F1: Desenvolvimento aerodinâmico deve ser chave em 2021 apesar do regulamento congelado

Diretor técnico da AlphaTauri acredita que desenvolvimento aerodinâmico influenciará na competitividade do meio do pelotão em 2021

F1: Desenvolvimento aerodinâmico deve ser chave em 2021 apesar do regulamento congelado

Com os novos regulamentos técnicos adiados para o próximo ano, um congelamento generalizado foi colocado no desenvolvimento dos carros entre 2020 e 2021 para tentar cortar custos devido à pandemia do coronavírus.

Cada equipe tem duas fichas de desenvolvimento para gastar na atualização de parte do design de seu carro para 2020, com a maioria esperando transportar cerca de 60% do chassi do ano passado.

Leia também:

O desafio que a maioria das equipes enfrentará é tentar recuperar a força aerodinâmica para seus carros de 2021 depois que ajustes foram feitos nos regulamentos, com as maiores mudanças chegando no design do assoalho.

A McLaren foi forçada a gastar suas duas fichas de desenvolvimento na integração de seus novos motores da Mercedes após uma mudança de fornecedor no ano passado, levando a sugestões de que poderia ficar em desvantagem na disputa do meio do pelotão.

Mas o diretor técnico da AlphaTauri, Jody Egginton, disse que o fato de o desenvolvimento aerodinâmico na temporada permanecer fora das limitações significa que o sistema de fichas não acabaria definindo a hierarquia.

"No final do dia, a aerodinâmica ainda não está fortemente controlada pelas fichas de desenvolvimento", disse Egginton em entrevista ao Motorsport.com.

"Você poderia optar por fazer um novo bico, mas um bico não vai fazer ou quebrar seu conceito aerodinâmico quando quase todos os outros aspectos, exceto a parte traseira do assoalho do regulamento, são iguais.”

"Você poderia mexer um pouco no chassi. Acho que todos, exceto a McLaren, estão mantendo o mesmo PU, então suas fichas integram tudo isso. Eles precisam fazer com que a unidade de energia se encaixe. Tenho certeza de que há compromisso e recompensa lá para eles, então o que isso fará por eles em detalhes, eu não sei.

"Não, não acho que as fichas de desenvolvimento sejam um diferenciador no conceito aerodinâmico, e é o aerodinâmico que ainda é o rei. Todos usarão suas fichas para alguma coisa, mas não acho que seja o principal diferencial para decidir a ordem."

A equipe secundária da Red Bull terminou em sétimo lugar no campeonato de construtores do ano passado, apesar de ter somado mais pontos do que nunca e conquistado sua primeira vitória desde 2008 em Monza.

A escuderia lutou regularmente com McLaren, Racing Point, Renault e Ferrari em uma disputa acirrada que Egginton antecipou que iria continuar até 2021.

"Espero um meio do pelotão muito próximo novamente, mas não sei a ordem", disse ele.

"Eu nem estava preparado para dizer a ninguém a ordem do inverno passado, para ser honesto! Conhecemos nossos objetivos, achamos que se os atingirmos, estaremos no mix. O objetivo é ficar entre os cinco primeiros. Se podemos dar o mesmo passo que demos este ano até o ano passado, acho que é isso que temos que fazer.”

“Mas, obviamente, com as mudanças de regulamento no piso traseiro para limitar a força descendente, temos um pouco mais de trabalho a fazer. Não é apenas mais do mesmo, é mais do mesmo e algumas mudanças para recuperar.”

"A menos que alguém cometa um erro, deve ser apertado. Espero que não sejamos nós cometendo o erro”, concluiu.

 

Nova parceria com ThePlayer.com, a melhor opção para apostas e diversão no Brasil

Registre-se gratuitamente no ThePlayer.com e acompanhe tudo sobre Fórmula 1 e outros esportes! Você confere o melhor conteúdo sobre o mundo das apostas e fica por dentro das dicas que vão te render muita diversão e também promoções exclusivas. Venha com a gente!

 

GROSJEAN correrá na INDY em 2021 e GP de F1 em SÃO PAULO pode ser INVESTIGADO em CPI

 

PODCAST: Bottas reagirá na Mercedes? Como compará-lo a Barrichello, Webber e cia?

 

compartilhar
comentários
Grosjean explica por que não correrá em ovais e se mostra aberto a voltar à F1 como substituto

Artigo anterior

Grosjean explica por que não correrá em ovais e se mostra aberto a voltar à F1 como substituto

Próximo artigo

F1: Alonso, Raikkonen e a mudança de geração que eles representam

F1: Alonso, Raikkonen e a mudança de geração que eles representam
Carregar comentários

Sobre esta matéria

Categoria Fórmula 1
Autor Luke Smith