Dakar Dakar

Guia do Dakar: tudo sobre o desafio, os favoritos e os brasileiros em 2023

Quem são os principais nomes da 45ª edição da prova, que começa no próximo domingo?

O Dakar 2023 terá início com muitas expectativas e poucas certezas. Entre os 455 veículos inscritos nas sete categorias, a lista de possíveis vencedores é grande – e até inclui competidores brasileiros, diga-se de passagem.

Mas, como determina a tradição e a própria essência da corrida off-road, na 45ª edição do maior desafio do esporte a motor mundial tudo pode – e deve – acontecer. Confira abaixo um resumo do que de mais importante será visto na prova disputada nos desertos da Arábia Saudita, que define a ordem de largada no dia 31 de dezembro e tem o início de seus 15 dias de competição em primeiro de janeiro.

O editor recomenda:

A corrida será disputada pela quarta vez seguida na Arábia Saudita, após 11 edições na América Latina, que recebeu a prova quando o Dakar foi forçado a abandonar a África devido a crescentes ameaças terroristas.

Pelo segundo ano seguido, o rally será válido também para o Campeonato Mundial FIA de Rally Cross-Country. O percurso será de 8.549km, sendo 4.706km de trechos cronometrados em alta velocidade – as chamadas especiais, correspondentes a um dia de competição.

O trajeto prevê alguns trechos já visitados, como os de Al’ula, Ha’il e Riad, mas também inclui percursos inexplorados no inóspito “Empty Quarter” – um deserto gigantesco cujo nome, em tradução aproximada, significa “território inabitado”. Quem se perder por ali estará sozinho em um mar de areia. O Dakar, novamente, promete que a sequência interminável de dunas será predominante na prova.

Carros: maior sofisticação – Ao todo, serão 455 veículos em sete categorias principais: motos, quadriciclos, carros, protótipos leves, UTVs, caminhões e clássicos – destinada a carros do Dakar de várias épocas, mas em percurso menos radical.

A principal categoria é a dos carros, por ter os veículos mais sofisticados, velozes e os pilotos mais importantes. Entre os 73 automóveis, há algumas subcategorias determinadas pela configuração das máquinas, incluindo veículos 4x4 e 4x2, motores híbridos, a diesel, diesel ecológico e gasolina.

A principal divisão é a T1+, na qual a equipe Overdrive Toyota tenta repetir a vitória geral da prova obtida em 2022 com a dupla Nasser Al-Attiyah/Mathieu Baumel, além de chegar reforçada pelo vencedor do Dakar 2009 Giniel De Villiers e o navegador Dennis Murphy.

É neste esquadrão também que está o estreante brasileiro e atual bicampeão dos Sertões, Lucas Moraes, e o navegador alemão Timo Gottschalk. A dupla é vista como fonte de possíveis surpresas, tanto pelo desempenho de Moraes quanto pelas atuações no Mundial de Rally Baja e Cross Country.

Loeb e os Audi híbridos – A bordo de um modelo Hunter da Prodrive testado ao longo do ano, o nove vezes campeão mundial de Campeonato Mundial de Rali (WRC, na sigla em inglês) Sebastien Loeb chega a 2023 depois de ter terminado no pódio três vezes.

O supercampeão da França promete não deixar escapar a primeira taça no Dakar neste ano, ao lado do navegador belga Fabian Lurquin. De todo modo, trata-se de um desafio grande, uma vez que a competição difere bastante do WRC, mais focado em velocidade pura em etapas curtas.

Outra sensação é a equipe alemã Audi, que volta à carga com os carros híbridos gasolina-elétricos e-Tron Quattro, que, após um ano de desenvolvimento, estão entre as principais apostas do Dakar 2023.

A mão de obra é do lendário “Mister Dakar” Stéphane Peterhansel (com o navegador francês Edouard Boulanger) e do icônico Carlos Sainz (em parceria com o também espanhol Lucas Cruz), além do ex-DTM Mattias Ekstrom (e seu compatriota, o navegador sueco Emil Bergkvist).

Entre os 19 quadriciclos, além do campeão Alexandre Giroud (França), o Brasil vem bem representado com Marcelo Medeiros – que, na edição anterior, venceu três das 12 especiais do evento e terminou em sexto.

As motos são a categoria mais numerosa, com 125, mas sem brasileiros. Destaque para o atual bicampeão Sam Sunderland (Inglaterra), além do espanhol Joan Barreda, o chileno Pablo Quintanilla, o norte-americano Ricky Brabec, o australiano Toby Price e o austríaco Matthias Walkner.

Russos banidos – Devido à invasão da Ucrânia, competidores russos e mesmo a fabricante Kamaz foram banidos do Dakar. Em 2022, a montadora dos icônicos caminhões de rally baseada em Naberejnye Tchelny faturou os quatro primeiros lugares.

Mas essa ausência não torna menos impressionante a categoria dos caminhões, embora não possua competidores brasileiros. Com 56 veículos inscritos, os gigantes do deserto prometem um show à parte, com destaque para os pilotos holandeses da Iveco, Janus van Kasteren e Martin van den Brink – primeiros colocados em 2022 logo após os quatro caminhões russos que dominaram a corrida saudita.

