Fórmula 1
19 mar
-
22 mar
Próximo evento em
19 dias
02 abr
-
05 abr
Próximo evento em
33 dias
30 abr
-
03 mai
Próximo evento em
61 dias
07 mai
-
10 mai
Próximo evento em
68 dias
21 mai
-
24 mai
Próximo evento em
82 dias
R
GP do Azerbaijão
04 jun
-
07 jun
Próximo evento em
96 dias
11 jun
-
14 jun
Próximo evento em
103 dias
25 jun
-
28 jun
Próximo evento em
117 dias
R
GP da Áustria
02 jul
-
05 jul
Próximo evento em
124 dias
R
GP da Grã-Bretanha
16 jul
-
19 jul
Próximo evento em
138 dias
30 jul
-
02 ago
Próximo evento em
152 dias
R
GP da Bélgica
27 ago
-
30 ago
Próximo evento em
180 dias
03 set
-
06 set
Próximo evento em
187 dias
R
GP de Singapura
17 set
-
20 set
Próximo evento em
201 dias
24 set
-
27 set
Próximo evento em
208 dias
08 out
-
11 out
Próximo evento em
222 dias
R
GP dos Estados Unidos
22 out
-
25 out
Próximo evento em
236 dias
29 out
-
01 nov
Próximo evento em
243 dias
12 nov
-
15 nov
Próximo evento em
257 dias
R
GP de Abu Dhabi
26 nov
-
29 nov
Próximo evento em
271 dias

Barnard: McLaren pode não resistir à mudança de que precisa

compartilhar
comentários
Barnard: McLaren pode não resistir à mudança de que precisa
27 de jun de 2018 22:05

Lendário projetista da F1, John Barnard disse duvidar que a McLaren possa sobreviver às grandes mudanças que acredita serem necessárias para que a equipe volte aos tempos de glória.

A passagem de Barnard pela McLaren foi marcada por grande sucesso, já que ele ajudou o time a se recuperar de dificuldades. Seu chassi revolucionário de fibra de carbono, o MP4/1, colocou o time novamente entre os vencedores após um jejum de quatro anos, sendo que, entre 84 e 86, outros projetos venceram títulos de pilotos e construtores.

A McLaren atualmente passa por outra fase de seca. A equipe não venceu um único GP desde 2012 e não vai ao pódio desde a abertura da campanha de 2014, na Austrália.

Em entrevista no lançamento de sua biografia, intitulada “O Carro Perfeito”, Barnard afirmou que a estrutura de gestão da McLaren precisa ser eliminada para que a equipe retorne às vitórias. Contudo, ele acrescentou que o tamanho da tarefa poderia tornar a mudança impossível.

“Eles têm esse sistema de gestão instalado por, provavelmente, Martin Whitmarsh [antigo chefe da equipe], e você precisa romper com isso. Não acho que funcione. É preciso mudar a mentalidade”, disse Barnard.

“Não sei quanto tempo isso vai levar, ou se a equipe pode sobreviver a esse tipo de mudança.”

“Considerando que, quando me juntei à McLaren em 1980, os problemas que tive na época era tentar mudar a forma com que as coisas eram feitas, e estamos falando de uma operação bem pequena.”

“Se você pega esses problemas e traz para os dias de hoje, com o número de pessoas ali, esse trabalho não seria prazeroso.”

Barnard sente que a diversificação sob o antigo presidente e diretor executivo do Grupo McLaren, Ron Dennis, especialmente de olho nos carros de rua, também foi feita em detrimento aos esforços na F1.

“Sempre fui muito preocupado com a diversificação”, acrescentou. “Sei que a ideia de Ron era te rum grande grupo de empresas, uma megaoperação e que ele cuidaria de tudo, e ele conseguiu. Mas acho que ele conseguiu isso a custa da equipe de F1.”

Barnard acrescentou que, mais recentemente, quando Dennis ainda estava na McLaren, pediu para que o dirigente se concentrasse na equipe de F1 em vez de outros negócios.

“Eu continuava dizendo a Ron: ‘Quem está gerenciando o negócio da F1? Você precisa voltar à F1. Ninguém mais consegue, só você’”, explicou.

“[Dennis respondia]’Sim, tenho esses caras e eles são assim e assado’. Estou olhando a McLaren hoje e pensando que, se ele tivesse aceitado algumas dessas ideias, as coisas poderiam estar diferentes.”

Graham Keilloh

Próximo artigo
Em alta, Leclerc diz que Áustria é sua “pista favorita”

Artigo anterior

Em alta, Leclerc diz que Áustria é sua “pista favorita”

Próximo artigo

Copa volta a tirar F1 ao vivo da Globo; veja os horários

Copa volta a tirar F1 ao vivo da Globo; veja os horários
Carregar comentários

Sobre esta matéria

Categoria Fórmula 1
Equipes McLaren Compre Agora