Fórmula 1
29 ago
-
01 set
Evento encerrado
05 set
-
08 set
Evento encerrado
19 set
-
22 set
Evento encerrado
26 set
-
29 set
Evento encerrado
10 out
-
13 out
Evento encerrado
31 out
-
03 nov
Próximo evento em
16 dias
14 nov
-
17 nov
R
GP de Abu Dhabi
28 nov
-
01 dez
Próximo evento em
44 dias

Ericsson sente que saiu da F1 depois da temporada "mais forte"

compartilhar
comentários
Ericsson sente que saiu da F1 depois da temporada "mais forte"
Por:
Co-autor: Edd Straw
19 de dez de 2018 11:24

Sueco acredita que está deixando a Fórmula 1 no final de seu ano mais forte na categoria

Marcus Ericsson irá competir na Indy na próxima temporada, depois que a Sauber optou por uma nova dupla com Kimi Raikkonen e Antonio Giovinazzi para 2019.

O sueco citou seu desempenho em classificação como a principal razão pela qual ele foi completamente derrotado pelo companheiro de equipe, Charles Leclerc, durante a temporada.

No entanto, Ericsson disse que sua quinta temporada na F1 "definitivamente foi a mais forte", com o 17º lugar fazendo seu melhor final de campeonato.

"É o ritmo de corrida que foi muito forte este ano", disse Ericsson. "Eu tive algumas corridas realmente fortes.”

"A classificação foi um problema, eu estive longe demais em relação a Charles e isso dificultou eu acompanhar seus pontos.”

"Na administração de pneus, eu sou um dos mais fortes no momento na Fórmula 1. Essa tem sido a minha maior força neste ano."

Os nove pontos de Ericsson de 2018 igualou a sua melhor marca na F1, enquanto ele também garantiu um sexto lugar no grid de largada do GP do Brasil.

Ele teve a infelicidade de não se beneficiar das melhorias no final da temporada, já que os danos no assoalho antes mesmo de o GP do Brasil começar o impediu de tirar o máximo de sua posição no grid, além de abandonar na última corrida em Abu Dhabi.

O chefe da equipe, Frederic Vasseur, disse: "Na última parte da temporada, ele teve sempre o mesmo tempo de volta de Charles.”

"Foi muito útil para Charles também ter alguém como referência, como Marcus.”

"Marcus também tem a vantagem de um feedback técnico muito bom e nos ajudou muito em algumas etapas da temporada para tomar decisões no lado técnico."

Leclerc terminou o ano com três corridas consecutivas no sétimo lugar, somando 39 pontos, o suficiente para ter conquistado para a Sauber o oitavo lugar no campeonato de construtores.

Ericsson disse que se orgulhava do papel que desempenhou ao ajudar a Sauber a passar de uma equipe de fundo de grid para ser um top-10 regular.

"O ano inteiro foi o meu melhor na Fórmula 1, especialmente a melhora desde o início da temporada até o final", disse Ericsson.

"Em Melbourne, começamos abaixo da Williams praticamente, e depois melhoramos muito de forma impressionante a partir de então e me sinto muito parte disso.”

"Charles e eu trabalhamos muito juntos com a equipe para mostrar a direção que queremos seguir, e a equipe obviamente nos ouviu e fez um bom trabalho para melhorar o carro."

Próximo artigo
Lutar com Haas e não McLaren surpreendeu a Renault em 2018

Artigo anterior

Lutar com Haas e não McLaren surpreendeu a Renault em 2018

Próximo artigo

Red Bull: Com orçamento atual, é impossível que Renault lute com Mercedes e Ferrari

Red Bull: Com orçamento atual, é impossível que Renault lute com Mercedes e Ferrari
Carregar comentários

Sobre esta matéria

Categoria Fórmula 1
Pilotos Marcus Ericsson
Autor Scott Mitchell