Dakar 2024: MSL Rally fecha estreia com excelência

Na última etapa, MSL Rally fica em primeiro entre os rookies da Challenger

Gunter Hinkelmann / Fabricio Bianchini

Gunter Hinkelmann / Fabricio Bianchini

Magnus Torquato

Gunter Hinkelmann e Fabrício Bianchini finalizam sua estreia no Dakar com um resultado satisfatório e acima das expectativas do objetivo determinado. Na final desta 46ª edição, disputada nesta sexta-feira nos arredores de Yanbu, Arábia Saudita, a dupla da MSL foi a melhor entre os rookies (novatos) dos carros Challenger (UTVs T3) e com o sexto tempo mais rápido (2h04m09s) – o melhor resultado do conjunto nesta difusão.

No pódio, que considera a somatória de todas as etapas, o conjunto, formado com o UTV T3 Max (FIA) Taurus #343, figura em 22º lugar na categoria, totalizando 97h20m56s.

Leia também:

Este foi um desempenho muito positivo da dupla formada pelo piloto norte-americano criado e radicado na Capital Paulista e o gaúcho também estabelecido na região metropolitana de São Paulo, que disputam juntos pela primeira vez o Dakar.

“Viemos para Arábia Saudita sem quaisquer pretensões, apenas focados em terminar todas as etapas, até para sentir como é participar do rally mais difícil do mundo”, relata Gunter Hinkelmann.

“O que posso dizer que esta foi, de longe, a competição mais dura que disputei em toda minha carreira como piloto, superando toda e qualquer expectativa que criamos. Passamos por paisagens deslumbrantes e avistamos um céu inesquecível, um dos mais lindos que já vi na vida. Só por isso estou feliz. Mas, todos os resultados que tivemos, principalmente, na segunda fase da competição nos deixaram extremamente confiantes e satisfeitos”, aponta.

Depois de outras 13 etapas duríssimas, sendo duas em maratona e o inédito enduro de 48 horas, a final do Dakar, de 174 quilômetros, “pegou” leve com os competidores. Esta foi uma especial curta, com poucas mudanças de direção, nos arredores de Yanbu, a segunda cidade maior e mais importante da Arábia Saudita.

O terreno, predominantemente em piso duro, bem apedrejado, num labirinto de pedras gigantes, intercalado por fesh-fesh (areia fina) até a chegada. O desafio do dia foi compensado por um deslocamento final de mais de 100 quilômetros na orla do Mar Vermelho, antes da grande festa que aguardava os competidores.

“Terminamos o Dakar com a sensação de dever cumprido e seguimos motivados para as próximas pelejas que teremos ao longo do ano. Por um lado, estamos com um carro excelente, que respondeu de forma rápida e satisfatória a todos os comandos e resistiu a quase todos os obstáculos da competição, que foi duríssima. Por outro, teremos oponentes de altíssimo gabarito nas competições internacionais que vamos disputar. Mas estou muito seguro disso. Vamos com tudo neste calendário do campeonato mundial”, completa o piloto da MSL Rally.

Fabrício Bianchini fez um balanço do evento para a navegação. “Rally muito duro, mas muito feliz de ter terminado. A equipe BBR é realmente incrível. Consegui angariar uma bagagem imensa recheada de aprendizado principalmente na navegação com colegas que foram generosos comigo. Quero agradecer o Gunter pelo convite, uma parceria muito bacana, ele pilotou muito, deu muito certo. O carro (Taurus) realmente é uma nave. Enfim, foi uma experiência magnífica!”, finalizou o navegador.

O Dakar é o maior rali off-road do mundo e acontece sob regulamento do W2RC. O Mundial organizado pela FIA conta com cinco etapas. A distância total percorrida pelos competidores da edição 2024 foi de 7.891 km, nos quais 4.727 km foram de especiais cronometradas. Este ano, o percurso do Dakar teve 60% de trechos inéditos e em quase todas as etapas passam por dunas.

A MSL Rally fez a estreia no Dakar, mas não a primeira vez da parceria de Gunter Hinkelmann e Fabrício Bianchini em eventos internacionais. A dupla atuou em conjunto no South América Rally Race (SARR), em fevereiro do ano passado, na Argentina, na qual ganhou a última etapa; no Rally Marrocos, em que venceu oito etapas; a última edição realizada do Rally Sertões, em que terminou na segunda colocação na categoria T1-FIA; e o Baja Portalegre 500, em setembro passado, disputado em Portugal, em que ficou em segundo lugar na categoria T8 no primeiro dia de competições.

O Dakar 2024 contou pontos para o Mundial de Rally Raid (antigo Cross Country) tanto pela FIA.

DRUGOVICH e BORTOLETO na mesma equipe de F1? Brasileiros falam sobre 2024 e ALÉM na ASTON e McLAREN

Norris na RBR? Sainz? Albon e franceses no centro dos rumores da F1

 

ACOMPANHE NOSSO PODCAST GRATUITAMENTE:

Faça parte do nosso canal no WhatsApp: clique aqui e se junte a nós no aplicativo!

Be part of Motorsport community

Join the conversation
Artigo anterior Objetivo alcançado: Baumgart e Andreotti completam o Dakar no pelotão de elite entre os carros
Próximo artigo Brasil não conquista títulos, mas vai bem no Dakar; veja balanço e resultados

Top Comments

Ainda não há comentários. Seja o primeiro a comentar.

Sign up for free

  • Get quick access to your favorite articles

  • Manage alerts on breaking news and favorite drivers

  • Make your voice heard with article commenting.

Motorsport prime

Discover premium content
Assinar

Edição

Brasil