MotoGP
13 set
-
15 set
Evento encerrado
20 set
-
22 set
Evento encerrado
04 out
-
06 out
Evento encerrado
18 out
-
20 out
Evento encerrado
25 out
-
27 out
Evento encerrado
01 nov
-
03 nov
Evento encerrado
R
GP de Valência
15 nov
-
17 nov
Próximo evento em
2 dias

Márquez diz que não daria a mão novamente a Rossi: “já fiz uma vez”

compartilhar
comentários
Márquez diz que não daria a mão novamente a Rossi: “já fiz uma vez”
Por:
4 de fev de 2019 17:47

Espanhol fala de momento turbulento com italiano e diz que espera que relacionamento interno com Lorenzo seja parecido com o de Pedrosa

Marc Marquez, Repsol Honda Team, Valentino Rossi, Yamaha Factory Racing
Marc Marquez, Repsol Honda Team, Valentino Rossi, Yamaha Factory Racing
Valentino Rossi, Yamaha Factory Racing, Marc Marquez, Repsol Honda Team
Valentino Rossi, Yamaha Factory Racing, Marc Marquez, Repsol Honda Team
Valentino Rossi, Yamaha Factory Racing, Marc Marquez, Repsol Honda Team
Valentino Rossi, Yamaha Factory Racing, Marc Marquez, Repsol Honda Team, durante la conferenza stampa
Marc Marquez, Repsol Honda Team, Valentino Rossi, Yamaha Factory Racing
Marc Marquez, Repsol Honda Team, Valentino Rossi, Yamaha Factory Racing

Em uma longa entrevista concedida ao jornal espanhol Marca, Marc Márquez disse que não guarda ressentimento contra Valentino Rossi, mas deixou claro que ainda não digeriu o episódio do aperto de mão em Misano no último ano.

Na véspera do fim de semana do GP de San Marino de 2018, o piloto da Honda havia dado uma entrevista para a TV8, na qual disse que gostaria de fazer as pazes com Valentino após os eventos de 2015 e o GP de Argentina de 2018.

Quando na conferência de imprensa de quinta-feira o "Doutor" foi pressionado sobre o assunto, ele disse que não tinha nenhum problema com Marc e que, portanto, não havia razão para fazer as pazes. No entanto, depois ele negou o aperto de mão quando o espanhol lhe ofereceu o gesto.

O episódio parece não ter agradado Márquez. Perguntado se faria o mesmo gesto novamente, ele disse: "não, eu já dei a mão a ele, certo? Eu fiz uma vez e agora é o suficiente. Eu não tenho rancor, eu realmente o admiro pelo que ele está fazendo e gostaria que eu chegasse aos 40 anos ainda sendo um dos favoritos ao título. Todo piloto sonharia com isso."

Não poderia faltar uma menção a seu novo companheiro de equipe, Jorge Lorenzo. Márquez disse que as coisas não serão muito diferentes de quando Dani Pedrosa estava a seu lado: "as pessoas não pensam nisso, mas também tivemos tensões com Dani, mesmo. Nós nos demos bem com Jorge e eu sempre me diverti com ele, mas em 2013 nós tivemos alguns altos e baixos. Depois do incidente em Aragon eu liguei para ele e nos esclarecemos."

No entanto, isso não significa que ele não fará de tudo para vencê-lo: "regra número um: o companheiro de equipe é o primeiro adversário que você deve vencer. Trabalharemos na que achamos que será a melhor direção. Sabemos que teremos que analisar os dados de Jorge, mas também que ele vai olhar para os meus. Esta é a lei do box. Vamos ver o que vai acontecer, mas acho que ambos serão suficientemente profissionais."

Próximo artigo
Viñales: não vamos repetir os mesmos erros de dois anos

Artigo anterior

Viñales: não vamos repetir os mesmos erros de dois anos

Próximo artigo

Marini: Não arriscarei minha carreira só para correr com Rossi

Marini: Não arriscarei minha carreira só para correr com Rossi
Carregar comentários