Maldonado diz que recusou vaga na F1 para 2017

Venezuelano alega que carro oferecido não era competitivo o suficiente para o fazer voltar ao campeonato

Maldonado diz que recusou vaga na F1 para 2017
Pastor Maldonado
Pastor Maldonado
Graeme Lowdon and Pastor Maldonado
Pastor Maldonado
Pastor Maldonado
Carregar reprodutor de áudio

Fora da Fórmula 1 desde o final de 2015, Pastor Maldonado não competiu em mais nenhum campeonato durante este tempo, e atualmente procura lugares em outras categorias e na própria Fórmula 1 para retornar às competições.

No entanto, Maldonado diz que recusou uma oferta de voltar à F1 neste anos e não conseguiu encontrar uma alternativa para voltas às competições em 2017.

"Eu tenho experiência e tive a oportunidade de voltar neste ano para correr", disse ele ao Motorsport.com.

"Eu estava muito perto de voltar, mas decidi não fazer isso. Se eu não estiver com uma boa sensação, se eu não tiver nenhuma garantia de fazer as coisas do jeito certo, é melhor ficar longe. Então eu recusei."

Maldonado foi patrocinado pela PDVSA, gigante estatal de petróleo e gás de seu país, que investia perto de 46 milhões de dólares por ano em sua carreira. Por problemas financeiros, Maldonado perdeu seu lugar na Renault para 2016 quando a PDVSA não pagou o que devia ao time.

O estado ruim da economia venezuelana tem lançado dúvidas sobre esse apoio no futuro, mas Maldonado insiste que isso não é um obstáculo ao seu retorno.

"É muito difícil. Temos altos e baixos na economia e espero que em breve possamos sair dessa situação e que o país está", disse o vencedor do GP da Espanha de 2012.

"Eu não acho que é importante, um retorno ainda é possível. Não é o único patrocinador. Eu não estou na F1 agora porque não quero estar."

Maldonado disse que não está ativamente buscando um retorno à F1 "no momento", mas afirma que um retorno continua possível.

"Descobri que existem coisas mais interessantes do que a F1 na vida", disse ele. "Não é tudo, mas estou perdendo, porque dediquei minha vida inteira ao automobilismo. Comecei quando tinha seis anos.”

"Quando eu acordar e decidir 'OK, é hora de voltar', eu vou."

Quando perguntado se vai fazer alguma corrida neste ano, ele disse: "Vou fazer alguma coisa, mas não sei o quê."

compartilhar
comentários
Carey diz que equipes pedem "proteção delas mesmas"
Artigo anterior

Carey diz que equipes pedem "proteção delas mesmas"

Próximo artigo

Verstappen quebra recorde de Zandvoort com Red Bull de 2012

Verstappen quebra recorde de Zandvoort com Red Bull de 2012