Toro Rosso planeja trabalho ininterrupto para terminar carro

Time de Faenza vai trabalhar 24 horas por dia, sete dias por semana, para completar projeto de 2017 a tempo dos testes de pré-temporada

Toro Rosso planeja trabalho ininterrupto para terminar carro
Office in the Scuderia Toro Rosso workshop
Mechanics in the Scuderia Toro Rosso workshop
2017 aero regulations, top view
2017 aero regulations, front view
2017 aero regulations, side view
Franz Tost, Scuderia Toro Rosso Team Principal
Daniil Kvyat, Scuderia Toro Rosso STR11
Daniil Kvyat, Scuderia Toro Rosso STR11
Carlos Sainz Jr., Scuderia Toro Rosso
Daniil Kvyat, Scuderia Toro Rosso STR11
Carregar reprodutor de áudio

Com as mudanças no regulamento para a temporada 2017, a Fórmula 1 apresentará carros totalmente novos - mais largos e com mais pressão aerodinâmica, além de pneus totalmente remodelados e com dimensões maiores.

Os testes de pré-temporada começam no dia 27 de fevereiro, em Barcelona - cinco dias mais tarde se comparado ao início em 2016. Entretanto, as mudanças radicais geraram um desafio extra para algumas equipes, que enfrentam uma batalha contra o tempo para deixar os carros novos prontos a tempo.

É o caso da Toro Rosso, que já admite trabalhar ininterruptamente para finalizar o projeto de 2017 a tempo de participar dos testes em Barcelona desde o início com o carro novo.

“Na área de produção, teremos que trabalhar 24 horas por dia, sete dias por semana, durante um período. Do meio de janeiro até a metade de fevereiro, teremos três turnos por dia. É um curto espaço de tempo, mas bastante custoso e intensivo", disse.

Dezembro e janeiro são os meses mais críticos no processo de produção do carro para as equipes. Os times querem dar o máximo de tempo possível para os projetistas buscarem o máximo de desempenho, mas o tempo é curto.

Apesar disso, Tost acredita que a Toro Rosso conseguirá fazer tudo o que precisa dentro do prazo. "É um desafio e tanto quando o departamento aerodinâmico não quer mostrar os desenhos para ganhar mais tempo, mas trata-se de ganhar performance. Todo ano é assim", afirmou.

“Quanto mais tempo você fica no túnel de vento e faz o trabalho de pesquisa, mais performance você consegue. Esta é a diferença em um time pequeno, uma vez que você estabelece um prazo, é fundamental cumprir tal prazo, caso contrário o carro não vai para a pista", acrescentou.

“Precisamos tomar decisões sobre prazos e eles sabem que já estamos em cima do prazo, não é possível adiar mais o nosso trabalho", completou.

Autosport / Lawrence Barretto

compartilhar
comentários
Ecclestone: só fim de era híbrida tira Mercedes do topo
Artigo anterior

Ecclestone: só fim de era híbrida tira Mercedes do topo

Próximo artigo

Hakkinen: “Imagino Bottas sendo campeão do mundo”

Hakkinen: “Imagino Bottas sendo campeão do mundo”