Com visita de Domenicali, Colômbia avança no plano de ter Fórmula 1 no país

Três traçados foram apresentados à categoria - que já tem seu preferido

Stefano Domenicali, CEO, Formula 1 Press Conference

Carl Bingham / Motorsport Images

Logo após o GP da Cidade do México de Fórmula 1, o presidente da categoria, Stefano Domenicali, viajou até a Colômbia, especificamente em Barranquilla, com o objetivo de manter reuniões com as autoridades locais e seguir explorando a possibilidade uma corrida no país em um circuito de rua.

Leia também:
The drivers and dignitaries on the grid

The drivers and dignitaries on the grid

Photo by: Mark Sutton / Motorsport Images

O projeto não é novo e foi revelado em janeiro deste ano quando o ex-presidente do país, Iván Duque, apresentou suas intenções de começar as negociações para trazer uma corrida da principal categoria do automobilismo para o país sul-americano.

"Os sonhos, em equipe, são capazes de se tornarem realidade. O prefeito Pumarejo diz que existe uma opção de apresentar um projeto para ter um circuito na Fórmula 1. Isso parece longe, mas o prefeito já está em conversas com a equipe da F1", disse o presidente Duque em declarações ao jornal El Tiempo.

"Temos que fazer adaptações, mas pode ser um circuito semiurbano em um traçado que os organizadores vão revisar", adiantou. 

As negociações tomaram outro rumo quando nesta segunda-feira, logo depois de estar no Autódromo Hermanos Rodríguez presenciando a vitória de Max Verstappen, Domenicali aterrissou em Barranquilla para ter encontros exploratórios.

 

Diz-se que o CEO da F1 trouxe funcionários da organização do GP do México, que poderiam ser conselheiros. Uma das empresas do Grupo CIE, promotores da corrida no México, está presente na Colômbia, sendo uma das maiores cadeias de espetáculos e concertos do mundo. Em declarações dadas à Rádio Caracol com o prefeito de Barranquilla, Jaime Pumarejo, explicou-se que Domenicali foi presenteado com três opções de circuitos, dos quais já considera um favorito. 

"Há três traçados, os que são os preferidos e estamos avaliando todos os dias as possibilidades de qual é o melhor. Já tem visibilidade técnica", indicou o prefeito antes de falar sobre um dos temas importantes: o financiamento.

"Agora faltam os detalhes financeiros e contratuais de oportunidade da  Fórmula 1, mas estamos aqui e seguiremos depois de um ano e meio na luta. Qualquer um dos três é viável e agradável para a F1."

Faça parte da comunidade Motorsport

Join the conversation
Artigo anterior F1: Russell sugere que Verstappen não teria quebrado recorde de vitórias se tivesse outro companheiro de equipe
Próximo artigo F1: Marko acha que será difícil para Verstappen repetir uma temporada como 2022

Principais comentários

Ainda não há comentários. Seja o primeiro a comentar.

Cadastre-se gratuitamente

  • Tenha acesso rápido aos seus artigos favoritos

  • Gerencie alertas sobre as últimas notícias e pilotos favoritos

  • Faça sua voz ser ouvida com comentários em nossos artigos.

Motorsport prime

Descubra conteúdo premium
Assinar

Edição

Brasil