GT Sprint Race: Marcelo Henriques faz balanço positivo da temporada 2022

Piloto fechou temporada desafiadora no top 5 do campeonato na classe PRO

Marcelo Henriques, GT Sprint Race

Rodrigo Guimarães

A temporada 2022 da GT Sprint Race, futura Nascar Brasil em 2023, encerrou o campeonato em Londrina com a etapa Match-Point. Marcelo Henriques fez uma análise do ano e projeta um próximo ciclo ainda mais desafiador.

De todo modo, constância foi a palavra de ordem para o piloto de Juiz de Fora, afinal, até a metade do campeonato, existia uma diferença muito pequena de apenas 6 pontos para o líder da categoria PRO.

O editor recomenda:

“Fechamos um ano muito desafiador e disputamos ponto a ponto até a metade do ano na etapa também de Londrina, mas a partir dali foi vento contra constante”, comentou Marcelo. Entre os 5 melhores do campeonato, Marcelo enxerga pontos positivos com o fechamento da temporada.

“Gosto sempre de ver as coisas boas que aconteceram no ano e agradecer por elas. Tive a oportunidade de vencer em Interlagos com pessoas que amo presentes, além de patrocinadores e franqueados da Mais1. Subir no pódio com pessoas em que me espelho no Velocitta... Essas coisas para mim são momentos que não têm preço”, agradeceu. A GT Sprint Race é uma categoria bem equilibrada, com ótimos pilotos no grid e carros bem feitos para as disputas, ponderou ele.

“Sei que a gente poderia ter tido mais momentos como este se dependesse só da nossa dedicação e isso me deixa com a consciência tranquila e pronto para outra", seguiu. O 2023 de Henriques ainda está em negociação, mas ele tem grandes chances de seguir na Nascar Brasil e buscar o título.

“Ainda estamos trabalhando todas as possibilidades para o ano que vem e definindo o que vai ser favorável para todos os envolvidos comigo. Pensar nesse coletivo é uma forma de devolver toda a ajuda que eles me dão."

“Preciso agradecer demais ao meu parceiro de carro Alex Seid, à Mais1 Café e D4U pela parceria na jornada, à Drax pela divulgação, a toda a equipe e à Nascar Brasil por nos dar uma plataforma onde podemos fazer negócios e realizar sonhos no esporte”, completou.

Bastidores da possível 'volta' da Honda à F1, como montadora ou equipe própria

Quer fazer parte de um seleto grupo de amantes de corridas, associado ao maior grupo de comunicação de esporte a motor do mundo? CLIQUE AQUI e confira o Clube de Membros do Motorsport.com no YouTube. Nele, você terá acesso a materiais inéditos e exclusivos, lives especiais, além de preferência de leitura de comentários durante nossos programas. Não perca, assine já!

Podcast Motorsport.com debate os piores do ano na F1 2022

 

ACOMPANHE NOSSO PODCAST GRATUITAMENTE:

Faça parte da comunidade Motorsport

Join the conversation
Artigo anterior Grande final do eNASCAR Internacional é o primeiro intercâmbio entre Brasil e EUA
Próximo artigo Um 2022 daqueles: Gama campeão de três classes na GT Sprint Race

Principais comentários

Ainda não há comentários. Seja o primeiro a comentar.

Cadastre-se gratuitamente

  • Tenha acesso rápido aos seus artigos favoritos

  • Gerencie alertas sobre as últimas notícias e pilotos favoritos

  • Faça sua voz ser ouvida com comentários em nossos artigos.

Motorsport prime

Descubra conteúdo premium
Assinar

Edição

Brasil