar sua influência para buscar mudança nestes locais.

“Nós vamos para todos esses países onde isso é um problema. Não há necessidade de isolar esses lugares. Precisamos entender como podemos interagir mais, usar esta plataforma para encorajar e promover mudança”, afirmou.

Nova parceria com ThePlayer.com, a melhor opção para apostas e diversão no Brasil

Registre-se gratuitamente no ThePlayer.com e acompanhe tudo sobre Fórmula 1 e outros esportes! Você confere o melhor conteúdo sobre o mundo das apostas e fica por dentro das dicas que vão te render muita diversão e também promoções exclusivas. Venha com a gente!

F1 2020: Hamilton REVELA ‘defeito’ da Mercedes e mostra como a equipe minimizou o problema; entenda

PODCAST: Domínio da Mercedes tira mérito de Hamilton em suas conquistas?

 

TV: Confira todos os horários e onde assistir ao GP do Bahrein de F1

Artigo anterior

TV: Confira todos os horários e onde assistir ao GP do Bahrein de F1

Próximo artigo

F1: o dia maluco em que Vettel conquistou o campeonato contra Alonso; relembre

F1: o dia maluco em que Vettel conquistou o campeonato contra Alonso; relembre
Carregar comentários

Sobre esta matéria

Categoria Fórmula 1
Autor Redação Motorsport.com