Indy cogita novas provas na China e no México para o futuro

De acordo com diretor da Indy, estuda-se possibilidade de expansão internacional da categoria, além de provas no Canadá e Portland

Indy cogita novas provas na China e no México para o futuro
Ryan Hunter-Reay, Andretti Autosport Honda
Simon Pagenaud, Team Penske Chevrolet
Ryan Hunter-Reay, Andretti Autosport Honda
Helio Castroneves, Team Penske Chevrolet leads Josef Newgarden, Team Penske Chevrolet
Scott Dixon, Chip Ganassi Racing Honda, James Hinchcliffe, Schmidt Peterson Motorsports Honda, Tony Kanaan, Chip Ganassi Racing Honda scrub tires before a restart
Will Power, Team Penske Chevrolet
Scott Dixon, Chip Ganassi Racing Honda, Tony Kanaan, Chip Ganassi Racing Honda
Takuma Sato, Andretti Autosport Honda
Ryan Hunter-Reay, Andretti Autosport Honda
Will Power, Team Penske Chevrolet, Josef Newgarden, Team Penske Chevrolet
Takuma Sato, Andretti Autosport Honda
Carregar reprodutor de áudio

Diretor executivo da Indy, Mark Miles afirmou que há conversas em andamento entre a categoria e o grupo chinês Mitime para criar não só uma nova corrida, mas também desenvolver o automobilismo na China.

Já houve no passado propostas para corridas na China tanto para a Champ Car quanto para a Indy, incluindo uma prova realizada nas ruas de Pequim. Contudo, Miles disse ao Motorsport.com que as discussões com a Mitime estão em um nível diferente, mas seria prematuro dizer que algo está próximo de ser finalizado. Além disso, ele acrescentou que a corrida pode não acontecer até 2019.

“O Mitime é um grupo com o qual estamos tendo um diálogo considerável, e eles estão certamente pensando em nós como possível parceiros para uma corrida na China. Eles também podem ser parceiros para a distribuição de direitos de TV, além de outras coisas.”

“O Mitime é um grupo criado por um rapaz que é presidente da Geely Motors, que é a maior fabricante automotiva que não é de propriedade do governo chinês. Eles possuem uma operação gigante por lá. E ele é muito sério quanto a esse relacionamento, porque ele está interessado em desenvolver o automobilismo na China, incluindo o fornecimento de treinamento a engenheiros e mecânicos através da Indy.”

“Então, essa e a ideia, a começar pelo Mitime nos ajudando a estabelecer a corrida que queremos fazer, a qual gostaríamos de realizar em uma das quatro maiores regiões da China.”

Miles afirmou que ele ainda está de olho em fechar corridas fora dos Estados Unidos em fevereiro, antes da etapa de São Petersburgo, em março.

“Temos um espaço reservado em fevereiro para algo internacional, e isso ainda é possível para 2018. Mas está ficando em cima, então talvez isso aconteça em 2019.”

México e outras possibilidades

Miles confirmou que o retorno ao circuito de Portland era outra possibilidade. A pista, presente desde os tempos da CART, de 1984 a 2007, ajudaria a aumentar a percepção da Indy no noroeste dos Estados Unidos.

Outra possibilidade é o Stampede Park, em Calgary, Canadá. “Calgary e Portland estão no mesmo nível em termos de progresso. Eles estão tentando ajustar as coisas em termos de datas, mas nenhuma delas chegou a um ponto em que podemos considerar uma proposta concreta”, diz Miles.

Porém, acredita-se que a possibilidade mais real seja o circuito de Puebla, no México, cerca de 150 km ao sudeste da Cidade do México.

“Estou otimista quanto a essa corrida, parece promissor. Há bastante trabalho a ser feito antes de podermos considerar um contrato fechado, e isso pode acontecer já para 2018. Mas todos sabemos que essas coisas não são concluídas até que estejam concluídas”, filosofou. 

compartilhar
comentários
Franchitti fica “espantado” com desempenho de Alonso em Indy
Artigo anterior

Franchitti fica “espantado” com desempenho de Alonso em Indy

Próximo artigo

GALERIA: A carreira de Castroneves, aniversariante do dia

GALERIA: A carreira de Castroneves, aniversariante do dia