Mansell completa 66 anos; relembre carreira daquele que bateu de frente com Piquet e Senna na F1

compartilhar
comentários
Mansell completa 66 anos; relembre carreira daquele que bateu de frente com Piquet e Senna na F1

"Leão" também é o único a conquistar título da Fórmula 1 e ser campeão na IndyCar no ano seguinte

Nigel Mansell completa 66 anos de idade nesta quinta-feira. O “Leão” é um daqueles pilotos que, mesmo não sendo brasileiro, está na memória e coração dos torcedores. Dentro do período mais vitorioso do Brasil na Fórmula 1, ele conseguiu bater de frente com Nelson Piquet e Ayrton Senna. Mansell pode se orgulhar de suas vitórias e se colocar como referência nas duas mais tradicionais categorias de monopostos do mundo.

Leia também:

'Bicampeonato' único

Mansell pode não ter o maior número de títulos dentro do automobilismo, e está muito longe disso, mas somente ele pode bater no peito para um grande feito: é o único piloto na história que saiu campeão da Fórmula 1, foi para os Estados Unidos e se tornou campeão da Indy no ano seguinte (veja todos os carros que ele pilotou ao final desta matéria).

Na F1, com a Williams, em 1992, ele dominou totalmente as ações, com nove vitórias em 16 provas, 12 pódios e 14 poles. Em número de pontos, foram 108 pontos no total, contra 56 de Riccardo Patrese - seu companheiro de Williams -, 53 de Michael Schumacher e 50 pontos de Ayrton Senna.

Após desentendimento com Frank Williams, Mansell resolveu sair da equipe e da categoria. Assinou com a Newman/Haas Racing para substituir Michael Andretti, que fez o caminho contrário, indo para a F1. Mansell chegou dando as cartas, mas não teve vida tão fácil como no ano anterior. Em 15 provas disputadas, foram cinco vitórias, dez pódios e sete poles.

O Leão ainda se "deu ao luxo" de não disputar uma etapa, em Phoenix, quando bateu nos treinamentos, desmaiou e acabou sendo sacado da prova por recomendações médicas. Naquela campanha, Mansell terminou oito pontos à frente de Emerson Fittipaldi, sendo campeão da CART como novato.

Na F1

Ele iniciou a carreira na F1 em 1980, correndo apenas duas etapas pela Lotus, onde ficou até 1984, não conseguindo vencer, mas com cinco pódios e uma pole no período. As quatro temporadas seguintes foram pela Williams, quando acabou virando o grande caçador de Nelson Piquet no tricampeonato do brasileiro em 1987.

Nessa sua primeira passagem na equipe de Frank Williams, foram 13 vitórias, 21 pódios e 11 poles. Ele voltaria à escuderia em 1991, quando se tornou vice-campeão de Ayrton Senna em 1991 e garantindo êxito no ano seguinte, como relatamos.

A Ferrari pode ter sido uma breve passagem para Nigel, mas foi marcante por pelo menos duas razões. A primeira é que Mansell foi o último piloto escolhido por Enzo Ferrari antes de sua morte. O lendário dono da escuderia italiana morreu em 14 de agosto de 1988, aos 90 anos, ainda sem a estreia do Leão. Dias depois, no GP da Itália, em Monza, a a equipe conquistou a única dobradinha daquela temporada, com Gerhard Berger e Michele Alboreto.

Outro fato marcante é justamente seu apelido, o "Leão". Estando no time que mais se assemelha a uma equipe de futebol, os tiffosi apelidaram Mansell de Leão por conta de seu estilo agressivo de pilotagem. O apelido pegou até aqui no Brasil. Outra coincidência é o signo. Hoje, 8 de agosto, o horóscopo nos diz que estamos sob o signo de Leão.

Confira os carros que Nigel Mansell pilotou na F1 e Indy

Galeria
Lista

1980 - Lotus 81B

1980 - Lotus 81B
1/20

Foto de: David Phipps

Em seu primeiro ano, Mansell só se classificou para três provas e não chegou a pontuar.

1981 - Lotus 87-Ford Cosworth

1981 - Lotus 87-Ford Cosworth
2/20

Foto de: LAT Images

Na segunda temporada, o leão conseguiu seu primeiro pódio, um terceiro lugar na Bélgica.

1982 - Lotus

1982 - Lotus
3/20

Foto de: Jean-Philippe Legrand

A terceira temporada na Lotus foi pior do que em 1981, mesmo assim o "Leão" foi ao pódio no Brasil, novamente em terceiro.

1983 - Lotus 94T

1983 - Lotus 94T
4/20

Foto de: Sutton Motorsport Images

Em mais um ano de Lotus, Mansell foi ao pódio no GP da Europa, em Brands Hatch.

1984 - Lotus 95T

1984 - Lotus 95T
5/20

Foto de: Sutton Motorsport Images

No último ano com a Lotus, Mansell foi ao pódio mais duas vezes. O inglês foi substituído por Senna em 1985.

