Pérez sonda vaga na Alfa Romeo diante de negociação com Vettel na Racing Point, diz TV mexicana

Segundo informações da ESPN México, as negociações de Vettel com a Racing Point levaram o piloto a explorar opções no grid

Pérez sonda vaga na Alfa Romeo diante de negociação com Vettel na Racing Point, diz TV mexicana
Carregar reprodutor de áudio

No início da semana, começaram a surgir os primeiros rumores de uma possível ida de Sebastian Vettel para a Racing Point, uma manobra que manteria o tetracampeão no grid da Fórmula 1. Porém, segundo fontes, o acordo, que estaria próximo de ser fechado, seria para a vaga de Sergio Pérez e não para a de Lance Stroll. E Pérez não esperou o pior para se mexer.

O mexicano tem contrato garantido com a Racing Point, que se tornará Aston Martin no próximo ano, até 2022. Porém, segundo a informação divulgada pela imprensa alemã, em seu contrato, há uma cláusula de saída que a equipe poderia acionar até 31 de julho.

Leia também:

Para uma equipe, que se tornará de fábrica no próximo ano, e que pretende crescer na F1, o movimento mais racional seria dar a vaga de Stroll para Vettel, já que o canadense não apresenta resultados similares ao do mexicano. Porém, como Stroll é filho do dono da equipe e do presidente executivo da montadora, a sua saída é vista como quase impossível no momento.

Por isso, Pérez e sua equipe já estão correndo atrás do prejuízo. Segundo a ESPN México, o piloto já estava ciente da negociação entre Lawrence Stroll e Vettel e, com isso, seu empresário, Julian Jacobi, já está correndo atrás de opções para manter o mexicano no grid da F1.

Entre as opções do grid, Ferrari, McLaren e Renault já têm duplas fechadas, a Mercedes está encaminhando a permanência de seus pilotos e Red Bull e AlphaTauri dificilmente trazem pessoas de fora da Academia. Com isso, restam três opções no grid: Alfa Romeo, Haas e Williams. E dessas, a Alfa pode ser sua melhor oportunidade.

De acordo com o canal, Pérez já iniciou conversas com a Alfa Romeo. O mexicano estrou na F1 com a equipe em 2011, quando ainda tinha o nome de Sauber e ficou lá por duas temporadas, conquistando inclusive três pódios em 2012.

Mas a possível mudança de equipe depende de uma situação favorável para o mexicano. Kimi Raikkonen ainda não deu indícios de que irá se aposentar no final do ano e a ligação da Ferrari com a equipe pode pesar a favor não só de Antonio Giovinazzi como também dos demais pilotos da Academia da Scuderia, Mick Schumacher, Marcus Armstrong e Robert Shwartzman.

TELEMETRIA: O que muda na F1 no GP da Hungria, guerra técnica e Vettel na Racing Point

PODCAST: Guerra de bastidores na F1 e entrevista com Igor Fraga

 

compartilhar
comentários
Poder, honra e 'pódio': o que está em jogo no GP da Hungria de F1?
Artigo anterior

Poder, honra e 'pódio': o que está em jogo no GP da Hungria de F1?

Próximo artigo

Williams confirma Russell e Latifi para a temporada 2021 da F1

Williams confirma Russell e Latifi para a temporada 2021 da F1