McLaren, Ferrari e Williams assinam novo Pacto de Concórdia da F1

As equipes abrem a lista de signatárias do documento, essencial para a participação no Mundial no futuro; as demais tem até o final do mês

McLaren, Ferrari e Williams assinam novo Pacto de Concórdia da F1

Já temos as três primeiras equipes confirmadas para permanecer na Fórmula 1 até 2025 pelo menos. McLaren, Ferrari Williams abrem a lista de equipes a assinar o novo Pacto de Concórdia da categoria, documento que rege as operações comerciais da F1 e que é de assinatura obrigatória a todas as equipes participantes do Mundial.

O primeiro prazo para a assinatura, que dá as equipes bônus financeiros, foi adiado para essa semana após discussões legais que aconteceram no último minuto. O segundo prazo, sem o bônus, é no final do mês.

Leia também:

As equipes já haviam deixado claro que estavam felizes com o processo das negociações do Pacto e estavam prontas para assinar, enquanto outras equipes, notavelmente Mercedes e Racing Point, haviam deixado públicas suas insatisfações. Porém, é esperado que todas assinem o documento ainda essa semana.

Em um comunicado, a equipe McLaren disse: "A McLaren Racing confirmou nesta manhã que se tornou signatária do novo Pacto de Concórdia, que governará a F1 até 2025, reafirmando o compromisso de longo prazo da equipe com o esporte".

O CEO da McLaren, Zak Brown, destacou que o novo acordo lida com as reclamações políticas e financeiras que haviam antes.

"A F1 tomou um novo passo importante a caminho de um futuro forte e sustentável com esse novo acordo", disse. "Esse é o acordo certo no momento certo para o esporte, os donos, equipes e, principalmente com os fãs".

"Um esporte mais igualitário é melhor para todos; um balanço melhor na distribuição de renda entre as equipes e uma governança mais simples e clara, que coloca o esporte em primeiro lugar. Esse acordo tornará os construtores da F1 coletivamente mais fortes a longo prazo".

Na Ferrari, o CEO Louis Camilleri disse: "Estamos felizes por assinar novamente o Pacto. É um passo importante para garantir a estabilidade e o crescimento do esporte. Estamos confiantes que a colaboração com a FIA e a Liberty Media podem tornar a F1 ainda mais atrativa e espetacular".

"Correr está no DNA da Ferrari e não é coincidência que a Scuderia é a única equipe a participar de todas as temporadas do Mundial, tornando uma parte integral e essencial de seu sucesso, hoje, assim como no passado e, acima de tudo, no futuro".

O presidente da FIA, Jean Todt, também comentou a assinatura da Ferrari: "Estamos felizes que a Ferrari seja signatária do novo Pacto, que garante um futuro estável para a Fórmula 1. Esse é o pináculo do esporte e é natural que a equipe de maior sucesso e que sempre foi protagonista queira continuar sua história por muitos anos".

Já o CEO da F1, Chase Carey, destacou como a história do Mundial está intrinsecamente ligada à da Scuderia.

"A Scuderia Ferrari e a Fórmula 1 andam juntos desde 1950 e estamos felizes que esse relacionamento seguirá por muitos anos, sendo parte do DNA do esporte. No caminho que levou a esse novo Pacto, pudemos apreciar o papel construtivo da Ferrari, sempre visando tornar o ápice do automobilismo mais forte, justo e sustentável".

"Agora, o caminho está pavimentado para garantir que a Fórmula 1 seja ainda mais espetacular e atrativa para centenas de milhões de fãs ao redor do mundo que amam esse esporte".

A chefe da Williams, Claire, reforçou o passo adiante que o novo Pacto dá para o futuro da F1.

"O novo Pacto representa um grande passo adiante, tanto para a Fórmula 1 quanto para a Williams. Como uma das equipes mais longevas do esporte, ficamos felizes ao ver que a direção futura do Mundial foi confirmada para a nova era da categoria".

"Nossa expectativa, alinhada com a Liberty Media, é que essa próxima era será caracterizada por uma corrida mais próxima e excitante, como resultado de uma nova plataforma de regulamentos, que inclui uma distribuição de renda mais igualitária e um inédito teto orçamentário".

"O Pacto é um marco no desenvolvimento da Fórmula 1, e também representa uma oportunidade significativa para a Williams continuar sua jornada para retornar ao topo do grid".

Assim que o Pacto seja assinado por todas as partes, a nova estrutura de governança será efetivada, mudando o processo de tomada de decisões, porque a unanimidade das 10 equipes não será mais necessária para mudanças de última hora.

RETA FINAL: GP da Espanha, livro de Piquet e a participação de Ricardo Maurício, Gabriel Casagrande e Bruno Baptista

O que resta para Massa no automobilismo após sair de sua equipe na Fórmula E? Ouça

 

.

SIGA NOSSO PODCAST GRATUITAMENTE:

compartilhar
comentários
Wolff: "Não faz sentido algum" questionar papel da Mercedes no caso Racing Point

Artigo anterior

Wolff: "Não faz sentido algum" questionar papel da Mercedes no caso Racing Point

Próximo artigo

Pilotos da F1 discutirão segurança em voltas de resfriamento de pneus após incidente entre Ocon e Magnussen

Pilotos da F1 discutirão segurança em voltas de resfriamento de pneus após incidente entre Ocon e Magnussen
Carregar comentários

Sobre esta matéria

Categoria Fórmula 1
Equipes McLaren
Autor Adam Cooper