Já entre os 47 Protótipos Leves, que são UTVs construídos especificamente para rally, os chilenos Francisco López Contardo e Juan Pablo Latrack são os atuais campeões e novamente ocupam o alto da lista de apostas.

Os favoritos terão a companhia de duas duplas brasileiras: Pâmela Bozzano/Carlos Sachs e Enio Bozzano Júnior/Luciano Gomes. Mas a provável grande rival deve ser a dupla formada pelo americano Austin Jones e o brasileiro Gustavo Gugelmin, atuais campeões entre UTVs de produção.

Entre os UTVs vendidos em lojas comuns, os brasileiros Rodrigo Luppi/Maykel Justo estão entre as parcerias mais fortes. O Brasil também será representado por Bruno Conti de Oliveira, que contará com a navegação do português Pedro Bianchi Prata, e Cristiano Batista, que terá navegação do espanhol Fausto Mota. Apesar de rivais, Rodrigo e Bruno são pai e filho e disputarão a prova pela mesma equipe, a South Racing Can Am, atual campeã do Dakar.

45ª Edição do Rally Dakar

8.549km de percurso total. Especiais somam 4.706km

(Data / locais / total do dia / especial)

Prólogo: 31/12 – Sea Camp – 10 km / 10 km01/01 – Sea Camp –> Sea Camp – 603 km / 368 km02/01 – Sea Camp –> Al-'Ula – 590 km / 431 km03/01 – Al-'Ula –> Ha'il – 669 km / 447 km04/01 – Ha'il –> Ha'il – 573 km / 425 km05/01 – Ha'il –> Ha'il – 646 km / 375 km06/01 – Ha'il –> Ad Dawadimi – 876.68 km / 466 km07/01 – Ad Dawadimi –> Ad Dawadimi – 641.47 km / 473 km08/01 – Ad Dawadimi –> Riyadh – 722.41 km / 407 km09/01 – Descanso – Riyadh10/01 – Riyadh –> Haradh – 710 km / 439 km11/01 – Haradh –> Shaybah – 623 km / 114 km12/01 – Shaybah –> Empty Quarter – 426 km / 275 km13/01 – Empty Quarter –> Shaybah – 375 km / 185 km14/01 – Shaybah –> Al Hofuf – 669 km / 154 km15/01 – Al Hofuf –> Dammam – 414 km / 136 km

Veículos e CategoriasCarros: 73 (1)*Motos: 125Quadriciclos: 19 (1)Protótipos Leves: 47 (5)UTVs: 46 (4)Caminhões: 56Clássicos: 89Total: 455 veículos*Nota: entre parêntesis, competidores brasileiros, que totalizam 11. Entre eles, a primeira piloto brasileira do Dakar (Pamela Bozzano)

Brasileiros no Dakar 2023

Piloto / Navegador / Veículo

CATEGORIA T1+Lucas Moraes (Brasil) / Timo Gottschalk (Alemanha), Toyota GR DKR IMT

PROTÓTIPOS LEVESGustavo Gugelmin (Brasil) / Austin Jones (EUA), Can-Am Maverick XRSPâmela Bozzano (Brasil) / Carlos Sachs (Brasil), Can-Am Maverick X3Enio Bozzano Júnior (Brasil) / Luciano Gomes (Brasil), Can-Am Maverick X3

UTVs DE PRODUÇÃORodrigo Luppi (Brasil) / Maykel Justo (Brasil), Can-Am Maverick XRSBruno Conti de Oliveira (Brasil) / Pedro Bianchi Prata (Portugal), Can-Am Maverick X3Cristiano Batista (Brasil) / Fausto Mota (Espanha), Can-Am Maverick XRS

QUADRICICLOSMarcelo Medeiros (Brasil), Yamaha Raptor 700

Bastidores da possível 'volta' da Honda à F1, como montadora ou equipe própria

Quer fazer parte de um seleto grupo de amantes de corridas, associado ao maior grupo de comunicação de esporte a motor do mundo? CLIQUE AQUI e confira o Clube de Membros do Motorsport.com no YouTube. Nele, você terá acesso a materiais inéditos e exclusivos, lives especiais, além de preferência de leitura de comentários durante nossos programas. Não perca, assine já!

Podcast Motorsport.com debate os piores do ano na F1 2022

 

ACOMPANHE NOSSO PODCAST GRATUITAMENTE:

Faça parte da comunidade Motorsport

Join the conversation
Artigo anterior Réveillon no deserto: Brasil terá 11 representantes no Dakar
Próximo artigo Dia Mundial da Paz: Dakar abre o ano com 68 nacionalidades em competição

Principais comentários

Cadastre-se gratuitamente

  • Tenha acesso rápido aos seus artigos favoritos

  • Gerencie alertas sobre as últimas notícias e pilotos favoritos

  • Faça sua voz ser ouvida com comentários em nossos artigos.

Motorsport prime

Descubra conteúdo premium
Assinar

Edição

Brasil Brasil