F1: Brasil e demais provas do continente americano correm risco de ficar de fora de calendário 2020

compartilhar
comentários
F1: Brasil e demais provas do continente americano correm risco de ficar de fora de calendário 2020
Por:

Caso a informação se confirme, seria a primeira vez na história que a F1 não teria provas no continente

Espera-se que nos próximos dias a Fórmula 1 confirme a segunda parte do calendário 2020 da categoria. E o grande destaque da nova leva de GPs deve ser a falta de provas no continente americano. Segundo informações, Brasil, Estados Unidos, México e Canadá correm risco de ficar de fora.

Entre as novidades, está Mugello, que deve receber a data de 13 de setembro e o nome de GP da Toscana, criando uma rodada tripla com Spa e Monza.

Leia também:

O GP da Rússia também deve estar entre os confirmados, e em sua data original, 27 de setembro, com os organizadores já tendo iniciado a divulgação da venda de ingressos após a paralisação no começo do ano. 

Esse movimento aponta que a corrida poderá ser a primeira da temporada 2020 com a presença de fãs.

A esperança da organização do GP do Canadá de fazer sua prova logo após a etapa russa desapareceram. A questão climática do local significa que o início de outubro era o limite para a prova, mas essa vaga deve ficar com Portimão em Portugal.

Outras provas que devem voltar ao calendário são China e Vietnã, com datas no final de outubro.

Inicialmente, o Vietnã havia perdido força em 2020 devido a uma preocupação dos organizadores em realizar duas etapas em menos de seis meses, mas o governo expressou recentemente apoio à prova neste ano.

Em contraste, a China ainda pode estar comprometida, após uma declaração da administração esportiva do país, que indiciou que "a princípio", não haverão eventos esportivos no país a não ser que estejam ligados aos preparativos para as Olimpíadas de Inverno de 2022, em Pequim.

Segundo informações, esse anúncio da F1 deve cobrir apenas os meses de setembro e outubro, deixando a maior parte de novembro livre.

As provas dos Estados Unidos, México e Brasil ainda não foram adiados ou cancelados, mas todas são interrogações. Junto com um possível cancelamento do Canadá, significaria que a F1 não visitaria o continente americano pela primeira vez em 70 anos de história.

No momento, a expectativa da F1 é de terminar a temporada com uma rodada dupla no Bahrein, em 29 de novembro e 06 de dezembro e com o GP de Abu Dhabi em 13 de dezembro.

Ímola e Hockenheim continuam na lista de espera e podem assumir qualquer vaga, caso a situação permita.

TELEMETRIA: A volta de Alonso à F1 e o GP da Estíria com Rico Penteado

PODCAST #057: O início da F1 na Áustria com a participação de Felipe Drugovich

 

SIGA NOSSO PODCAST GRATUITAMENTE:

F1: Russell terá novo motor para GP da Estíria após abandono

Artigo anterior

F1: Russell terá novo motor para GP da Estíria após abandono

Próximo artigo

Chefe da Renault acredita que F1 verá um "novo" Alonso e afirma que manterá contato com Briatore

Chefe da Renault acredita que F1 verá um "novo" Alonso e afirma que manterá contato com Briatore
Carregar comentários

Sobre esta matéria

Categoria Fórmula 1
Autor Adam Cooper