ANÁLISE: Como a 'biosfera' de Abu Dhabi pode forçar Hamilton a perder GP

Entenda as rígidas restrições do governo de Abu Dhabi para a Covid-19 e como a F1 viajará em fretados para o próximo GP

ANÁLISE: Como a 'biosfera' de Abu Dhabi pode forçar Hamilton a perder GP

A Fórmula 1 está se preparando para um “transporte aéreo” sem precedentes do Bahrein para Abu Dhabi na segunda-feira, enquanto o esporte se ajusta às regras da Covid-19 mais estritas que encontrou em 2020.

Os regulamentos dificultarão muito que Lewis Hamilton, atualmente em quarentena por conta do diagnóstico positivo para a Covid-19, possa competir em Abu Dhabi, mesmo que o teste seja negativo nos próximos dias.

Leia também:

Todo o circo da F1 - exceto um punhado de pilotos e VIPs das equipes viajando em jatos particulares - voará do Bahrein para Abu Dhabi em 10 aviões fretados, em meio a restrições rígidas.

As medidas do governo de Abu Dhabi são tão rígidas que o acesso por rodovia está bloqueado para seus vizinhos dos Emirados Árabes Unidos, e exceções especiais foram feitas para permitir que o GP prossiga, após meses de discussões entre a F1 e as autoridades.

George Russell, Mercedes-AMG F1

George Russell, Mercedes-AMG F1

Photo by: Andy Hone / Motorsport Images

Como funcionará o esquema para o pessoal da F1

A área ao redor do circuito e os hotéis adjacentes foram fechados, com entrada para o pessoal da F1 só permitida na segunda-feira. Depois disso, ninguém terá permissão para entrar ou sair do que está sendo chamado de “biosfera” até depois do teste de terça-feira.

As únicas exceções são veículos e pessoal com passes governamentais especialmente arranjados. O processo de preparação começou no Bahrein, onde todos os participantes da F1 tiveram que fazer um teste de Covid localmente obrigatório na chegada ao aeroporto. Eles então tiveram que se isolar em seus hotéis até receberem um resultado negativo por meio de um aplicativo do governo em seu telefone.

Após sua chegada, todo o pessoal da F1 foi testado a cada poucos dias com o governo do Bahrein e os sistemas de teste da FIA trabalhando juntos.

Quem chega para Abu Dhabi teve que passar pelo menos uma semana no Bahrein sob o regime de testes de Covid, então qualquer um que pulasse o GP do Bahrein - como o chefe da Ferrari Mattia Binotto - teve que viajar para a segunda corrida para garantir sua presença no final da temporada. A única opção alternativa é uma quarentena obrigatória de 48 horas para quem viaja diretamente da Europa para Abu Dhabi.

A boeing 787 Dreamliner and Airbus A380 of Etihad fly over the grid in formation

A boeing 787 Dreamliner and Airbus A380 of Etihad fly over the grid in formation

Photo by: Steve Etherington / Motorsport Images

Como foi planejada a logística do evento

A divisão de viagens da F1 trabalhou com a Etihad, patrocinadora da corrida do GP de Abu Dhabi, para organizar os 10 voos fretados - nove Airbus A320/321 e um Boeing 787 - que deixarão o Bahrein a cada hora a partir das 10h, transportando um total de 1248 pessoas.

As regras de distanciamento social significam que nem todos os lugares serão ocupados, enquanto as equipes e funcionários de diferentes “bolhas” foram cuidadosamente divididos.

Embora as equipes às vezes usem fretados organizados pela F1, especialmente para rotas complicadas entre corridas consecutivas, esta é a primeira vez que toda a comunidade do paddock - incluindo pilotos, equipes, FIA, F1, TV e até mesmo pessoal da mídia freelance - foram todos obrigados a viajar em fretados.

As únicas exceções são aqueles em jatos particulares, mas eles também têm que viajar na segunda-feira. Além disso, todos precisam ter uma cópia impressa de seu último teste negativo no Bahrein para poder voar para Abu Dhabi.

Uma seção especial do aeroporto do Bahrein foi reservada para aqueles que farão o check-in nos voos da F1 e todo o Terminal 3 em Abu Dhabi será fechado na segunda-feira para lidar com a chegada. Apesar de possuir um certificado de teste negativo do Bahrein, todas as chegadas a Abu Dhabi ainda precisarão passar por outro teste na chegada ao aeroporto.

Abu Dhabi GP biosphere map

Abu Dhabi GP biosphere map

Photo by: FIA

Explicando a 'biosfera'

Eles serão então transferidos para os hotéis ao redor da pista, entrando na “biosfera” da qual não podem sair antes da corrida. Eles então terão que se isolar em seus quartos na noite de segunda-feira, enquanto aguardam os resultados dos testes.

Seis hotéis abrigarão todo o circo da F1, incluindo o W, em formato de baleia no meio do circuito.

Um sétimo foi reservado exclusivamente para a equipe dos outros hotéis, bem como para os colaboradores do circuito local e do evento, para que, após o resultado do teste ser negativo, não tenham de se deslocar de casa. Eles tiveram que ficar em quarentena naquele hotel por 14 dias antes da chegada da F1.

Ao contrário do que muitas pessoas presumem, o W não é normalmente usado por regulares da F1, apesar de sua localização ser a apenas alguns metros do paddock.

Suas boates e bares movimentados, além do barulho das festas noturnas em iates na marina adjacente, significam que ele é geralmente usado por convidados dos patrocinadores e VIPs. No entanto, este ano será reservado para os principais jogadores da F1.

Os outros hotéis estão do outro lado da rua da pista e estão todos agrupados em um único complexo que será completamente fechado para o mundo exterior. As equipes caminharão de seus hotéis até o paddock por meio de uma rota especialmente isolada.

Lewis Hamilton, Mercedes-AMG F1

Lewis Hamilton, Mercedes-AMG F1

Photo by: Steve Etherington / Motorsport Images

Hamilton pode ser tratado como caso especial

A situação de Hamilton é complicada, porque atualmente ele continua sujeito às regras de quarentena do Bahrein e também terá que cumprir as restrições de entrada de Abu Dhabi.

Está entendido que se ele der negativo nesta semana, mas perder a janela de viagem de segunda-feira com seu avião particular, ele só poderá entrar em Abu Dhabi no final da semana se o governo conceder uma isenção especial para ele.

Pérez faz HISTÓRIA, Russell brilha e Bottas AFUNDA em estreia de Pietro na F1; assista

Nova parceria com ThePlayer.com, a melhor opção para apostas e diversão no Brasil

Registre-se gratuitamente no ThePlayer.com e acompanhe tudo sobre Fórmula 1 e outros esportes! Você confere o melhor conteúdo sobre o mundo das apostas e fica por dentro das dicas que vão te render muita diversão e também promoções exclusivas. Venha com a gente!

PODCAST: O 'milagre' Grosjean e o que Pietro Fittipaldi pode fazer em sua estreia na F1

 

.

compartilhar
comentários
Pérez: meu caso mostra que "a F1 não tem os melhores pilotos"
Artigo anterior

Pérez: meu caso mostra que "a F1 não tem os melhores pilotos"

Próximo artigo

ANÁLISE: O que significa a reestruturação técnica da Ferrari na F1?

ANÁLISE: O que significa a reestruturação técnica da Ferrari na F1?
Carregar comentários