Verstappen: “Estou sem palavras, um resultado fantástico”

Piloto da Toro Rosso sobrevive ao caótico GP da Hungria e conquista melhor resultado da carreira

Verstappen: “Estou sem palavras, um resultado fantástico”
Max Verstappen, Scuderia Toro Rosso com a imprensa
Max Verstappen, Scuderia Toro Rosso STR10
Max Verstappen, Scuderia Toro Rosso
Carlos Sainz Jr., Scuderia Toro Rosso STR10 and Daniil Kvyat, Red Bull Racing RB11
Carregar reprodutor de áudio

Max Verstappen terminou o GP da Hungria, realizado neste domingo (26), em quarto lugar – o melhor resultado dele na Fórmula 1 até o momento. O holandês ficou muito feliz com a posição final na prova húngara, dizendo que a conquista superou as expectativas dele e da equipe.

"Inacreditável, quarto lugar! Estou sem palavras, um resultado fantástico! Não esperava por isso, ainda mais depois do início ruim. No entanto, consegui evitar os incidentes e no meu segundo stint tudo corria bem, eu me sentia confortável no carro e os que vinham atrás não conseguiam se aproximar”, contou.

“Quando a corrida foi reiniciada após o período de Safety Car e os carros à frente bateram, muita coisa aconteceu. Minha asa dianteira também ficou danificada e eu fui punido com um drive-through”, disse.

O piloto da Toro Rosso contou também como reagiu quando soube que ocupava o quarto posto. A poucas voltas do fim da prova, perguntei ao meu engenheiro em que posição estávamos e quando ele disse ‘quarto’ eu simplesmente não acreditei! Estou muito feliz hoje e gostaria de agradecer à equipe, eles me apoiam demais e merecem esse resultado. Não teria conseguido sem eles”, observou.

Assim como no sábado, Carlos Sainz Jr. termina o dia sem motivos para comemorar, já que o espanhol vinha bem na prova, mas foi obrigado a recolher para os boxes devido a problemas na unidade de potência e abandonar a disputa.

"Uma pena terminar o final de semana desta maneira. Poderíamos ter finalizado a prova em uma boa posição se não tivéssemos abandonado. Fazíamos uma boa corrida e estávamos em quinto quando eu fiquei sem potência e isso foi o fim de tudo”, falou o piloto.

“Foi a terceira corrida consecutiva em que brigávamos pelos pontos e não terminamos, algo que não me traz alegria. Pelo menos Max pôde marcar alguns pontos, o que é ótimo para a equipe. É decepcionante e difícil assimilar mais um abandono, mas felizmente temos a pausa de verão para analisar o que aconteceu, rever detalhes e retornar mais fortes”, finalizou.

compartilhar
comentários
11º na Hungria, Nasr lamenta tráfego: “comprometeu meu ritmo”
Artigo anterior

11º na Hungria, Nasr lamenta tráfego: “comprometeu meu ritmo”

Próximo artigo

Presidente da Ferrari dedica vitória em Hungaroring à Jules Bianchi

Presidente da Ferrari dedica vitória em Hungaroring à Jules Bianchi