Dakar: Medeiros vence quinta etapa entre os Quadriciclos

Maranhense segue firme e chega na frente pela terceira vez nesta edição, completando os 118 quilômetros em 1h51m09

Marcelo Medeiros

Marcelo Medeiros

Magnus Torquato

Quem persevera sempre alcança e com o piloto Marcelo Medeiros não foi diferente. O piloto da  Tag Racing venceu a quinta etapa do 46º Dakar, cuja especial aconteceu aos redores de Shubaytah nesta quarta-feira (10).

O maranhense e seu Yamaha Raptor #177 completaram os 118 quilômetros da especial do dia em 1h51m09s. Na geral acumulada, no entanto, Medeiros ainda está na terceira posição, somando 24h07m04s, mas com a distância em relação ao líder bem menor, com 21m41s.

Leia também:

Depois de um deslocamento extenso (cerca de 547km) a quinta etapa parecia fácil mas expôs alguns perigos escondidos. Um mar de dunas do início ao final do percurso deu a tônica da especial cronometrada do dia. O trecho, em formato de ferradura, contornou o chamado “Bloco Vazio”, onde o caminho de areias despencou as velocidades médias dos competidores.

“Foi uma etapa curta, porém dura, como um verdadeiro Dakar tem que ser. Mas em dunas eu geralmente me saio bem. Hoje, apesar de me sentir confortável, pois dunas são pisos que gosto de pilotar, mantive o foco e procurei ser o mais preciso possível e o resultado veio. Agora é descansar e revisar bem o equipamento pois a próxima etapa promete ser duríssima e quero estar pronto para a largada”, relata Medeiros.

A inédita etapa dupla e cronometrada de 48 horas que começa nesta quinta-feira promete ser um novo paradigma dentro das competições de longa distância de off-road. E os organizadores avisam que a experiência em maratonas pode não ter utilidade nesse desafio. Partindo e chegando em Shubaytah, a especial de 584 quilômetros será em sua grande parte de dunas intercaladas por lagoas salgadas secas (chotts).

A navegação promete ser terrivelmente difícil, com percursos difíceis de encontrar e pontos de controle (waypoints) ocultos, que podem levar muitos participantes a perder o rumo. O diferencial é que os competidores farão a primeira parte de seu percurso em até oito horas.

Chegando no horário limite (16h, horário local), os conjuntos terão que procurar a área de apoio mais próxima para receber as provisões básicas de acampamento para reabastecer, se alimentar e descansar, passando a noite no deserto, sem qualquer ligação ou informação sobre os seus oponentes e isolados do resto do mundo, antes de voltar a correr. Nesta etapa, Motos (FIM) e carros (FIA) terão percursos diferentes.

Dentro do Dakar, Marcelo Medeiros computou no ano passado quatro vitórias consecutivas e conclui na nona posição entre os quadriciclos. Em 2022, o piloto de São Luís (MA) completou em sexto em estreia na Arábia Saudita. O competidor da TAG Racing conta com outras três participações, quando a competição aconteceu na América do Sul. Em sua estreia, em 2016, e no ano seguinte o maranhense não finalizou a prova. Em 2018, ficou em quarto lugar entre os quadriciclos.

DRUGOVICH e BORTOLETO na mesma equipe de F1? Brasileiros falam sobre 2024 e ALÉM na ASTON e McLAREN

Podcast #264 – O que Gil de Ferran deixa para o automobilismo?

 

ACOMPANHE NOSSO PODCAST GRATUITAMENTE:

Faça parte do nosso canal no WhatsApp: clique aqui e se junte a nós no aplicativo!

Be part of Motorsport community

Join the conversation
Artigo anterior Varela e Bozzano retomam vice-liderança no Dakar nos UTVs
Próximo artigo VÍDEO: Moraes capota em estágio e recebe auxílio de piloto brasileiro

Top Comments

Ainda não há comentários. Seja o primeiro a comentar.

Sign up for free

  • Get quick access to your favorite articles

  • Manage alerts on breaking news and favorite drivers

  • Make your voice heard with article commenting.

Motorsport prime

Discover premium content
Assinar

Edição

Brasil