Dignity Gold GT Sprint Race comemora 11 anos nesta quinta-feira

Inovação é a tônica da competição, que trabalha um calendário intenso e motivador dentro da temática recheada de muita velocidade, emoção e adrenalina.

Dignity Gold GT Sprint Race comemora 11 anos nesta quinta-feira
Carregar reprodutor de áudio

A GT Sprint Race completa o seu 11ª ano de existência na próxima quinta-feira, dia 12 de maio. Desde o seu lançamento em 2011 o campeonato buscou conceitos inovadores, evoluir tecnicamente na performance de suas máquinas e entregar um legítimo carro de competição, com a premissa de alto grau de qualidade, desempenho e segurança. Ano após ano, se destaca entre os maiores eventos nacionais automobilísticos.

O editor recomenda:

Thiago Marques, CEO da Dignity Gold GT Sprint Race, aponta que a cada temporada tudo foi pensado com cautela para alcançar os objetivos. “Estamos orgulhosos por chegar até aqui, sabemos as dificuldades de gerir uma categoria de automobilismo no Brasil e no mundo. Tantos projetos semelhantes descontinuaram em tão curto prazo e felizmente já ultrapassamos uma década de existência, então realmente é motivo de orgulho”, declara.

“Como diz o ditado: ´o Brasil não é para amadores´. Nós dependemos muito de fatores econômicos e políticos. Vivemos períodos difíceis, especialmente em meados de 2015 a 2018, mas, com as inovações e com as entregas que realizamos, conseguimos dar o respaldo e corresponder às expectativas dos patrocinadores e pilotos. Demos a volta por cima com um campeonato sólido e consistente que a cada ano cresce gradativamente, sempre com os pés no chão”, enfatiza.

O quarto desafio do ano será no dia 05 de junho, no Autódromo Internacional Ayrton Senna, em Goiânia (GO), e marcará o início do torneio Special Edition, com três etapas e três corridas por evento ao longo do calendário 2022.

A HISTÓRIA

Em 12 de maio de 2012, o campeonato iniciou as atividades nos circuitos nacionais com a primeira corrida no Autódromo Internacional José Carlos Pace, em Interlagos, na capital paulista. Por ter sede localizada em Pinhais (PR), os treinos preparatórios e testes com seus bólidos sempre estiveram concentrados no Autódromo Internacional de Curitiba, em Pinhais (PR) até o seu fechamento.

O evento contou sempre com novidades e um calendário eclético em todas suas temporadas. Um dos marcos da competição e da história do automobilismo nacional foi a estreia da categoria na América do Norte, com as provas da Sprint Race Internacional Cup, nos icônicos autódromos de Homestead e Sebring, na Flórida (EUA), e atravessou a fronteira para etapas no Uruguai.

Entre as implementações realizadas pelo Dignity Gold GT Sprint Race e que ficaram consagradas ao longo de uma década, estão atrações especiais como a Night Challenge - corrida noturna -, a Guest Race - na qual um piloto consagrado no automobilismo é convidado para compor o grid -, a Super Pole - sistema de qualificação destinada aos dez pilotos mais rápidos, que têm somente uma volta independente -, Inverse Race - com grid invertido para os oito primeiros -, a corrida no anel externo (oval), do Autódromo Internacional de Curitiba; a Set Up Free - na qual os pilotos têm liberdade para realizar o acerto do seu carro -, e a etapa decisiva, com o Match Point.

Em 2020, o destaque esteve na evolução e lançamento dos novos carros. Após oito anos de um projeto bastante elogiado, a categoria incorporou novas tecnologias, porém mantendo o padrão de segurança e equilíbrio, em sintonia com as principais competições de turismo no mundo.

Esses pontos foram garantidos com o conceito de cockpit utilizado nos modelos anteriores, o qual o piloto fica sentado no meio do carro, o que ajuda no distanciamento dos impactos em "T”, ficando longe das laterais e garantindo maior segurança na direção.

A inovação sempre estará no "centro” da Dignity Gold GT Sprint Race, seja em seu equipamento ou no sistema de disputas no campeonato. Ainda na edição de 2020, com uma versão bem diferente do habitual, o calendário contou com o Special Edition.

