Fórmula E
R
ePrix da Arábia Saudita
22 nov
-
23 nov
Próximo evento em
3 dias
R
ePrix de Santiago
17 jan
-
18 jan
Próximo evento em
59 dias
R
ePrix da Cidade do México
14 fev
-
15 fev
Próximo evento em
87 dias
R
ePrix de Marraquexe
27 fev
-
29 fev
Próximo evento em
100 dias
R
ePrix de Sanya
20 mar
-
21 mar
Próximo evento em
122 dias
R
ePrix de Roma
03 abr
-
04 abr
Próximo evento em
136 dias
R
ePrix de Paris
17 abr
-
18 abr
Próximo evento em
150 dias
R
ePrix de Seul
02 mai
-
03 mai
Próximo evento em
165 dias
R
ePrix de Jacarta
05 jun
-
06 jun
Próximo evento em
199 dias
R
ePrix de Berlim
20 jun
-
21 jun
Próximo evento em
214 dias
R
ePrix de Nova York
10 jul
-
11 jul
Próximo evento em
234 dias
R
ePrix de Londres
25 jul
-
26 jul
Próximo evento em
249 dias

Di Grassi: Fórmula E não ficará menos emocionante com novas regras

compartilhar
comentários
Di Grassi: Fórmula E não ficará menos emocionante com novas regras
Por:
4 de dez de 2018 19:08

Piloto brasileiro diz que novo carro mais largo, veloz e com muita eletrônica e corridas sem pit obrigatório não devem influir negativamente “se tudo for feito do jeito certo”

Campeão da temporada 2016/17 da Fórmula E, Lucas di Grassi acredita que a dinâmica emocionante que marcou as corridas do campeonato elétrico deverá seguir na temporada que se inicia neste mês.

Perguntado pelo Motorsport.com se temia o fato de que as corridas pudessem ficar mais estagnadas nesta temporada sem a troca de carros obrigatória dentro da prova e com os novos carros da segunda geração sendo mais largos que os antigos e significativamente mais velozes por volta, Di Grassi negou mas não tem certeza de qual será a dinâmica da nova era da Fórmula E.

“Eu acho que não (influirá negativamente)”, falou.

“A monotonia das corridas vai depender muito do design da pista. Por exemplo: Paris pode ser mais monótona porque a pista é mais travada. Mas talvez pistas como Riade e Marrakesh possam ter provas mais interessantes.”

“Mas é difícil dizer. Acho que teremos menos problemas no carro. Até a última temporada era tudo mecânico, como a distribuição do balanço de freio. Agora todas essas coisas são eletrônicas. Então, é um carro que teoricamente tem mais ajuda que o outro. Isso é ruim, porque teoricamente quanto mais depender do piloto, melhor.”

“Eu até propus fazer a corrida sem rádio, para dar uma embolada maior e o piloto decidir a estratégia. A chance de um piloto errar em uma estratégia quando está pilotando é muito maior do que se alguém no box fica te falando.”

“Então isso poderia deixar a corrida mais dinâmica. Essa é uma pergunta relevante, sinceramente eu não tenho a resposta se sim ou se não. Mesmo assim, acho que se tudo for feito do jeito certo, a categoria tende a ser bem parecida com o que já foi nos outros anos.”

Falando sobre o carro após os testes realizados no último mês, definiu que o novo pacote da Fórmula E mudou mais visualmente do que tecnicamente.

“O carro não mudou muito em geral”, contou.

“É um carro que é três segundos mais rápido por volta, tem mais potência e mais torque, mas o conceito geral de recuperação de energia, de salvar energia na corrida e fazer a classificação de pé embaixo, é muito parecido.”

“O jeito de pilotar também é parecido. É claro que o carro é uma evolução, mas ele mudou muito mais visualmente do que tecnicamente.”

A abertura do campeonato acontece no dia 15 de dezembro, em Riade, na Arábia Saudita.

Próximo artigo
Fórmula E revela como “modo ataque” vai funcionar

Artigo anterior

Fórmula E revela como “modo ataque” vai funcionar

Próximo artigo

Fórmula E estenderá uso do carro Gen2 por 4 temporadas

Fórmula E estenderá uso do carro Gen2 por 4 temporadas
Carregar comentários

Sobre esta matéria

Categoria Fórmula E
Autor Gabriel Lima