Camilo revela malandragem em duelo com Barrichello

Piloto da Ipiranga-RCM conquista 21º triunfo de sua carreira e dedica ao time: “tinha como o objetivo dar uma vitória a eles até o fim de 2016”

Camilo revela malandragem em duelo com Barrichello
Carregar reprodutor de áudio

Finalmente a vitória número 21 do número 21 da Stock Car. Derrotado pelo azar neste ano, Thiago Camilo não ganhava desde a etapa de Cascavel no ano passado. Isso acabou neste domingo (16) em Curitiba. No início, parecia que mais uma vez o azar lhe assombraria, após um problema mecânico o ter tirado da corrida 1.

Mas, com grande ritmo, ele conseguiu fazer uma recuperação sensacional na corrida 2, indo do fim do grid para o segundo lugar. Se aproveitando de um Safety Car após um acidente de Felipe Lapenna, Camilo chegou em Barrichello (antes 7s2 à frente) e atacou o ex-F1 implacavelmente.

Ele realizou uma ultrapassagem por fora e conquistou a prova se utilizando de uma malandragem.

“Tentei pegar o Rubens de surpresa, usei o push na reta oposta – um lugar que a gente não costuma usar o botão”, falou ao Motorsport.com.

“Acabou que nossa estratégia deu certo. Tenho de ressaltar a lealdade do Rubens. Foi uma disputa dura e limpa. Não é todo piloto que age assim.”

“Estou realmente muito feliz, mas com o coração partido. Estou triste de estar indo para outra equipe, porque este time me acolheu como um membro de família desde a minha primeira participação aqui.”

“Eu tinha como objetivo dar uma vitória a este time até o fim do ano – já veio na primeira etapa depois do anúncio da despedida. Acho que essa vitória retrata muito bem a minha trajetória com eles. Largamos do box, conquistamos posições na pista e passamos a duas voltas do final. Mostramos garra, determinação e força de vontade. Essa vitória não é para mim, é para eles.”

compartilhar
comentários
Barrichello se chateia após derrota: “não teve o que fazer”
Artigo anterior

Barrichello se chateia após derrota: “não teve o que fazer”

Próximo artigo

Líder por 44 pontos, Fraga não pensa em ser cauteloso

Líder por 44 pontos, Fraga não pensa em ser cauteloso