O sistema de classificação segue regulamento ao estilo exclusivo, onde as duas primeiras corridas são classificatórias para a grande final. A cada etapa são três corridas e podem se inscrever para cada carro até três pilotos nas categorias PRO, AM e PROAM.

Confira os campeões e destaques, desde seu início:

2012 – Gustavo Martins;

2013 – Gaetano di Mauro e Guilherme Salas (em dupla);

2014 – Flávio Lisboa, pela classe PRO, e Adriano Amaral, na classe GP;

2015 – Pietro Rimbano, pela classe PRO, e Fábio Brecailo, na classe GP;

2016 – Os irmãos Wanderlei Berlanda Júnior e Eduardo Berlanda, em dupla, pela classe PRO, e Vinícius Margiota, pela classe GP;

2017 – Primeira temporada com variação de torneios. Wanderlei Berlanda Júnior, em pilotagem solo, levou a geral na classe PRO e também venceu as etapas da Winter Cup. A dupla formada por Kau Machado e Jorge Martelli venceu na geral da classe GP. O então novato João Rosate conquistou os títulos de Rookie of the Year e do Final Cup;

2018 – Wanderlei Berlanda Júnior, pela classe PRO, e Kau Machado/ Jorge Martelli , na classe GP;

2019 – Segundo ano de minitorneios correndo em paralelo ao campeonato principal. A dupla formada por João Rosate e Bruno Smielevski conquistou o título do Overall, da Internacional Cup e conquistou o campeonato geral da classe PRO da Sprint Race Brasil. Neste mesmo nacional, pela classe GP, Daniel Coutinho e Josimar Júnior levaram o título. Coutinho, em solo na mesma classe, também foi o vencedor no Overall, Winter Cup e Internacional Cup. O Rookie do ano foi Dante Fibra.

2020 – Foram três torneios paralelos e em três classes distintas. No Overall, os campeões foram Thiago Camilo, pela PRO; Weldes Campos, na PROAM, e Luiz Arruda, na AM. Pela Special Edition, Pedro Lopes/ Gabriel Silva, na PRO; Weldes Campos e Ricardo Sperafico, pela PROAM; e Raphael Teixeira, na AM, levaram o título. Pela GT Sprint Race Brasil, os vencedores foram Ricardo Sperafico, na PRO; a dupla Alex Seid e Marcelo Henriques, pela PROAM, e Luiz Arruda, na AM. Weldes Campos também foi o novato destaque do ano, levando o título de Rookie of the Year.

2021 – O formato do campeonato permaneceu o mesmo. No Overall, os campeões foram Thiago Camilo, pela PRO; Pedro Aizza, na PROAM, e Walter Lester, na AM. Pela Special Edition, Thiago Camilo, na PRO; Pedro Aizza, pela PROAM; e Giovani Girotto, na AM, levaram o título. Pela GT Sprint Race Brasil, os vencedores foram Julio Campos e Léo Torres, na PRO; Pedro Aizza, pela PROAM, e Luís Debes, na AM. Nathan Brito também foi o novato destaque do ano, levando o título de Rookie of the Year.

VÍDEO: Red Bull de Verstappen é melhor que a Ferrari de Leclerc?

Assine o canal do Motorsport.com no YouTube

Os melhores vídeos sobre esporte a motor estão no canal do Motorsport.com. Inscreva-se já, dê o like ('joinha') nos vídeos e ative as notificações para ficar por dentro de tudo o que rola em duas ou quatro rodas.

Podcast - Verstappen derrota Leclerc em Miami e incendeia campeonato

 

ACOMPANHE NOSSO PODCAST GRATUITAMENTE:

compartilhar
comentários
GT Sprint Race: Diogo Moscato garante dois pódios em Interlagos
Artigo anterior

GT Sprint Race: Diogo Moscato garante dois pódios em Interlagos

Próximo artigo

GT Sprint Race tem carro exposto no estande da Militec Brasil na Autopar

GT Sprint Race tem carro exposto no estande da Militec Brasil na Autopar