1985 - Williams FW10 Honda

1985 - Williams FW10 Honda
6/20

Foto de: LAT Images

Em seu primeiro ano de Williams, o britânico conquistou suas duas primeiras vitórias, o mesmo número do companheiro de equipe, o campeão mundial Keke Rosberg.

1986 - Williams FW11 Honda

1986 - Williams FW11 Honda
7/20

Foto de: LAT Images

Tendo o bicampeão Nelson Piquet como novo companheiro, Mansell venceu cinco vezes e terminou o ano como vice-campeão, perdendo o título por apenas 2 pontos de diferença para Alain Prost.

1987 - Williams FW11B Honda

1987 - Williams FW11B Honda
8/20

Foto de: David Phipps

Os abandonos fizeram o Inglês perder o título pelo segundo ano consecutivo, dessa vez para o companheiro, Nelson Piquet, que foi mais regular e bateu Mansell por 12 pontos.

1988 - Williams FW12

1988 - Williams FW12
9/20

Foto de: Sutton Motorsport Images

No primeiro ano do domínio da McLaren Honda, Mansell não teve chances de lutar pela vitória e acabou o ano na nona posição da tabela, com dois segundos lugares e 12 abandonos.

1989 - Ferrari

1989 - Ferrari
10/20

Foto de: LAT Images

Com duas vitórias na nova equipe, Mansell terminou o campeonato daquele ano na quarta posição da tabela, três a frente do companheiro, Gerhard Berger

1990 - Ferrari 641

1990 - Ferrari 641
11/20

Foto de: Ercole Colombo

Tendo Alain Prost como companheiro, Mansell acabou como segundo piloto da equipe, conquistando uma única vitória na temporada.

1991 - Williams

1991 - Williams
12/20

Foto de: Sutton Motorsport Images

De volta à velha casa, Mansell viu a equipe desenvolver a tecnologia da suspensão ativa com que dominaria o ano seguinte. A novidade fez com que o time inglês quase ameaçasse o título de Senna na segunda metade do ano. O "Leão" venceu cinco provas e foi vice.

1992 - Williams

1992 - Williams
13/20

Foto de: Sutton Motorsport Images

Com a suspensão ativa, Mansell finalmente teve seu ano de glória.

1992 - Williams FW14B Renault

1992 - Williams FW14B Renault
14/20

Foto de: Rainer W. Schlegelmilch

O inglês venceu 9 das 16 etapas do ano e foi campeão com quase o dobro da pontuação do vice, Ricardo Patrese, seu companheiro na Williams.

1993 - IndyCar - Newman Haas

1993 - IndyCar - Newman Haas
15/20

Foto de: Indianapolis Motor Speedway

Após se aposentar da F1, Mansell foi para os Estados Unidos. Com cinco vitórias e mais cinco pódios nas 16 provas do ano, o inglês foi campeão da Indy logo em seu primeiro ano.

Nigel Mansell

Nigel Mansell
16/20

Foto de: IndyCar Series

Em 1994, Mansell viu a Penske de Emerson Fittipaldi, Paul Tracy e Al Unser Jr. dominar o campeonato. A equipe faturou 12 das 16 provas e o "Leão" não teve chances de vitória, apesar de anotar três poles e três pódios.

1994 - Williams FW16B

1994 - Williams FW16B
17/20

Foto de: LAT Images

Após a morte de Senna em Ímola, a Williams queria trazer Mansell de volta, mas precisou aguardar o fim da temporada da Indy. O britânico teve um grande retorno, conquistando a pole e a vitória no GP da Austrália.

1995 - McLaren MP4/10B Mercedes

1995 - McLaren MP4/10B Mercedes
18/20

Foto de: LAT Images

Mansell assinou com a McLaren que acabava de assinar contrato para ter a Mercedes como fornecedora de motores. Devido ao sobrepeso do inglês, a equipe precisou fazer uma adaptação no carro e ele ficou de fora das primeiras provas. Mansell estreou em San Marino e fez apenas duas provas antes de se aposentar novamente.

1996 - Jordan Peugeot

1996 - Jordan Peugeot
19/20

Foto de: LAT Images

No fim de 1996, Mansell testou os carros da Jordan em Barcelona e havia a possibilidade de retornar à F1 em 1997.

1996 - Jordan Peugeot

1996 - Jordan Peugeot
20/20

Foto de: LAT Images

No entanto, o dono da equipe, Eddie Jordan, não considerou os tempos do "Leão" muito competitivos e desistiu do negócio.
Indy anuncia que terá carros com motores híbridos a partir de 2022

Artigo anterior

Indy anuncia que terá carros com motores híbridos a partir de 2022

Próximo artigo

McLaren fará temporada completa na Indy em parceria com Arrow SPM

McLaren fará temporada completa na Indy em parceria com Arrow SPM
Carregar comentários

Sobre esta matéria

Categoria Fórmula 1 , IndyCar