Apesar de rumores, IndyCar afirma que segue em negociação com Ferrari

Roger Penske afirmou que a escuderia de Maranello continua sendo uma das equipes com as quais a Indy negocia para ingressar no campeonato

Apesar de rumores, IndyCar afirma que segue em negociação com Ferrari

Embora notícias da Itália sugiram que a Ferrari decidiu não construir um motor para a IndyCar, a Penske Entertainment diz que as conversas estão em andamento. Em maio deste ano, o chefe de equipe da Ferrari, Mattia Binotto, confirmou que a Scuderia estava avaliando a possibilidade de entrar na IndyCar, conforme a categoria muda suas unidades para híbridos de 2,4 litros - a mudança, aliás, foi adiada para 2023.

A introdução de um limite de orçamento na Fórmula 1 deve liberar pessoas da equipe para trabalhar em outros projetos, ao invés de serem liberados pela equipe, e Binotto disse na época que a Ferrari “sente muita responsabilidade social para com seus funcionários e queremos ter certeza de que para cada um deles haverá um espaço de trabalho no futuro”.

Leia também:

Ele mencionou, também, que assim como a IndyCar, as corridas de endurance estavam sendo avaliadas.

Hoje, fontes italianas do Motorsport.com relataram que uma decisão foi tomada em Maranello de não seguir a rota da IndyCar, mas sim enfrentar um projeto de carro esportivo com o objetivo da vitória geral nas 24 Horas de Le Mans. A marca Ferrari triunfou pela última vez na geral em Le Mans em 1965, quando a Ferrari 250LM de Jochen Rindt e Masten Gregory prevaleceu.

Em resposta ao questionamento do Motorsport.com sobre a IndyCar, Roger Penske respondeu com uma declaração por escrito: “Atrair OEMs (fabricantes de equipamento originais) adicionais é uma das nossas principais estratégias para a NTT IndyCar Series”.

“Continuamos a ter conversas profundas com várias empresas diferentes que continuam interessadas em ingressar no esporte”.

“A Ferrari é uma daquelas marcas que tem demonstrado interesse e continuamos conversando com eles sobre a oportunidade de ingressar na IndyCar”.

A IndyCar teve pela última vez três fabricantes de motores vencedores de corridas em 2005 - Honda, Chevrolet e Toyota - embora no primeiro ano da atual fórmula V6 bimotor de 2,2 litros, em 2012, a Lotus tenha se juntado à Chevy e à Honda.

No entanto, as unidades da Lotus eram tão fracas que todos, exceto uma equipe (HVM Racing) trocaram para um OEM alternativo antes do meio do ano.

Pérez faz HISTÓRIA, Russell brilha e Bottas AFUNDA em estreia de Pietro na F1; assista

Nova parceria com ThePlayer.com, a melhor opção para apostas e diversão no Brasil

Registre-se gratuitamente no ThePlayer.com e acompanhe tudo sobre Fórmula 1 e outros esportes! Você confere o melhor conteúdo sobre o mundo das apostas e fica por dentro das dicas que vão te render muita diversão e também promoções exclusivas. Venha com a gente!

PODCAST: O 'milagre' Grosjean e o que Pietro Fittipaldi pode fazer em sua estreia na F1

 

.

compartilhar
comentários
Kanaan: Não há desculpas para não ganhar corridas na Ganassi

Artigo anterior

Kanaan: Não há desculpas para não ganhar corridas na Ganassi

Próximo artigo

Montoya correrá nas 500 Milhas de Indianápolis de 2021 pela McLaren

Montoya correrá nas 500 Milhas de Indianápolis de 2021 pela McLaren
Carregar comentários

Sobre esta matéria

Categoria IndyCar
Autor David Malsher